Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil
Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil

Dólar hoje: moeda abre a sexta-feira (16) em queda, cotada a R$ 4,82

Em relação ao último fechamento, o dólar teve uma queda de 0,50% e representa o menor valor em um ano


O dólar americano apresentou queda de 0,50% em relação ao último fechamento. A moeda começou esta sexta-feira (16) cotada a R$ 4,82 para compra e venda. Este é o menor valor registrado da moeda em um ano, em meio a dados positivos da economia brasileira. 

Já o euro começou o dia cotado a R$ 5,27 para compra e venda, de acordo com dados do Banco Central Europeu. A moeda teve alta de 0,20%. A elevação é influenciada pela alta das bolsas de valores da Europa, diminuindo a oferta do euro no Brasil. 

O Ibovespa abre em alta, de 1,99% e irrompe 119 mil pontos. O índice se encontra em 119.221 pontos. Este é o maior valor desde outubro de 2022, após a agência de risco S&P elevar a nota do Brasil de estável para positiva, atraindo investimentos internacionais para o país.

Além disso, há a perspectiva de queda da taxa de juros brasileira e americana, o que favorece a Bovespa. Ações de companhias do mercado interno são destaque, principalmente Vale (VALE3) e grandes bancos, como o Banco do Brasil (BBAS3), que apresentou alta 2,05%.
 

Receba nossos conteúdos em primeira mão.

LOC.: O dólar americano apresentou queda de 0,50% em relação ao último fechamento. A moeda começou esta sexta-feira (16) cotada a R$ 4,82 para compra e venda. Este é o menor valor registrado da moeda em um ano, em meio a dados positivos da economia brasileira. 

Já o euro começou o dia cotado a R$ 5,27 para compra e venda, de acordo com dados do Banco Central Europeu. A moeda teve alta de 0,20%. A elevação é influenciada pela alta das bolsas de valores da Europa, diminuindo a oferta do euro no Brasil. 

O Ibovespa abre em alta, de 1,99% e irrompe 119 mil pontos. Este é o maior valor desde outubro de 2022, após a agência de risco S&P elevar a nota do Brasil de estável para positiva, atraindo investimentos internacionais para o país.

Além disso, há a perspectiva de queda da taxa de juros brasileira e americana, o que favorece a Bovespa. Ações de companhias do mercado interno são destaque, principalmente Vale e grandes bancos, como o Banco do Brasil, que apresentou alta, 2,05%.

Reportagem, Luigi Mauri, narração, Lívia Azevedo