Foto: Daniel Isaia/Agência Brasil
Foto: Daniel Isaia/Agência Brasil

Indicador de incerteza da economia brasileira volta a subir em junho

Índice atingiu 122,3 pontos. Fatores como a pandemia e provável crise energética contribuíram no aumento


Em dados divulgados nesta quarta-feira (30) pelo Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getúlio Vargas (FGV/Ibre), o Indicador de Incerteza da Economia (IIE-Br) registra aumento de 2,4 pontos em junho, atingindo 122,3 pontos. Com o resultado, o indicador está 7,2 pontos acima do nível de fevereiro de 2020, último mês antes da chegada da pandemia ao Brasil.

Segundo o Instituto, o crescimento se dá pelas incertezas com relação aos rumos da pandemia e às dificuldades enfrentadas nas campanhas de vacinação. Além disso, neste mês, a alta do Indicador de Incerteza em junho também foi afetada pela possibilidade de uma crise energética, o desenrolar da CPI da Covid-19 e da reforma tributária no Congresso.

Auxílio emergencial: pagamento da terceira parcela encerra nesta quarta-feira (30)

Dívida Pública Federal sobe em maio e chega a R$ 5,17 trilhões

Por outro lado, o componente de Expectativa recuou 7,7 pontos, ficando em 115,7 pontos. Essa foi a primeira vez que o índice retornou ao nível pré-pandemia, sendo o menor desde janeiro de 2020. Entre as variáveis que contribuíram na construção do componente de expectativa, está a previsão dos juros Selic.

Continue Lendo



Receba nossos conteúdos em primeira mão.

LOC.: Em dados divulgados nesta quarta-feira (30) pelo Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getúlio Vargas (FGV/Ibre), o Indicador de Incerteza da Economia (IIE-Br) registra aumento de 2,4 pontos em junho, atingindo 122,3 pontos. Com o resultado, o indicador está 7,2 pontos acima do nível de fevereiro de 2020, último mês antes da chegada da pandemia ao Brasil.

Segundo o Instituto, o crescimento se dá pelas incertezas com relação aos rumos da pandemia e às dificuldades enfrentadas nas campanhas de vacinação. Além disso, neste mês, a alta do Indicador de Incerteza em junho também foi afetada pela possibilidade de uma crise energética, o desenrolar da CPI da Covid-19 e da reforma tributária no Congresso.

Por outro lado, o componente de Expectativa recuou 7,7 pontos, ficando em 115,7 pontos. Essa foi a primeira vez que o índice retornou ao nível pré-pandemia, sendo o menor desde janeiro de 2020. Entre as variáveis que contribuíram na construção do componente de expectativa, está a previsão dos juros Selic.

Reportagem, Poliana Fontenele