Banco Central - Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil
Banco Central - Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil

Mercado financeiro aumenta projeção da inflação para 3,98% em 2021

Expectativa para a Selic é de encerrar o ano em 4%


O boletim Focus, pesquisa semanal do Banco Central (BC), divulgou, na terça (8), a previsão do mercado financeiro para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) deste ano. A taxa subiu de 3,87% para 3,98%. 

O cálculo para 2021 está acima do centro da meta da inflação que deve ser perseguida pelo Banco Central. A meta, definida pelo Conselho Monetário Nacional, é de 3,75% para este ano, com intervalo de tolerância de 1,5 ponto percentual para cima ou para baixo. Ou seja, o limite inferior é 2,25% e o superior, 5,25%.

Para o mercado financeiro, a expectativa é de que a Selic encerre 2021 em 4% ao ano. As instituições financeiras consultadas pelo BC reduziram a projeção para o crescimento da economia brasileira este ano de 3,29% para 3,26%. Para 2022, é esperado que o PIB (Produto Interno Bruto) aumente em 2,48%. A expectativa é que a cotação do dólar suba para R$ 5,15 ao final deste ano. 

 

Continue Lendo



Receba nossos conteúdos em primeira mão.

LOC.: O boletim Focus, pesquisa semanal do Banco Central (BC), divulgou, na terça (8), a previsão do mercado financeiro para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) deste ano. A taxa subiu de 3,87% para 3,98%. 

O cálculo para 2021 está acima do centro da meta da inflação que deve ser perseguida pelo Banco Central. A meta, definida pelo Conselho Monetário Nacional, é de 3,75% para este ano, com intervalo de tolerância de 1,5 ponto percentual para cima ou para baixo. Ou seja, o limite inferior é 2,25% e o superior, 5,25%.

Para o mercado financeiro, a expectativa é de que a Selic encerre 2021 em 4% ao ano. As instituições financeiras consultadas pelo BC reduziram a projeção para o crescimento da economia brasileira este ano de 3,29% para 3,26%. Para 2022, é esperado que o PIB (Produto Interno Bruto) aumente em 2,48%. A expectativa é que a cotação do dólar suba para R$ 5,15 ao final deste ano. 

Reportagem, Laísa Lopes.