Cadastro de mídia

TERMO DE USO E PARCERIA

TERMO DE USO E PARCERIA

Regras de Uso

1º - A utilização gratuita e livre dos materiais produzidos pelo Brasil 61 só será permitida depois que este termo de parceria for aceito pelo usuário, prevendo as seguintes regras:

a) A utilização do material - na íntegra, ou em partes - só será permitida desde que as informações não sejam distorcidas, manipuladas ou alteradas.

b) Não é necessário a identificação do Brasil 61 na hora da replicação do conteúdo. Mas toda e qualquer veiculação de áudios produzidos pelo Brasil 61 prevê o cadastro no site, com a disponibilização de dados que serão utilizados para a organização do mailing desta empresa,

2º - OBRIGAÇÕES DO BRASIL 61

a) O Brasil 61 se compromete, a partir deste termo de uso, a produzir conteúdo particularizado diariamente, trazendo informações de dia-a-dia e bastidores do Planalto Central, além de outras temáticas de relevância do noticiário nacional. 

b) O acesso ao conteúdo jornalístico (na versão de leitura) é livre e gratuito, podendo ser replicado por qualquer usuário que acesse o site. O download do áudio para que seja utilizado na programação das rádios requer que o radialista realize o login no site do Brasil 61 - informando e-mail e senha cadastrados. 

3º - OBRIGAÇÕES DOS COMUNICADORES PARCEIROS

Não alterar o sentido dos materiais, ou distorcer fala de entrevistados ou mudar a conotação das mensagens dos materiais. 

ADENDOS IMPORTANTES SOBRE A PARCERIA

a) O Brasil 61 poderá distribuir conteúdo patrocinado com ou sem assinatura dos clientes patrocinadores do boletim e sem aviso prévio ao comunicador. 

b) As rádios parceiras não vão ter participação financeira sobre o faturamento do Brasil 61.

c) Os comunicadores podem patrocinar os conteúdos do Brasil 61, desde que não alterem o sentido e a conotação dos conteúdos oferecidos. Nesses casos, o Brasil 61 não terá participação nos lucros conquistados pelos veículos parceiros. 

Ao clicar em ACEITO, a emissora aqui cadastrada afirma concordar e estar ciente de todas as condições apresentadas neste Termo de Utilização de Conteúdo.

Foto: Arquivo/EBC

Município cearense desenvolve rede de proteção contra Covid-19

Em Caucaia, seis comitês de acompanhamento e formulação de estratégias foram criados para elaborar métodos que deem mais agilidade em ações contra o novo coronavírus


Com o objetivo de minimizar os efeitos negativos causados pela pandemia do novo coronavírus, o município de Caucaia, na região metropolitana de Fortaleza, passou a montar um sistema de prevenção para população local. A ideia consiste na criação de seis comitês de acompanhamento e formulação de estratégias. Esses grupos devem atuar na elaboração de métodos que deem mais agilidade para tomada de decisão em ações contra a Covid-19.

Para isso, uma rede batizada de “teia” foi estabelecida para que agentes comunitários de saúde tivessem como chegar de forma segura e eficaz até os moradores da cidade, para repassar informações e, quando necessário, atuar como elo entre a pessoa atendida e a unidade básica de saúde.

“A teia da saúde os aproximou da comunidade e das unidades de saúde. Ao amanhecer, em vez de enviar mensagens de autoajuda, por exemplo, se perguntava se alguém tinha levantado com algum sintoma. Apresentado queixa, já havia o encaminhamento para o posto para atender praticamente sintomas relacionados à Covid-19”, explicou o ex-secretário de Saúde do município, Moacir Soares.

Entre outras ideias, o sistema consiste na criação de grupos de WhatsApp, em que os agentes comunitários de saúde conversam diariamente com as pessoas que eles acompanham. O objetivo é receber relatos de moradores que podem ter desenvolvido algum sintoma da Covid-19 e possibilitar um atendimento rápido para que, em caso de confirmação, a doença não seja elevada para um nível mais crítico.

A eficiência e os benefícios dessa rede foram discutidos recentemente em um debate virtual realizado pelo Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass). Durante o encontro, a agente comunitária de saúde de Caucaia, Célia Rodrigues afirmou que a medida tem se mostrado eficaz e que o projeto deve continuar enquanto durar a pandemia.

