Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil
Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil

MEI: Brasil tem mais de 14 milhões de microempreendedores individuais

A figura jurídica do MEI foi instituída em 2008 para tirar pequenos empreendedores e profissionais autônomos da informalidade


Por conta da crise econômica provocada pela pandemia, muitos brasileiros tiveram que se adaptar a uma nova realidade. Nesse contexto, muitos viram no empreendedorismo uma nova oportunidade de renda. Em 2022, o Brasil passou a ter mais de 14 milhões de microempreendedores individuais (MEI) inscritos. O total representa um grande avanço, já que coloca a categoria entre as maiores políticas públicas de inclusão produtiva do mundo.

Matheus Yuri da Silva, de 28 anos, é um desses empresários. Ele conta que há cerca de 3 anos abriu um pet shop, por se tratar de um setor em que já tinha atuado como empregado. Com o intuito de adquirir renda e experiência, Matheus se tornou MEI, e hoje é proprietário de duas lojas.

“Hoje em dia, muitas pessoas estão preferindo ter animais de estimação do que mesmo filhos. Então, arrisquei todas as fichas nesse mercado e, hoje, vejo que estamos crescendo. Em 2020, abrimos nossa primeira loja, e a segunda foi aberta em 2022. Estamos crescendo gradativamente”, destaca. 

MEI: projeto de lei pode alterar regras em 2022

Emissão da nota fiscal de serviço eletrônica é implantada para o Microempreendedor Individual

BNDES reabre programa de acesso ao crédito para MEI, micro e pequenas empresas

A figura jurídica do MEI foi instituída em 2008 para tirar pequenos empreendedores e profissionais autônomos da informalidade. Ao se formalizar como MEI, o empreendedor passa a ter um CNPJ próprio, a ter acesso aos benefícios da Previdência Social e à possibilidade de emitir notas fiscais. Além disso, conta com a possibilidade de contratação de um funcionário.

Como ser MEI?

Para conseguir registro como microempreendedor individual, é preciso que a área de atuação do profissional conste na lista oficial da categoria, uma vez que o MEI foi criado com o intuito de tornar pequenos empresários trabalhadores formais. 

Para ser MEI é necessário faturar até R$ 81 mil. Além disso, o interessado não pode ter participação em outra empresa como sócio ou titular, entre outras exigências. O custo para ser MEI é apenas a despesa com o pagamento mensal do Simples Nacional. 
 

Continue Lendo



Receba nossos conteúdos em primeira mão.

LOC.: Por conta da crise econômica provocada pela pandemia, muitos brasileiros tiveram que se adaptar a uma nova realidade. Nesse contexto, muitos viram no empreendedorismo uma nova oportunidade. 

Em 2022, o Brasil passou a ter mais de 14 milhões de inscritos como MEIs, os microempreendedores individuais. O total representa um grande avanço, já que coloca a categoria entre as maiores políticas públicas de inclusão produtiva do mundo.

Matheus Yuri da Silva, de 28 anos, é um desses empresários. Ele conta que há cerca de 3 anos abriu um pet shop, por se tratar de um setor em que já tinha atuado como empregado. Matheus se tornou MEI, e hoje é proprietário de duas lojas.
 

TEC./SONORA: Matheus Yuri da Silva, empresário 

“Hoje em dia, muitas pessoas estão preferindo ter animais de estimação do que mesmo filhos. Então, arrisquei todas as fichas nesse mercado e hoje, vejo que estamos crescendo. Em 2020, abrimos nossa primeira loja, e a segunda foi aberta em 2022. Estamos crescendo gradativamente.”
 

LOC.: A figura jurídica do microempreendedor individual foi instituída em 2008 para tirar pequenos empreendedores e profissionais autônomos da informalidade. Ao se formalizar como MEI, a pessoa passa a ter um CNPJ próprio, acesso aos benefícios da Previdência Social e pode emitir notas fiscais. Além disso, conta com a possibilidade de contratar um funcionário.

Para ser MEI é necessário faturar até R$ 81 mil por ano. Além disso, o interessado não pode ter participação em outra empresa como sócio ou titular, entre outras exigências.  O custo para ser MEI é apenas a despesa com o pagamento mensal do Simples Nacional.

Reportagem, Marquezan Araújo