Secretário nacional de Segurança Hídrica do MDR, Sérgio Costa, assinou ordem de serviço para elaboração de projetos básico e executivo e implantação dos 117 sistemas de irrigação em Cabrobó. Foto: Mariana Barros/MDR
Secretário nacional de Segurança Hídrica do MDR, Sérgio Costa, assinou ordem de serviço para elaboração de projetos básico e executivo e implantação dos 117 sistemas de irrigação em Cabrobó. Foto: Mariana Barros/MDR

Pernambuco: 117 famílias serão beneficiadas com sistema de irrigação no interior do estado

O Ministério do Desenvolvimento Regional está investindo mais de R$ 11 milhões para melhorar a qualidade de vida das famílias em Vilas Produtivas Rurais na comunidade indígena Truká, ambas na cidade de Cabrobó (PE)


Os moradores de uma pequena região, no interior de Pernambuco, serão beneficiados com a instalação dos primeiros sistemas de irrigação em Vilas Produtivas Rurais (VPRs) que integram programas socioambientais do Projeto de Integração do Rio São Francisco. Isso porque o Governo Federal, por meio do Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR), está investindo R$ 11,7 milhões para melhorar a qualidade de vida de aproximadamente 117 famílias na VPR Captação e na comunidade indígena Truká, ambas na cidade de Cabrobó (PE).

As obras estão previstas para começar em outubro e devem durar 20 meses. Neguinho Truká, que é cacique do povoado indígena, comemorou a chegada de investimentos para apoiar a produção agrícola. “E quando se investe em um território indígena, o senhor pode ter certeza que está fomentando a economia local. Porque isso gera emprego, gera renda. Faz com que a nossa juventude não precise migrar para os grandes centros”, comentou. 

Para o secretário Nacional de Segurança Hídrica do MDR, Sérgio Costa, esse tipo de ação é uma forma de levar prosperidade e saúde para essas famílias. “Água é vida, água é desenvolvimento, água traz dignidade às pessoas. E é isso o que temos buscado trazer no Ministério do Desenvolvimento Regional, por meio de diversas obras com foco em garantir segurança hídrica para a população brasileira, sobretudo na Região Nordeste”, destaca Costa.

Desta forma, foi assinada a ordem de serviço para elaboração de projetos básico e executivo e implantação dos sistemas de irrigação. Na VPR Captação, serão 17 hectares de área irrigada e na comunidade indígena Truká, 100 hectares. As obras estão previstas para começar em outubro e devem durar 20 meses. Cada lote familiar tem um hectare destinado à irrigação e vai contar com um sistema.

Complicações por doenças cardíacas podem matar 400 mil em 2021

Ministério da Saúde alerta sobre a importância da doação de sangue

A ação em Cabrobó (PE) faz parte do Programa de Fornecimento de Água e Apoio Técnico para Pequenas Atividades de Irrigação ao Longo dos Canais para as Comunidades Agrícolas – que é um dos 38 programas socioambientais do Projeto de Integração do Rio São Francisco. 

Por isso, a proposta é melhorar as condições socioeconômicas e culturais da região, com a implementação da irrigação de pequeno porte e assistência técnica como forma de garantir a melhoria da produção e diversidade de culturas nas pequenas propriedades ao longo dos canais do Projeto de Integração do Rio São Francisco.

O investimento inicial no Programa de Fornecimento de Água e Apoio Técnico para Pequenas Atividades de Irrigação ao Longo dos Canais para as Comunidades Agrícolas é de cerca de R$ 78 milhões. As ações vão beneficiar 703 famílias de 13 VPRs, e a etnia Truká no Ceará, na Paraíba e em Pernambuco.

Projeto de Integração do Rio São Francisco

O Projeto de Integração do Rio São Francisco pretende levar água de qualidade para 12 milhões de brasileiros de 390 municípios dos estados do Ceará, Paraíba, Pernambuco e Rio Grande do Norte. O empreendimento hídrico é composto por dois eixos de transferência de água: Norte, com 260 quilômetros de extensão; e Leste, com 217 quilômetros. As estruturas captam a água do Rio São Francisco, no interior de Pernambuco, para abastecer adutoras e ramais que vão perenizar rios e açudes existentes na região.

Vilas Produtivas Rurais

O Projeto de Integração do Rio São Francisco mudou a realidade dos moradores na faixa de implantação das obras. Ao todo, 848 famílias foram reassentadas em 18 Vilas Produtivas Rurais nos estados do Ceará, da Paraíba e de Pernambuco.

As VPRs contam com casas de 99m², postos de saúde, escolas, praças, quadras poliesportivas, campo de futebol, centro comunitário, além de rede de água, esgoto e energia elétrica. Os moradores também recebem setores produtivos, com no mínimo cinco hectares por beneficiário, sendo um destinado à irrigação.

As famílias contam, ainda, com visitas periódicas de técnicos do MDR e participam de capacitações e oficinas, que têm o objetivo de garantir a reinserção e a organização socioeconômica dessas comunidades.

Continue Lendo



Receba nossos conteúdos em primeira mão.

LOC: O Governo Federal vai investir quase 12 milhões de reais para instalar os primeiros sistemas de irrigação em uma Vila Produtiva Rural construída ao longo do Projeto de Integração do Rio São Francisco e em uma comunidade indígena. Ao todo, serão beneficiadas 117 famílias na VPR Captação e na aldeia Truká, ambas em Cabrobó, interior de Pernambuco.

Serão 17 hectares de área irrigada na VPR Captação e 100 hectares na comunidade indígena Truká. Os recursos repassados pelo Ministério do Desenvolvimento Regional, o MDR, vão custear a elaboração de projetos básico e executivo e a implantação dos 117 sistemas de irrigação, um por família beneficiada.

Sérgio Costa, secretário nacional de Segurança Hídrica do MDR, destacou o impacto positivo dos sistemas de irrigação para as comunidades beneficiadas.
 

TEC./SONORA: Sérgio Costa, secretário nacional de Segurança Hídrica do MDR.

“Água é vida. Água é desenvolvimento. Água traz dignidade às pessoas. E é o isso o que a gente vem procurando trazer no Ministério do Desenvolvimento Regional, através da Secretaria de Segurança Hídrica”.
 

LOC: As obras estão previstas para começar em outubro e devem durar 20 meses. Neguinho Truká, que é cacique do povoado indígena, comemorou a chegada de investimentos para apoiar a produção agrícola.
 

TEC./SONORA: Neguinho Truká, personagem. 

“E quando se investe em um território indígena, o senhor pode ter certeza que está fomentando a economia local. Porque isso gera emprego, gera renda. Faz com que a nossa juventude não precise migrar para os grandes centros”.
 

LOC: Para a cacique Ana Clécia, os investimentos vão ajudar muito os produtores da comunidade.

TEC./SONORA: Ana Clécia, personagem. 

“O povo Truká se sente honrado em receber essa obra, que irá contribuir com os pequenos agricultores, que produzem muito aqui nessa terra”.
 

LOC: Para saber mais sobre essa e outras ações de segurança hídrica do Ministério do Desenvolvimento Regional, acesse mdr.gov.br.