Foto: Valter Campanato/Agência Brasil
Foto: Valter Campanato/Agência Brasil

Novo PAC Saúde: prazo para a solicitação de Unidades Odontológicas Móveis vai até 10 de novembro

As unidades têm como objetivo reduzir as desigualdades na obtenção de tratamentos odontológicos e terão geradores de energia acoplados para poderem alcançar locais sem energia elétrica


Até o dia 10 de novembro, prefeitos e secretarias de saúde municipais e do Distrito Federal podem solicitar Unidades Odontológicas Móveis (UOM) pelo novo Programa de Aceleração do Crescimento (Novo PAC Saúde). As unidades têm como objetivo reduzir as desigualdades na obtenção de tratamentos odontológicos e terão geradores de energia acoplados para poderem alcançar locais sem energia elétrica.

A cirurgiã-dentista Mariana Oliveira avalia que esse suporte trará melhor qualidade na saúde bucal, pois irá diminuir a desigualdade na obtenção desses serviços. Mariana explica que as unidades móveis serão equipadas com utensílios necessários para diversos tipos de tratamentos, como restaurações de cáries e extrações de sisos.

“A saúde inicia pela boca e a consciência e a informação sobre saúde bucal para a população é muito importante e vai tornar mais acessível essas informações, esses serviços de prevenção, serviços de tratamentos de cárie, tratamentos odontológicos mais completos”, expõe.

Para solicitar o UOM, basta acessar o site transferegov.com.br e preencher o que se pede.

Requisitos para inscrição

  • Preenchimento da carta-consulta eletrônica;
  • Resolução do Conselho Municipal de Saúde que aprova a proposta de UOM;
  • DCCS - Declaração de Compromisso com Custeio dos Serviços, em que o município se compromete com o co-financiamento do custeio das equipes de saúde bucal;
  • Declaração de Compromisso com os Serviços de Emplacamento e Seguro dos Veículos.

De acordo com o Ministério da Saúde, 202 municípios serão selecionados nesta fase, com um investimento de R$ 103,8 milhões. A Pasta fará a compra centralizada das UOMs e, em seguida, as doará. A escolha dos municípios levará em consideração critérios como densidade demográfica, extensão territorial e vulnerabilidade socioeconômica.

Problemas dentários

Os problemas bucais podem ter impacto na saúde de maneira geral. No Brasil, a cárie está entre as doenças bucais mais comuns, segundo dados preliminares da última edição do SB Brasil – Pesquisa Nacional de Saúde Bucal. Segundo o relatório, crianças com 5 anos de idade apresentam o maior número de casos. 
De acordo com o estudo, a necessidade de tratamento eletivo é a mais frequente para todos os grupos etários: 5 anos (29,8%), 12 anos (35,3%), 15-19 anos (35,0), 35-44 anos (48,4%) e 65 a 74 anos (44,9%). Os idosos foram os que apresentaram maior percentual de necessidade de encaminhamento para avaliação abrangente ou tratamento médico/odontológico (condição sistêmica). Os números ainda podem sofrer alterações ao final do levantamento. 

Veja Mais:

Cárie está entre as doenças bucais mais comuns no Brasil
 

Receba nossos conteúdos em primeira mão.

LOC.: Até o dia 10 de novembro, prefeitos e secretarias de saúde municipais e do Distrito Federal podem solicitar Unidades Odontológicas Móveis pelo Novo PAC Saúde. As unidades têm como objetivo reduzir as desigualdades na obtenção de tratamentos odontológicos e terão geradores de energia acoplados para poderem alcançar locais sem energia elétrica.

A cirurgiã dentista Mariana Oliveira avalia que esse suporte trará melhor qualidade na saúde bucal, pois irá diminuir a desigualdade na obtenção desses serviços. 
 

TEC./SONORA: Mariana Oliveira - cirurgiã dentista

“A saúde inicia pela boca e a consciência e a informação sobre saúde bucal para a população é muito importante e vai tornar mais acessível essas informações, esses serviços de prevenção, serviços de tratamentos de cárie, tratamentos odontológicos mais completos.”
 


LOC.: Para solicitar a Unidade Odontológica Móvel, basta acessar o site idp.transferegov.sistema.gov.br e preencher o que é pedido.

De acordo com o Ministério da Saúde, para a inscrição, os municípios devem enviar a Carta-consulta eletrônica, obter aprovação do Conselho Municipal de Saúde, comprometer-se com o cofinanciamento e assegurar emplacamento e seguro dos veículos. A Pasta selecionará 202 municípios, investindo R$ 103,8 milhões e serão levados em considerando densidade demográfica, extensão territorial e vulnerabilidade socioeconômica.

Reportagem, Sophia Stein