Foto: Marcelo Casal Jr/Agência Brasil
Foto: Marcelo Casal Jr/Agência Brasil

VALORES ESQUECIDOS: Banco Central informará novos valores em maio

Segundo o BC, até as 12h desta segunda (14), foram registrados mais de 20 milhões de CPFs ou CNPJs no Sistema Valores a Receber (SVR). Para consultar ou resgatar valores, será necessário login na plataforma do Governo Federal, a gov.br


A população já pode consultar se tem algum valor “esquecido” em bancos ou instituições financeiras. Essa consulta só poderá ser feita pelo site https://valoresareceber.bcb.gov.br/

O antigo site havia sido lançado no dia 24 de janeiro, mas, no dia seguinte, a página do Banco Central saiu do ar devido ao grande número de acessos. Na época, o Banco Central, por meio de nota, informou que estava investindo na ampliação de sua capacidade de atendimento.

Em um primeiro momento, o montante vem de contas correntes ou poupanças não sacadas, cobranças indevidas de tarifas ou de obrigações de créditos, cotas de capital e rateio de sobras líquidas de associados de cooperativas de crédito e grupos de consórcios extintos. Em seguida, tarifas, parcelas e obrigações de operações cobradas indevidamente, contas pré-pagas ou pós-pagas encerradas com crédito, registros mantidos por corretoras com saldos disponíveis e outras situações com valores a serem devolvidos por instituições.

Veja como consultar se tem algum valor a receber 

  • Faça o seu cadastro gratuitamente no Gov.br. Para acessar as informações, você deverá ser nível prata ou ouro e solicitar os recursos nas datas agendadas ou durante o período de repescagem;
  • Volte no valoresareceber.bcb.gov.br na data e período informados e use seu login para consultar e solicitar o resgate do saldo;
  • Se você perder sua data e período de resgate, venha aqui (valoresareceber.bcb.gov.br) no sábado da repescagem das 4h às 24h, de acordo com o calendário;
  • Se você também perder seu sábado de repescagem, venha aqui (valoresareceber.bcb.gov.br) a partir de 28/03/2022 e use seu login Gov.br para acessar o sistema, consultar e solicitar o resgate do saldo existente.

Veja mais 
Ineficiência e elevação de custos na conta de luz tornam marco do setor elétrico urgente no Brasil
Preço da energia elétrica em Minas Gerais foi um dos que menos cresceu no país em 2021, diz Aneel
Conta de luz dos capixabas aumentou 8,9% em 2021 

Cronograma de saque

Caso o usuário tenha valores a receber, no momento da consulta, você receberá uma data e um período para consultar e solicitar o saldo existente, conforme mostrado na imagem abaixo.
 

As datas serão agendadas de acordo com o ano de nascimento da pessoa ou da criação da empresa, conforme o calendário abaixo.

Data de Nascimento ou de criação da empresa Período de agendamento (consulta ou resgate) Data de repescagem ( para quem perder a data agendada)
Antes de 1968 7 a 11/3 12/3
Entre 1968 a 1983 14 a 18/3 19/3
Após 1983 21 a 25/3 26/3

Fonte: Banco Central

Quando receber o agendamento, confira se foi para o período de 4h às 14h ou de 14h às 24h. Se você esquecer ou perder a data e o período, consulte novamente e receba a mesma informação.

Caso você não tenha saldo a receber, o próprio sistema vai indicar uma outra data na qual o usuário deverá entrar e consultar novamente. O Banco Central lembra que, quem não tiver valores a receber nesta etapa, poderá ter nas próximas fases. Em maio, a instituição ampliará a base de dados para incluir novos tipos de saldos residuais. 
 

Perfil Ouro ou Prata

Não será possível entrar no sistema com o login do Registrato. Para ter acesso às informações, o cidadão precisará estar cadastrado no site do Governo Federal, o gov.br. Esse cadastro pode ser feito via site ou aplicativo gov.br, na Google Play ou na App Store

O perfil do usuário deverá ser prata ou ouro, que exige uma segurança maior, com etapas como o reconhecimento facial. Com esse cadastro, a pessoa terá acesso aos bancos credenciados. Para aumentar o nível da conta, basta entrar no perfil do gov.br, procurar a aba de privacidade/selo de confiabilidade e seguir os passos das validações.