“Haviam pessoas que estavam sim com Covid-19. Elas se queixavam mais de cansaço, mas ninguém ficou para trás. Todos os dias postamos o que é necessário. As pessoas também mandam mensagens no nosso número privado, porque nem todos gostam de se expor, mas nós também tiramos as dúvidas deles. É dessa forma que temos trabalhado no nosso cotidiano”, pontuou Célia.

Atenção primária

O sistema tenta adiantar a resolução de um problema por meio de atendimentos ainda na atenção primária. Dessa forma, é possível saber a situação da população, a evolução de pessoas com sintomas da doença, checar se crianças estavam com a carteira de vacinação em dia, além de identificar se pacientes com doenças crônicas estão recebendo medicamentos essenciais para o controle da sua condição.

Ministério da Saúde discute ações de enfrentamento à pandemia com Conasems e Conass

Atenção Primária à Saúde vai ser reforçada por todo o país pelos próximos três anos

Identificação e atendimento precoce são medidas eficazes para controlar avanço da Covid-19, defende especialista

Nesse sentido, a professora do curso de Saúde Coletiva, da Universidade de Brasília (UnB), Carla Pintas Marques, avalia que o método pode ser eficiente, já que a identificação e o monitoramento precoce da Covid-19, associadas as outras estratégias, podem ajudar a conter as taxas de contaminação e de mortes pela doença.

“Quanto mais rápido fizermos esse acompanhamento, mais rápido controlaremos a doença. Assim, o vírus deixa de circular porque aquele indivíduo que está positivo para a Covid-19 vai ficar isolado, até passar o período da quarentena”, destaca Carla.
 

Continue Lendo





Receba nossos conteúdos em primeira mão.

LOC.: Com o objetivo de minimizar os efeitos negativos causados pela pandemia do novo coronavírus, o município de Caucaia, na região metropolitana de Fortaleza, passou a montar um sistema de prevenção para população local. A ideia consiste na criação de seis comitês de acompanhamento e formulação de estratégias. Esses grupos devem atuar na elaboração de métodos que deem mais agilidade para tomada de decisão em ações contra a Covid-19.
 

Para isso, uma rede batizada de “teia” foi estabelecida para que agentes comunitários de saúde tivessem como chegar de forma segura e eficaz até os moradores da cidade, para repassar informações e, quando necessário, atuar como elo entre a pessoa atendida e a unidade básica de saúde. É o que explica o ex-secretário de Saúde de Caucaia, Moacir Soares.
 

TEC./SONORA: Moacir Soares, ex-secretário de Saúde de Caucaia (CE)

“A teia da saúde os aproximou da comunidade e das unidades de saúde. Ao amanhecer, em vez de enviar mensagens de autoajuda, por exemplo, se perguntava se alguém tinha levantado com algum sintoma. Apresentado queixa, já havia o encaminhamento para o posto para atender praticamente sintomas relacionados à Covid-19.” 
 

LOC.: Entre outras ideias, o sistema consiste na criação de grupos de WhatsApp, em que os agentes comunitários de saúde conversam diariamente com as pessoas que eles acompanham.

A agente comunitária de saúde de Caucaia, Célia Rodrigues, afirma que o objetivo é receber relatos de moradores que podem ter desenvolvido algum sintoma da Covid-19 e possibilitar um atendimento rápido para que, em caso de confirmação, a doença não seja elevada para um nível mais crítico.
 

TEC./SONORA: Célia Rodrigues, agente comunitária de saúde

“Haviam pessoas que estavam sim com Covid-19. Elas se queixavam mais de cansaço, mas ninguém ficou para trás. Todos os dias postamos o que é necessário. As pessoas também mandam mensagens no nosso número privado, porque nem todos gostam de se expor, mas nós também tiramos as dúvidas deles. É dessa forma que temos trabalhado no nosso cotidiano.”
 

LOC.: Por esse sistema, também é possível saber a situação da população, a evolução de pessoas com sintomas da doença, checar se crianças estavam com a carteira de vacinação em dia, além de saber se pessoas com doenças crônicas estão recebendo medicamentos essenciais para o controle da sua condição.

Reportagem, Marquezan Araújo