Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil
Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil

Dívida Pública Federal sobe em maio e chega a R$ 5,17 trilhões

Aumento foi de 1,82%, mas vencimento de títulos vinculados à inflação segurou alta


A  Dívida Pública Federal (DPF) voltou a subir em maio. A DPF teve alta de 1,61%, e passou de R$ 5,089 trilhões em abril para R$ 5,171 trilhões em maio. Os dados foram divulgados nesta segunda-feira (28), pelo Tesouro Nacional. 

O aumento ocorre após uma queda expressiva em abril, e as projeções para os próximos meses são de que a dívida continue subindo. De acordo com a nova versão do Plano Anual de Financiamento (PAF), a DPF deve encerrar 2021 entre R$ 5,5 trilhões e R$ 5,8 trilhões.

A dívida pública mobiliária (em títulos) interna também teve aumento, de 1,82%, passando de R$ 4,8 trilhões em abril para R$ 4,9 trilhões em maio. No mês passado, o Tesouro emitiu R$ 58,3 bilhões em títulos a mais do que emitiu, e houve a apropriação de R$ 29,88 bilhões em juros. 

Já a dívida pública federal externa (DPFe) caiu 2,64%, passando de R$ 237 bilhões em abril para R$ 230,75 bilhões em maio. Contribuíram para os números a queda de 3,17% do dólar no mês passado e o vencimento de R$ 567 milhões de títulos em dólar que circulavam no mercado internacional.

Continue Lendo



Receba nossos conteúdos em primeira mão.

A  Dívida Pública Federal voltou a subir em maio. A DPF teve alta de 1,61%, e passou de R$ 5,089 trilhões em abril para R$ 5,171 trilhões em maio. Os dados foram divulgados nesta segunda-feira (28), pelo Tesouro Nacional. 

O aumento ocorre após uma queda expressiva em abril, e as projeções para os próximos meses são de que a dívida continue subindo. De acordo com a nova versão do Plano Anual de Financiamento, a DPF deve encerrar 2021 entre R$ 5,5 trilhões e R$ 5,8 trilhões.

A dívida pública mobiliária interna também teve aumento, de 1,82%, passando de R$ 4,8 trilhões em abril para R$ 4,9 trilhões em maio. No mês passado, o Tesouro emitiu R$ 58,3 bilhões em títulos a mais do que emitiu, e houve a apropriação de R$ 29,88 bilhões em juros. 

Já a dívida pública federal externa caiu 2,64%, passando de R$ 237 bilhões em abril para R$ 230,75 bilhões em maio. Contribuíram para os números a queda de 3,17% do dólar no mês passado e o vencimento de R$ 567 milhões de títulos em dólar que circulavam no mercado internacional.