R$ 8 bilhões para devolução

Segundo dados do Banco Central, cerca de R$ 8 bilhões estão parados em bancos ou instituições financeiras, esperando para serem sacados. Paulo Dantas da Costa, vice-presidente do Conselho Federal de Economia (COFECON), diz que os dados são surpreendentes e que podem ajudar na economia em geral. "É um fato importante na medida que os gastos das pessoas têm repercussão na demanda que, por consequência, atinge o setor produtivo pela fabricação de novos produtos", ressalta. 

Na primeira fase, são mais de R$ 3,9 milhões que podem ser devolvidos para mais de 24 milhões de pessoas. Segundo o economista César Bergo, a pessoa que conseguir reaver esse dinheiro pode utilizar esses recursos inesperados para formar um fundo de emergência, pagar as dívidas ou fazer aplicações. “Agora, realmente, a taxa de juros está bem atraente, então vale a pena aplicar em algum ativo de renda fixa. Começando pela própria poupança porque o valor pode ser pequeno ou buscar um fundo de investimento de renda fixa”, explica.

Golpes

O Banco Central também fez um alerta contra os possíveis golpes que podem ser aplicados. Segundo a instituição, é necessário estar atento aos seguintes pontos:

  • O único site para consulta e solicitação desses valores é o valoresareceber.bcb.gov.br;
  • O Banco Central não envia links nem entra em contato para tratar sobre valores a receber ou para confirmar dados pessoais;
  • Ninguém está autorizado a entrar em contato em nome do Banco Central ou do Sistema Valores a Receber. Portanto, nunca clique em links suspeitos enviados por e-mail, SMS ou por aplicativos de mensagem;
  • Não faça qualquer tipo de pagamento para ter acesso aos valores.

Continue Lendo



Receba nossos conteúdos em primeira mão.

LOC: A população já pode consultar se tem algum valor “esquecido” em bancos ou instituições financeiras. Essa consulta só poderá ser feita pelo site https://valoresareceber.bcb.gov.br/. 

Caso o usuário tenha valores a receber, no momento da consulta, ele receberá uma data e um período para consultar e solicitar o saldo existente. As datas serão agendadas de acordo com o ano de nascimento da pessoa ou da criação da empresa. O primeiro grupo a realizar o resgate será os nascidos ou empresas criadas antes de 1968, no dia 7 de março.

Dados do Banco Central mostram que são mais de 8 bilhões de reais parados esperando o saque. O vice-presidente do Conselho Federal de Economia, Paulo Dantas da Costa, diz que os dados são surpreendentes
 

TEC./SONORA: Paulo Dantas da Costa, vice-presidente do Conselho Federal de Economia (COFECON) 
"É um fato importante na medida que os gastos das pessoas têm repercussão na demanda que por via consequência atinge o setor produtivo pela fabricação de novos produtos.
 

LOC.: Na primeira fase, são mais de R$ 3 milhões e 900 mil que podem ser devolvidos para mais de 24 milhões de pessoas. Segundo o economista César Bergo, a pessoa que conseguir reaver esse dinheiro pode utilizar esses recursos inesperados para formar um fundo de emergência, pagar as dívidas ou fazer aplicações. 

TEC./SONORA: César Bergo, economista
“Agora realmente a taxa de juros está bem atraente, então, aplicar em algum ativo de renda fixa. Começando pela própria poupança porque o valor pode ser pequeno mas pode ser aplicado na própria poupança ou buscar um fundo de investimento de renda fixa.”
 

 

 LOC.: O Banco Central também alerta a população sobre possíveis golpes. A instituição afirma que a consulta aos valores é gratuita e que não envia links nem entra em contato  para tratar sobre valores a receber ou para confirmar dados pessoais. Além disso, não se deve clicar em links enviados por e-mail ou mensagens.

Reportagem, Rafaela Soares