Vacina. Foto: Arquivo/Mapa
Vacina. Foto: Arquivo/Mapa

FEBRE AFTOSA: Ministério inverte etapas de vacinação em 10 estados e no DF

O objetivo é garantir a oferta oportuna de vacinas nas etapas e manter os índices vacinais satisfatórios. Com isso, o MAPA pretende equacionar a demanda de vacinas com o cronograma previsto de produção da indústria.


Após análise junto a serviços veterinários estaduais, o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) decidiu inverter a estratégia de vacinação contra a febre aftosa, em 2022. De acordo com a Pasta, a 1ª etapa, que será realizada em maio, vai ser destinada aos bovinos e bubalinos até 24 meses, enquanto a 2ª etapa, em novembro, para todo o rebanho.

Confira  aqui o calendário nacional de vacinação contra febre aftosa 2022

A justificativa, segundo informou o ministério, é que a medida vai garantir a oferta de vacinas nas etapas para manter os índices vacinais “satisfatórios”, assim como a imunidade do rebanho. A ideia é equacionar a demanda de vacinas com o cronograma previsto de produção da indústria. A imunização também é importante para garantir o reconhecimento internacional de área livre de febre aftosa, com vacinação. 

A medida é válida para o Bloco IV do Plano Estratégico do Programa Nacional de Vigilância da Febre Aftosa (PE-PNEFA). A inversão será adotada no Distrito Federal e nos estados da Bahia, de Goiás, de Minas Gerais, do Mato Grosso do Sul, do Mato Grosso, do Rio de Janeiro, de Sergipe, de São Paulo, de Tocantins e no Espírito Santo, que já adota esse formato.

Essas Unidades da Federação respondem por aproximadamente 61,3 milhões de bovinos e bubalinos de zero a 24 meses. Esses animais deverão ser vacinados em maio de 2022. 

CRÉDITO RURAL: Produtores rurais de 4 estados terão desconto de 35,2% em financiamentos

GO e DF: Governo Federal entrega primeira etapa do Sistema Produtor de Água Corumbá Sul

Em Minas Gerais, por exemplo, o índice de cobertura vacinal em bovinos e bubalinos, de zero a 24 meses, chegou a 97,5%, no período entre 1° de novembro e 20 de dezembro de 2020. Já no Mato Grosso, a imunização foi realizada em 99% do rebanho, de acordo com o Instituto de Defesa Agropecuária do Estado (Indea-MT).

Viabilidade da imunização 

Segundo o diretor do Departamento de Saúde Animal, Geraldo Moraes, a demanda de vacina para este ano já está acordada e programada com a indústria produtora. Na avaliação dele, isso viabiliza a imunização dos animais em todos os estados envolvidos, dentro da programação esperada. 

"Estamos em constante articulação com os serviços veterinários estaduais, com o setor produtivo e com a indústria produtora de vacina no país, para que as últimas etapas de vacinação contra a febre aftosa ocorram de forma adequada”, afirma o diretor.

Moraes destaca, ainda, que “para a segunda etapa de vacinação, os produtores poderão solicitar autorização aos serviços veterinários estaduais para realizar a vacinação de seus animais a partir de primeiro de outubro, ou postergar para dezembro, dependendo do planejamento reprodutivo utilizado no rebanho”. Essa possibilidade atende à demanda de produtores preocupados com possível redução dos índices de prenhez no rebanho, por conta do manejo dos animais durante a vacinação.

Vale destacar que o processo de imunização em áreas especiais, como a região do Pantanal e a Ilha do Bananal, por exemplo, permanece inalterado, ou seja, essas localidades seguem o calendário previsto inicialmente.
 

Continue Lendo



Receba nossos conteúdos em primeira mão.

LOC.: O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento inverteu a estratégia de vacinação contra a febre aftosa, em 2022. Agora, a 1ª etapa, realizada em maio, vai ser destinada aos bovinos e bubalinos até 24 meses. Já a 2ª etapa, em novembro, vai abranger todo o rebanho.

De acordo com a Pasta, o objetivo é garantir a oferta oportuna de vacinas nas etapas e manter os índices vacinais satisfatórios. Com isso, o ministério visa equacionar a demanda de vacinas com o cronograma previsto de produção da indústria. 

A medida é válida para o Bloco IV do Plano Estratégico do Programa Nacional de Vigilância da Febre Aftosa. Neste caso, são abrangidos pelo novo plano os estados da Bahia, de Goiás, de Minas Gerais, do Mato Grosso do Sul, do Mato Grosso, do Rio de Janeiro, de Sergipe, de São Paulo, de Tocantins, do Espírito Santo e o Distrito Federal. 

Essas Unidades da Federação respondem por aproximadamente 61,3 milhões de bovinos e bubalinos de zero a 24 meses. Esses animais deverão ser vacinados em maio de 2022. 

No ano passado, Mato Grosso, por exemplo, imunizou 99% do rebanho, de acordo com o Instituto de Defesa Agropecuária do Estado.

Vale destacar que o processo de imunização em áreas especiais, como a região do Pantanal e a Ilha do Bananal, por exemplo, permanece inalterado, ou seja, essas localidades seguem o calendário previsto inicialmente.

Reportagem, Marquezan Araújo