Foto: Iron Braz/Secretaria de Estado da Saúde – Governo de Goiás
Foto: Iron Braz/Secretaria de Estado da Saúde – Governo de Goiás

Goiás registra cerca de 23 casos de HIV e 6 casos de Aids por 100 mil habitantes em 2023

A coordenadora de Controle de IST/Aids, Sífilis e Hepatites, Polyanna Guerreiro, afirma que foram registrados 1.599 novos casos de HIV e 425 casos de Aids no estado.

ÚLTIMAS SOBRE GOIÁS


Em 2023, Goiás registrou uma incidência de aproximadamente 23 casos de HIV e 6 casos de Aids por 100 mil habitantes até o momento. Polyanna Guerreiro, coordenadora de Controle de IST/Aids, Sífilis e Hepatites, afirma que foram registrados 1.599 novos casos de HIV e 425 casos de Aids no estado.

A coordenadora destacou a importância da campanha Dezembro Vermelho em Goiás, uma iniciativa iniciada em 2017, focada na luta contra o HIV, Aids e outras ISTs. A campanha tem como objetivo aumentar a conscientização sobre prevenção, assistência e proteção dos direitos das pessoas infectadas pelo HIV.

“O estado de Goiás oferece o serviço para combater a doença, nós temos os testes rápidos, eles são distribuídos em todas as unidades de saúde do Estado, assim como nos Centros de Testagem e Aconselhamento (CTAs), que no estado de Goiás ao todo são 20. Também temos o serviço de assistência especializada no estado, nós temos 17. Onde ocorre o tratamento da infecção pelo vírus”, informa.

Prevenção e Tratamento

Guerreiro esclarece que o uso do preservativo é a forma mais eficaz de prevenção disponível atualmente, pois não apenas protege contra o HIV, mas também contra outras infecções sexualmente transmissíveis.

Porém há outros métodos de prevenção, como a profilaxia pré-exposição à infecção do HIV, que consiste no uso preventivo de medicamentos, antes da exposição ao vírus e reduz a probabilidade da infecção.

A profilaxia pós-exposição, que envolve o uso de medicamentos por pessoas que já foram expostas ao risco, como após uma relação sexual desprotegida ou em casos de rompimento do preservativo.

“Hoje em dia nós sabemos que o HIV tem tratamento eficaz, então quanto mais precoce o diagnóstico, mais o tratamento vai se tornar eficaz e a gente evita o avanço para desenvolver a Aids”, explica a coordenadora.

De acordo com o boletim de ISTs da Secretaria de Saúde de Goiás, entre 2018 e 2023, foram registradas 1.718 mortes por Aids no estado, sendo mais da metade entre jovens do sexo masculino. Nesse mesmo período, houve 9.850 notificações de HIV, com aproximadamente 8 mil casos em homens de 20 a 49 anos.
 

Veja Mais:

HIV e Aids no DF tiveram queda de 2,5 casos por 100 mil habitantes nos últimos cinco anos
HIV/Aids: 3 mil casos notificados em Minas Gerais em 2023
 

Receba nossos conteúdos em primeira mão.

LOC.: Em 2023, Goiás registrou uma incidência de aproximadamente 23 casos de HIV e 6 casos de Aids por 100 mil habitantes até o momento. A coordenadora de Controle de IST/Aids, Sífilis e Hepatites Polyanna Guerreiro  afirma que foram registrados 1.599 novos casos de HIV e 425 casos de Aids no estado.

A coordenadora destacou a importância da campanha Dezembro Vermelho em Goiás, uma iniciativa iniciada em 2017, focada na luta contra o HIV, Aids e outras ISTs. A campanha tem como objetivo aumentar a conscientização sobre prevenção, assistência e proteção dos direitos das pessoas infectadas pelo HIV.
 

TEC./SONORA: Polyanna Guerreiro - coordenadora de Controle de IST/Aids, Sífilis e Hepatites

“O estado de Goiás oferece o serviço para combater a doença, nós temos os testes rápidos, eles são distribuídos em todas as unidades de saúde do Estado, assim como nos Centros de Testagem e Aconselhamento (CTAs), que no estado de Goiás ao todo são 20. Também temos o serviço de assistência especializada no estado, nós temos 17. Onde ocorre o tratamento da infecção pelo vírus.”
 


LOC.: Polyanna esclarece que o uso do preservativo é a forma mais eficaz de prevenção disponível atualmente, pois não apenas protege contra o HIV, mas também contra outras infecções sexualmente transmissíveis.

Porém há outros métodos de prevenção, como a profilaxia pré-exposição à infecção do HIV e a profilaxia pós-exposição.
 

TEC./SONORA: Polyanna Guerreiro - coordenadora de Controle de IST/Aids, Sífilis e Hepatites

“Nós temos a profilaxia pré-exposição, que consiste no uso preventivo de medicamentos, antes da exposição ao vírus, que vai reduzir a probabilidade da infecção. E a profilaxia pós exposição, que é o uso de medicamentos, às pessoas já expostas.”
 


LOC.: De acordo com o boletim de ISTs da Secretaria de Saúde de Goiás, entre 2018 e 2023 foram registradas 1.718 mortes por Aids no estado, sendo mais da metade entre jovens do sexo masculino. Nesse mesmo período, houve 9.850 notificações de HIV, com aproximadamente 8 mil casos em homens de 20 a 49 anos.

Reportagem, Sophia Stein