Foto: Online Marketing (Unsplash)
Foto: Online Marketing (Unsplash)

Governo de Rondônia reforça parceria entre gestores municipais no combate à Covid-19

Dentro do planejamento de combate ao vírus, para os próximos dias, uma nova reclassificação de fases para os municípios será adotada e os prefeitos deverão tomar medidas de controle em suas cidades


As ações de combate e enfrentamento à Covid-19 desempenhadas no estado de Rondônia, foram reforçadas como medidas importantes a serem seguidas pela região. Essa foi uma definição do governo do estado, durante reunião realizada na primeira semana deste ano com prefeitos e representantes do Comitê Interinstitucional de Prevenção, Verificação e Monitoramento dos Impactos da Covid-19.

A reunião foi realizada por intermédio da Casa Civil do estado por meio de videoconferência. Durante a conversa, foram esclarecidas todas as questões relacionadas à atual situação da pandemia em Rondônia, levando em consideração o aumento de casos da doença no Estado nos últimos dias.

Dentro do planejamento de combate ao vírus, para os próximos dias, uma nova reclassificação de fases para os municípios será adotada e os prefeitos deverão tomar medidas de controle em suas cidades, como ampliação da fiscalização do funcionamento de bares, uso de máscaras e aglomerações.



Para Roger André, que é diretor executivo da Associação Rondoniense de Municípios (AROM), o plano desenvolvido pelo governo estadual chamado “Todos por Rondônia”, ajudou a criar mecanismos para que a atividade econômica não sofresse abalos tão severos como ocorreu em outros estados. Além disso, o diretor da AROM acredita que a atuação conjunta entre governos da região foi o ponto forte para evitar uma crise.   

“Rondônia e seus municípios estão de mãos dadas no combate ao enfrentamento da pandemia. Desde o início das ações, o estado realizou uma matriz de risco (uma das melhores dentre as federações) e nós, o movimento municipalista em conjunto com cada um dos municípios analisamos os critérios sobre o aumento dos casos. Essa ação tem sido exitosa tanto na transferência de recursos quanto no combate e prevenção”, afirmou o diretor.   

Nova cepa do coronavírus causa incertezas entre autoridades de saúde e a população em geral

Novos prefeitos devem atualizar o Suas para evitar perda de recursos

Segundo o médico Rodrigo Almeida, conselheiro do Conselho Regional de Medicina do Estado de Rondônia (Cremero), nesse momento, a melhor estratégia para combater à Covid-19 é manter as medidas já em prática enquanto aguardamos o início da vacinação. O médico acredita que apesar de não ser possível organizar uma imunização em massa, os efeitos para começar a proteger as pessoas mais sensíveis a doença, já devem impactar numa redução de pessoas infectadas e mortes.

“Vamos dar o exemplo da vacina do Instituto Butantan que deve ter, pelo menos, 50% de eficácia fazendo com que as pessoas fiquem imunes ao vírus e, assim, gradativamente a doença vai desaparecendo. Mas para isso, é preciso que grande parte da população esteja vacinada – o que não vai ocorrer nos próximos seis meses em nenhum estado brasileiro. Ao iniciar as campanhas de vacinação temos que colocar essa vacina à disposição dos grupos com mais riscos”, detalhou Almeida.  

Continue Lendo



Receba nossos conteúdos em primeira mão.

LOC.: As ações de combate ao enfrentamento da Covid-19 desempenhadas no estado de Rondônia, foram reforçadas como medidas importantes a serem seguidas pela região. Essa foi uma definição do governo do estado, durante reunião na primeira semana deste ano com prefeitos e representantes do Comitê Interinstitucional de Prevenção, Verificação e Monitoramento dos Impactos da Covid-19. 
Dentro do planejamento, uma nova reclassificação de fases para os municípios será adotada e os prefeitos deverão tomar medidas de controle em suas cidades, como ampliação da fiscalização do funcionamento de bares, uso de máscaras e aglomerações.
Para Roger André, que é diretor executivo da Associação Rondoniense de Municípios (AROM), o plano criado pelo governo estadual chamado “Todos por Rondônia”, ajudou a criar mecanismos para que a atividade econômica não sofresse abalos tão severos como ocorreu em outros estados. Além disso, o diretor da AROM acredita que a atuação conjunta entre governos da região foi o ponto forte para evitar uma crise.   
 

TEC./SONORA: Roger André, diretor executivo da Associação Rondoniense de Municípios (AROM).
“Rondônia e seus municípios estão de mãos dadas no combate ao enfrentamento da pandemia. Desde o início das ações, o estado realizou uma matriz de risco (uma das melhores dentre as federações) e nós, o movimento municipalista em conjunto com cada um dos municípios analisamos os critérios sobre o aumento dos casos. Essa ação tem sido exitosa tanto na transferência de recursos quanto no combate e prevenção.” 
 

LOC.: Segundo o médico Rodrigo Almeida, que é conselheiro do Conselho Regional de Medicina do Estado de Rondônia (Cremero), nesse momento, a melhor estratégia para combater à Covid-19 é manter as medidas já em prática enquanto aguardamos o início da vacinação.

TEC./SONORA: Rodrigo Almeida, médico e conselheiro do Conselho Regional de Medicina do Estado de Rondônia (Cremero).
“Vamos dar o exemplo da vacina do Instituto Butantan que deve ter, pelo menos, 50% de eficácia fazendo com que as pessoas fiquem imunes ao vírus e, assim, gradativamente a doença vai desaparecendo. Mas para isso, é preciso que grande parte da população esteja vacinada – o que não vai ocorrer nos próximos seis meses em nenhum estado brasileiro. Ao iniciar as campanhas de vacinação temos que colocar essa vacina à disposição dos grupos com mais riscos.”  
 

LOC.: A reunião foi realizada por intermédio da Casa Civil do estado por meio de videoconferência. Durante a conversa, foram esclarecidas todas as questões relacionadas à atual situação da pandemia em Rondônia, levando em consideração o aumento de casos no estado nos últimos dias.