Foto: Ana Luísa Santos/Brasil 61
Foto: Ana Luísa Santos/Brasil 61

SESI Lab: inauguração de museu interativo traz experiência inclusiva para o público

Atrações culturais, educativas e científicas são voltadas para todos os públicos, em espaço democrático e inclusivo do SESI, em parceria com o SENAI


O SESI Lab abriu as portas para o público no dia 30 de novembro, em Brasília, com proposta inclusiva, inovadora, educativa e democrática. A iniciativa tem atrações culturais, científicas e educativas para o público de todas as idades. É uma parceria do Serviço Social da Indústria (SESI) com o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI). 

O espaço está localizado no coração de Brasília, próximo à Rodoviária do Plano Piloto, no prédio que antes abrigava o Touring Club. O edifício já tem história por si só, pois foi projetado por um dos grandes nomes da arquitetura brasileira: Oscar Niemeyer. Segundo o coordenador de operações do SENAI, Paulo Mól, o museu interativo tem como pilar ser um local acessível para todas as pessoas. 

“O SESI Lab é inclusivo. Ele é inclusivo de várias formas. Então o acesso ao SESI Lab precisaria ser fácil para que as pessoas pudessem chegar até aqui. E tudo aqui é pensado na inclusão. Todas as pessoas podem vir”, afirma Paulo Mól.

O museu reúne cem experimentos interativos em exposição de longa duração, além de programação cultural e mostras temporárias. A expectativa é que o espaço receba 350 mil pessoas a cada ano. Além disso, 85 mil estudantes e três mil professores poderão participar de formações, oficinas, cursos e atividades culturais.

Opção de aprendizado e lazer

A inauguração do SESI Lab movimentou o feriado local do Dia do Evangélico no Distrito Federal, com apresentações musicais, DJs, contações de histórias e performances artísticas. Por isso, muitas pessoas aproveitaram a folga para conhecer o museu interativo, como foi o caso da estudante de mestrado Nathália Feitosa.

“Eu não sou daqui, eu sou de Maceió, cheguei em Brasília há pouco tempo. Mas estava conversando com um pessoal e me falaram sobre a abertura do espaço, e disseram que seria muito legal para designers e eu vim conhecer. Eu tô achando legal, totalmente diferente do que eu já tinha visto”, diz a estudante.

O arquiteto Marcel Santana aproveitou o feriado para levar a filha Maia, apaixonada por ciências, para curtir o mais novo espaço dedicado ao tema. 

“Estou achando muito interessante. A Maia gosta muito de ciências e a gente estava sentindo falta de um espaço desses em Brasília, e agora tem uma atividade diferente para as crianças. É bem interessante, ela está gostando muito”, diz o arquiteto.

Inspiração

A implementação do projeto contou com a assessoria técnica de um dos principais centros interativos do mundo, localizado em São Francisco, nos Estados Unidos, o Exploratorium. Esse laboratório público de aprendizagem, criado pelo físico Frank Oppenheimer, tem como fundamento o ensino da ciência, por meio da interação com a arte, de forma lúdica e interativa. 

O espaço recém-inaugurado também deu vida a um painel de azulejos inédito de Athos Bulcão. O projeto do artista havia sido criado para o antigo Touring Club, mas nunca havia sido executado. O museu também conta com uma cafeteria e uma loja de produtos autorais.

Durante todo o mês de dezembro, a entrada no SESI Lab será gratuita, mas é necessário retirar os ingressos com antecedência via internet, pela plataforma Sympla. Após esse período, a entrada inteira custará R$ 20 e a meia-entrada, válida para estudantes, idosos e professores, será de R$ 10. O museu abre de terça a sexta-feira, das 9h às 18h, e aos sábados e domingos, das 10h às 19h.

Continue Lendo



Receba nossos conteúdos em primeira mão.

LOC.: O SESI Lab abriu as portas para o público no dia 30 de novembro, em Brasília, com proposta inclusiva, inovadora, educativa e democrática. O espaço oferece atrações culturais, científicas e educativas para o público de todas as idades. A iniciativa é uma parceria do Serviço Social da Indústria, o SESI, com o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial, o SENAI. 

O SESI Lab está localizado no coração de Brasília, próximo à Rodoviária do Plano Piloto, no prédio que antes abrigava o Touring Club. O edifício já tem história por si só, pois foi projetado por um dos grandes nomes da arquitetura brasileira: Oscar Niemeyer. Segundo o coordenador de operações do SENAI, Paulo Mól, o museu interativo tem como pilar ser um local acessível para todas as pessoas. 

TÉC./SONORA: Paulo Mól, coordenador de operações do SENAI.
“O SESI Lab é inclusivo. Ele é inclusivo de várias formas. Então o acesso ao SESI Lab precisaria ser fácil para que as pessoas pudessem chegar até aqui. E tudo aqui é pensado na inclusão. Todas as pessoas podem vir.”


LOC.: O museu abriga cem experimentos interativos neste primeiro momento, além de programação cultural e mostras temporárias. A expectativa é que o espaço receba 350 mil pessoas por ano. Além disso, 85 mil estudantes e três mil professores vão poder participar de formações, oficinas, cursos e atividades culturais.

Muitas pessoas aproveitaram o feriado local do Dia do Evangélico no Distrito Federal para conhecer o museu interativo, como foi o caso da estudante de mestrado Nathália Feitosa.

TÉC./SONORA: Nathália Feitosa, estudante de mestrado.
“Eu não sou daqui, sou de Maceió, cheguei em Brasília há pouco tempo. Mas estava conversando com um pessoal e me falaram sobre a abertura do espaço, e disseram que seria muito legal para designers e eu vim conhecer. Eu tô achando legal, totalmente diferente do que eu já tinha visto.”


LOC.: O arquiteto Marcel Santana aproveitou o feriado para levar a filha Maia, apaixonada por ciências, para curtir o mais novo espaço dedicado ao tema. 

TÉC./SONORA: Marcel Santana, arquiteto.
“Estou achando muito interessante. A Maia, minha filha, gosta muito de ciências e a gente estava sentindo falta de um espaço desses em Brasília, e agora tem uma atividade diferente para as crianças. É bem interessante, ela está gostando muito.”
 


LOC.:  Durante todo o mês de dezembro, a entrada no SESI Lab vai ser de graça, basta retirar os ingressos com antecedência pela internet, na plataforma Sympla. Depois desse período, a entrada inteira vai custar vinte reais. E a meia-entrada vai valer para estudantes, idosos e professores. O museu abre de terça a sexta-feira, das 9h da manhã às 6h da tarde, e aos sábados e domingos, das 10h da manhã às 7h da noite.

Reportagem, Ana Luísa Santos.