Idoso se vacinando em um dos postos drive-thru montados pela Prefeitura do município de São Paulo. Foto: Alexandre Moreira/Prefeitura de São Paulo
Idoso se vacinando em um dos postos drive-thru montados pela Prefeitura do município de São Paulo. Foto: Alexandre Moreira/Prefeitura de São Paulo

Dose de reforço: capital paulista inicia aplicação em idosos acima de 80 anos e imunossuprimidos

Imunização iniciou nesta segunda (20). A expectativa é que 18 mil imunossuprimidos e 144.415 idosos recebam a dose de reforço contra a Covid-19 na capital de São Paulo


Nesta segunda-feira (20), a capital paulista iniciou a aplicação da dose de reforço contra a Covid-19 em idosos com mais de 80 anos e em pessoas com alto grau de imunossupressão acima dos 18 anos. A estimativa é que 144.415 idosos e 18 mil imunossuprimidos compareçam aos pontos de vacinação.

De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde de São Paulo, só poderão se imunizar com a dose de reforço os idosos que completaram o esquema vacinal (segunda dose ou dose única) há mais de seis meses. Já o público imunossuprimido precisa ter tomado a segunda dose ou dose única há, pelo menos, 28 dias. 

A aplicação da dose de reforço para o atual público alvo não tem data limite para encerrar, como explica a secretária executiva de Atenção Básica, Especialidades e Vigilância Sanitária da Secretaria de Saúde da cidade de São Paulo, Sandra Sabino. “Vamos aplicar as doses de reforço até completarmos 100% dessa população. Lembrando que tem muitas pessoas acamadas e, portanto, estamos fazendo [a vacinação] em domicílio”, diz.

Municípios brasileiros devem fazer testagem de Covid-19 em locais de grande circulação

Benjamin Constant do Sul (RS) registra primeira morte por Covid-19

Com relação ao atendimento em domicílio, a secretaria de saúde do município explicou que a vacinação é feita pela equipe da Unidade Básica de Saúde (UBS) de referência do paciente, assim como nas Instituições de Longa Permanência para Idosos (ILPIs) e população indígena aldeada na cidade de São Paulo. 

Sobre a fabricante da dose de reforço que está sendo aplicada, Sandra Sabino informou que a imunização está sendo realizada com a vacina disponível em estoque. “A orientação que nós temos do Programa Estadual de Imunização é para se dar com o imunizante que temos disponível. Então, nós iniciamos o processo de vacinação com a Coronavac, que era o imunizante disponível. E desde 15 de setembro nós iniciamos com a Pfizer. Então, atualmente, essa dose adicional está sendo feita com Pfizer.”

Para consultar os locais de vacinação do atual público alvo e disponibilidade de doses no município de São Paulo clique aqui

Covid-19 

De acordo com o balanço divulgado nesta segunda (20) pelo Ministério da Saúde, o Brasil soma 21.247.667 casos de Covid-19 e 590.955 mortes em decorrência da doença. Deste total, 203 foram registrados nas últimas 24 horas. 

O número de pessoas recuperadas ultrapassa 20.230.891, o que representa 95,2% do total de casos. Existem, ainda, 425.821 pessoas sob acompanhamento e 3.343 óbitos estão em investigação, que são os casos em que exames de diagnóstico são feitos após a morte do paciente.

O estado do Rio de Janeiro segue superando a média nacional com a maior taxa de letalidade do País (5,11%). Em seguida estão São Paulo, Amazonas e Pernambuco, todos com o índice acima dos três pontos percentuais. A taxa de letalidade média do Brasil é de 2,78%. 

Taxa de letalidade nos estados  

  • Rio de Janeiro – 5,11% 
  • São Paulo – 3,40%
  • Amazonas – 3,22%
  • Pernambuco – 3,19%
  • Maranhão – 2,87%
  • Pará – 2,82%
  • Goiás – 2,74%
  • Alagoas – 2,60%
  • Ceará – 2,58%
  • Paraná – 2,58%
  • Minas Gerais – 2,56%
  • Mato Grosso do Sul – 2,56%
  • Mato Grosso – 2,55%
  • Rondônia – 2,46%
  • Rio Grande do Sul – 2,43%
  • Piauí – 2,19%
  • Bahia – 2,18%
  • Sergipe – 2,16%
  • Espírito Santo – 2,16%
  • Distrito Federal – 2,12%
  • Paraíba – 2,11%
  • Acre – 2,07%
  • Rio Grande do Norte – 1,99%
  • Tocantins – 1,68%
  • Santa Catarina – 1,63%
  • Amapá – 1,61%
  • Roraima – 1,58%      

Para saber mais sobre os municípios que apresentam alta taxa de letalidade acesse o portal Brasil61.com. Nossa reportagem elaborou matérias municipalizadas sobre cada localidade.

Os números são atualizados com base no repasse de dados das Secretarias Estaduais de Saúde ao Ministério da Saúde. Acesse as informações sobre a Covid-19 no seu estado e município no portal brasil61.com/painelcovid. 
 

Continue Lendo



Receba nossos conteúdos em primeira mão.

LOC.: A capital paulista iniciou, nesta segunda, a aplicação da dose de reforço contra o coronavírus em idosos com mais de 80 anos e em pessoas com alto grau de imunossupressão acima dos 18 anos.

Só podem se imunizar com a dose de reforço os idosos que completaram o esquema vacinal há mais de seis meses. Já o público imunossuprimido precisa ter tomado a segunda dose ou dose única há, pelo menos, 28 dias. 

A imunização no município está sendo realizada com a vacina disponível em estoque, como explica a secretária executiva de atenção básica, especialidades e vigilância sanitária da secretaria de saúde da cidade de São Paulo, Sandra Sabino.
 

TEC./SONORA:  Sandra Sabino, secretária executiva de atenção básica, especialidades e vigilância sanitária da secretaria de saúde da cidade de São Paulo.

“A orientação que nós temos do Programa Estadual de Imunização é para se dar com o imunizante que temos disponível. Então, nós iniciamos o processo de vacinação com a Coronavac, e a partir de 15 de setembro nós iniciamos com a Pfizer. Então, atualmente, essa dose adicional está sendo feita com Pfizer.”
 

LOC.: Com relação aos números nacionais da Covid-19, o Brasil registrou, nas últimas 24h, 203 óbitos. Segundo o Ministério da Saúde, são mais de 21 mil e 247 casos da doença e 590.955 mortes.

Reportagem, Laísa Lopes