Foto: Antônio Augusto / Ascom - TSE
Foto: Antônio Augusto / Ascom - TSE

Proposta do voto impresso auditável é derrubada na Câmara dos Deputados

A PEC precisava de 308 votos favoráveis na Casa para seguir em discussão no Congresso Nacional


O plenário da Câmara dos Deputados derrubou a Proposta de Emenda Constitucional que criaria o voto impresso auditável nas eleições do país. Em sessão desta terça-feira (10), 229 deputados votaram contra a matéria e 218 a favor da aprovação. A PEC precisaria de 308 votos favoráveis para continuar a ser discutida no Congresso Nacional.  

Entenda porquê a gasolina está cara no Brasil

A deputada federal, Bia Kicis (PSL-DF), autora da proposta, destacou que a matéria seria importante para dar mais segurança e transparência ao sistema eleitoral brasileiro, no entanto, a fala não foi suficiente para convencer o parlamento.

A PEC 135 foi apresentada na Câmara dos Deputados em dezembro de 2019 e, devido à pandemia da Covid-19, esteve na ‘geladeira’ até maio de 2021. A matéria foi encaminhada para comissão especial onde teve parecer final reprovado pelo colegiado. Mesmo assim, o presidente da Casa, Arthur Lira (PP/AL), colocou a PEC em votação no Plenário da Câmara, onde foi enterrada definitivamente, após a reprovação dos parlamentares.

Mineração e sociedade: empresas concentram forças para ajudar comunidades a superar problemas na pandemia

Continue Lendo



Receba nossos conteúdos em primeira mão.

LOC: O plenário da Câmara dos Deputados derrubou a Proposta de Emenda Constitucional que criaria o voto impresso auditável nas eleições do país. Em sessão desta terça-feira (10), 229 deputados votaram contra a matéria e 218 a favor da aprovação. A PEC precisaria de 308 votos favoráveis para continuar a ser discutida no Congresso Nacional.  

A deputada federal, Bia Kicis (PSL-DF), autora da proposta, destacou que a matéria seria importante para dar mais segurança e transparência ao sistema eleitoral brasileiro, no entanto, a fala não foi suficiente para convencer o parlamento.

A PEC 135 foi apresentada na Câmara dos Deputados em dezembro de 2019 e, devido à pandemia da Covid-19, esteve na ‘geladeira’ até maio de 2021. A matéria foi encaminhada para comissão especial onde teve parecer final reprovado pelo colegiado. Mesmo assim, o presidente da Casa, Arthur Lira (PP/AL), colocou a PEC em votação no Plenário da Câmara, onde foi enterrada definitivamente, após a reprovação dos parlamentares. 

Reportagem, Cristiano Ghorgomillos