Ministério da Economia/Ascom
Ministério da Economia/Ascom

Guedes anuncia programa social voltado aos trabalhadores informais

Segundo ministro da Economia, programa vai ajudar pessoas que estão na informalidade enquanto ocorre a vacinação em massa contra a Covid


O ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou nesta quarta-feira (28) que o governo vai lançar um programa social voltado aos trabalhadores informais afetados pela pandemia da Covid-19, o BIP (Bônus de Inclusão Produtiva). Ele não deu detalhes sobre o funcionamento da iniciativa, mas indicou que vai ajudar os cerca de 40 milhões de brasileiros considerados "invisíveis", número estimado de trabalhadores informais no País. 
 
A ideia, segundo Guedes, é que o BIP funcione enquanto ocorre a vacinação em massa, até como uma forma de garantir a sobrevivência dessas pessoas, disse. O ministro afirmou que esses trabalhadores foram excluídos do mercado de trabalho formal por causa de uma legislação “obsoleta”, que ao mesmo tempo onera os empresários e remunera mal os empregados. 

MP que flexibiliza legislação trabalhista é publicada

Governo lançará programa de testagem da população para Covid-19, diz ministro da Saúde

Novo Refis: saiba mais sobre projeto de lei que permite às micro e pequenas empresas parcelarem dívidas com a União
 
O programa vai ao encontro do plano do ministro da Economia de lançar a Carteira Verde e Amarela, cujo objetivo é reduzir os encargos trabalhistas e estimular o emprego para pessoas de baixa renda. O anúncio de Guedes ocorreu durante coletiva virtual de divulgação dos dados de emprego em março. 
 
De acordo com o Novo Caged (Cadastro de Empregados e Desempregados), o Brasil teve um saldo positivo de 184 mil vagas de trabalho formal.

Continue Lendo



Receba nossos conteúdos em primeira mão.

LOC.: O ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou nesta quarta-feira (28) que o governo vai lançar um programa social voltado aos trabalhadores informais afetados pela pandemia da Covid-19, o BIP (Bônus de Inclusão Produtiva). Ele não deu detalhes sobre o funcionamento da iniciativa, mas indicou que vai ajudar os cerca de 40 milhões de brasileiros considerados "invisíveis", número estimado de trabalhadores informais no País. 
 
A ideia, segundo Guedes, é que o BIP funcione enquanto ocorre a vacinação em massa, até como uma forma de garantir a sobrevivência dessas pessoas, disse. O ministro afirmou que esses trabalhadores foram excluídos do mercado de trabalho formal por causa de uma legislação “obsoleta”, que ao mesmo tempo onera os empresários e remunera mal os empregados. 
 
O programa vai ao encontro do plano do ministro da Economia de lançar a Carteira Verde e Amarela, cujo objetivo é reduzir os encargos trabalhistas e estimular o emprego para pessoas de baixa renda. O anúncio de Guedes ocorreu durante coletiva virtual de divulgação dos dados de emprego em março. 
 
De acordo com o Novo Caged (Cadastro de Empregados e Desempregados), o Brasil teve um saldo positivo de 184 mil vagas de trabalho formal.

Reportagem, Felipe Moura