Cadastro de mídia

TERMO DE USO E PARCERIA

TERMO DE USO E PARCERIA

Regras de Uso

1º - A utilização gratuita e livre dos materiais produzidos pelo Brasil 61 só será permitida depois que este termo de parceria for aceito pelo usuário, prevendo as seguintes regras:

a) A utilização do material - na íntegra, ou em partes - só será permitida desde que as informações não sejam distorcidas, manipuladas ou alteradas.

b) Não é necessário a identificação do Brasil 61 na hora da replicação do conteúdo. Mas toda e qualquer veiculação de áudios produzidos pelo Brasil 61 prevê o cadastro no site, com a disponibilização de dados que serão utilizados para a organização do mailing desta empresa,

2º - OBRIGAÇÕES DO BRASIL 61

a) O Brasil 61 se compromete, a partir deste termo de uso, a produzir conteúdo particularizado diariamente, trazendo informações de dia-a-dia e bastidores do Planalto Central, além de outras temáticas de relevância do noticiário nacional. 

b) O acesso ao conteúdo jornalístico (na versão de leitura) é livre e gratuito, podendo ser replicado por qualquer usuário que acesse o site. O download do áudio para que seja utilizado na programação das rádios requer que o radialista realize o login no site do Brasil 61 - informando e-mail e senha cadastrados. 

3º - OBRIGAÇÕES DOS COMUNICADORES PARCEIROS

Não alterar o sentido dos materiais, ou distorcer fala de entrevistados ou mudar a conotação das mensagens dos materiais. 

ADENDOS IMPORTANTES SOBRE A PARCERIA

a) O Brasil 61 poderá distribuir conteúdo patrocinado com ou sem assinatura dos clientes patrocinadores do boletim e sem aviso prévio ao comunicador. 

b) As rádios parceiras não vão ter participação financeira sobre o faturamento do Brasil 61.

c) Os comunicadores podem patrocinar os conteúdos do Brasil 61, desde que não alterem o sentido e a conotação dos conteúdos oferecidos. Nesses casos, o Brasil 61 não terá participação nos lucros conquistados pelos veículos parceiros. 

Ao clicar em ACEITO, a emissora aqui cadastrada afirma concordar e estar ciente de todas as condições apresentadas neste Termo de Utilização de Conteúdo.

Foto: Tomaz Silva/ Agência Brasil

Novo coronavírus: Impacto sobre pessoas empregadas na agropecuária estabiliza em junho

Resultado vem após forte impacto negativo registrado no mês de maio; dados foram coletados pelo Cepea


Após forte impacto da covid-19, no mês de maio, na população ocupada na agropecuária, houve estabilidade no trimestre finalizado em junho. Os cálculos são do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea), realizados a partir de dados do IBGE. Isso significa dizer que o cenário em termos de número de empregos na agropecuária não se agravou em junho, mas também não melhorou.

Em abril, maio e junho, quase oito milhões de pessoas estavam ocupadas na agropecuária, mas ainda assim um número inferior ao considerado normal, conforme modelo do Cepea. Se comparado ao trimestre anterior, a população ocupada se manteve estável (-0,21%), mas em relação ao mesmo trimestre móvel de 2019, houve queda de 7,85%, equivalente a 679 mil pessoas. 

Ainda levando em consideração o modelo adotado pelo Centro de Estudos, o número de pessoas ocupadas na agropecuária no trimestre móvel encerrado em junho registrou 391 mil pessoas abaixo do que era esperado para esse período. 

Plataforma digital promete agilidade na solicitação de crédito fundiário

Considerando o cenário geral do País, no trimestre móvel encerrado em junho, mais de 83 milhões de pessoas estavam ocupadas no Brasil, o que representou queda de 3% frente ao trimestre móvel encerrado em maio e de 10,7% frente ao mesmo trimestre móvel de 2019. 

Para os pesquisadores do Cepea, isso mostra que, embora o cenário tenha aparentemente parado de se agravar para a agropecuária em junho, esse não parece ser o caso para alguns outros setores econômicos. 

Continue Lendo





Receba nossos conteúdos em primeira mão.

LOC.: Após forte impacto da covid-19, no mês de maio, na população ocupada na agropecuária, houve estabilidade no trimestre finalizado em junho. Os cálculos são do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea), realizados a partir de dados do IBGE. Isso significa dizer que o cenário em termos de número de empregos na agropecuária não se agravou em junho, mas também não melhorou.

Em abril, maio e junho, quase oito milhões de pessoas estavam ocupadas na agropecuária, mas ainda assim um número inferior ao considerado normal, conforme modelo do Cepea. Se comparado ao trimestre anterior, a população ocupada se manteve estável (-0,21%), mas em relação ao mesmo trimestre móvel de 2019, houve queda de 7,85%, equivalente a 679 mil pessoas. 

Ainda levando em consideração o modelo adotado pelo Centro de Estudos, o número de pessoas ocupadas na agropecuária no trimestre móvel encerrado em junho registrou 391 mil pessoas abaixo do que era esperado para esse período. 

Considerando o cenário geral do País, no trimestre móvel encerrado em junho, mais de 83 milhões de pessoas estavam ocupadas no Brasil, o que representou queda de 3% frente ao trimestre móvel encerrado em maio e de 10,7% frente ao mesmo trimestre móvel de 2019. 

Para os pesquisadores do Cepea, isso mostra que, embora o cenário tenha aparentemente parado de se agravar para a agropecuária em junho, esse não parece ser o caso para alguns outros setores econômicos. 

Reportagem, Jalila Arabi.