Foto: Marco Santos/Agência Pará
Foto: Marco Santos/Agência Pará

Ministério da Saúde autoriza mais leitos de suporte pulmonar para 16 estados

Valor do repasse mensal é de mais de R$ 5,2 milhões


Ministério da Saúde autorizou, nesta quinta-feira (10), mais 364 leitos de Suporte Ventilatório Pulmonar para atendimento exclusivo aos pacientes confirmados ou com suspeita de Covid-19. Os equipamentos vão reforçar os atendimentos no Sistema Único de Saúde (SUS).

Covid-19: Anvisa autoriza pesquisa clínica da vacina Butanvac

Covid-19: Brasil registra 2.723 mortes e 85 mil novos casos em 24 horas

Pesquisa da UFV acompanha e prevê a disseminação da Covid-19 no país

As autorizações, em caráter excepcional e temporário, são destinadas para os estados do Amazonas, da Bahia, do Ceará, Maranhão, de Minas Gerais, Pernambuco, do Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, de Santa Catarina, São Paulo, do Pará, Rio Grande do Norte, de Goiás, Mata Grosso, da Paraíba e do Paraná. 

O valor do repasse mensal é de mais de R$ 5,2 milhões, correspondente aos meses de maio e junho de 2021. Desde o início do ano, mais de 3,1 mil leitos desse tipo foram autorizados, totalizando um investimento de R$ 176,3 milhões da pasta.

Continue Lendo



Receba nossos conteúdos em primeira mão.

Ministério da Saúde autorizou, nesta quinta-feira (10), mais 364 leitos de Suporte Ventilatório Pulmonar para atendimento exclusivo aos pacientes confirmados ou com suspeita de Covid-19. Os equipamentos vão reforçar os atendimentos no Sistema Único de Saúde (SUS).

As autorizações, em caráter excepcional e temporário, são destinadas para os estados do Amazonas, da Bahia, do Ceará, Maranhão, de Minas Gerais, Pernambuco, do Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, de Santa Catarina, São Paulo, do Pará, Rio Grande do Norte, de Goiás, Mata Grosso, da Paraíba e do Paraná. 

O valor do repasse mensal é de mais de R$ 5,2 milhões, correspondente aos meses de maio e junho de 2021. Desde o início do ano, mais de 3,1 mil leitos desse tipo foram autorizados, totalizando um investimento de R$ 176,3 milhões da pasta.

Reportagem, Larissa Lago