No estado, já foram emitidas mais de quatro mil licenciamentos ambientais entre janeiro e setembro deste ano. Foto: Mikael-blomkvist/Pexels
No estado, já foram emitidas mais de quatro mil licenciamentos ambientais entre janeiro e setembro deste ano. Foto: Mikael-blomkvist/Pexels

Tecnologia acelera emissão de licenças ambientais em Pernambuco

O prazo médio para emissão desses licenciamentos é de 59 dias a depender do tipo de empreendimento


Com investimentos em tecnologia, o estado de Pernambuco conseguiu agilizar os processos de liberação do licenciamento ambiental. De acordo com informações da Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade, foram emitidas mais de quatro mil licenças entre janeiro e setembro deste ano.

Segundo o diretor de Controle de Fontes Poluidoras (CPRH), Eduardo Elvino, as obras que estão paradas por falta de licenciamento ambiental se devem ao fato de o pedido ser recente ou à falta de alguma documentação exigida para o licenciamento. Com exceção desses casos, Eduardo Elvio afirma que o estado de Pernambuco é ágil na burocracia para liberação de documentos. 

“No ano de 2021, a CPRH teve um resultado muito significativo quanto à melhoria na emissão das licenças ambientais. Foram gerados 4.293 processos de licenciamento e a média de prazo para emissão desses licenciamentos é de 59 dias. Isso se deve à melhoria no sistema de licenciamento digital da agência e no controle dos processos junto às diretorias das áreas fins”, destacou. 

O licenciamento ambiental é o procedimento necessário para liberar os empreendimentos e atividades que utilizam recursos ambientais e que podem causar degradação ambiental. Acesse aqui para saber quais documentos exigidos pela secretaria. 

Entenda o que são as Áreas de Preservação Permanente (APP)

Outubro Rosa: Brasil estima mais de 66 mil diagnósticos de câncer de mama até o final deste ano

Marco Legal do Licenciamento Ambiental

Há mais de 17 anos o projeto que institui o Marco Legal de Licenciamento Ambiental está em discussão no Congresso Nacional. Agora, como parte das prioridades do governo do presidente Jair Bolsonaro, a Lei Geral de Licenciamento Ambiental (PL 3.729/2004) foi aprovada pela Câmara dos Deputados e está em análise pelo Senado Federal, como Projeto de Lei n° 2159, de 2021.
 
De acordo com a proposta, serão estabelecidas normas gerais para o licenciamento de atividade ou de empreendimento que utiliza recursos ambientais, efetiva ou potencialmente poluidor ou capaz de causar degradação do meio ambiente. A ideia é levar em conta as diferentes lógicas da mineração, da infraestrutura e do agronegócio. 
 
O projeto de lei dispensa da licença ambiental obras de saneamento básico, manutenção de estradas e portos, redes de distribuição de energia, atividades militares e obras emergenciais de infraestrutura. Desta forma, a autoridade poderá ainda abrir mão do licenciamento em obras consideradas de porte insignificante. 
 
Para o presidente da Comissão de Agricultura e Reforma Agrária, o senador Acir Gurgacz (PDT/RO), este projeto é de interesse direto para as gestões públicas por todo o país. "Vamos priorizar a discussão em torno do novo marco legal para o licenciamento ambiental, tema muito ligado à agricultura, ao meio ambiente e à geração de emprego e renda no país", destacou. 

Continue Lendo



Receba nossos conteúdos em primeira mão.

LOC.: Com investimentos em tecnologia, o estado de Pernambuco conseguiu agilizar os processos de licenciamento ambiental. De acordo com informações da Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade, foram emitidas mais de quatro mil licenças entre janeiro e setembro deste ano.

Segundo o diretor de Controle de Fontes Poluidoras, Eduardo Elvino, as obras que estão paradas aguardando o licenciamento ambiental fizeram o pedido recentemente ou não entregaram alguma documentação exigida para. Fora esses casos, Eduardo Elvio afirma que o estado de Pernambuco é ágil na liberação do documento.  
 

TEC./SONORA: diretor de Controle de Fontes Poluidoras (CPRH), Eduardo Elvino.


“No ano de 2021, a CPRH teve um resultado muito significativo quanto à melhoria na emissão das licenças ambientais. Foram gerados 4.293 processos de licenciamento e a média de prazo para emissão desses licenciamentos é de 59 dias. Isso se deve à melhoria no sistema de licenciamento digital da agência e no controle dos processos junto às diretorias das áreas fins”.
 
 

LOC.: Outro ponto que pode colaborar para essa agilidade é o projeto que está em análise no Senado e institui o Marco Legal de Licenciamento Ambiental. Para o presidente da Comissão de Agricultura e Reforma Agrária, o senador Acir Gurgacz (PDT/RO), este projeto é de interesse direto para as gestões públicas por todo o país. 
 

TEC./SONORA: Acir Gurgacz, senador (PDT/RO)
 
"Vamos priorizar a discussão em torno do novo marco legal para o licenciamento ambiental, tema muito ligado à agricultura, ao meio ambiente e à geração de emprego e renda no país.”
 

LOC.: O projeto que institui o Marco Legal de Licenciamento Ambiental está em discussão no Congresso Nacional há mais de 17 anos. A Lei Geral de Licenciamento Ambiental está em análise pelo Senado, depois de ser aprovada pela Câmara dos Deputados.