Fabio Rodrigues-Pozzebom/ Agência Brasil
Fabio Rodrigues-Pozzebom/ Agência Brasil

Mais de 9 milhões de doses da vacina bivalente contra covid-19 já foram aplicadas no Brasil

A vacina bivalente é voltada para pessoas com maior risco de desenvolver formas graves da doença

ÚLTIMAS SOBRE VACINAÇÃO


Até o momento, mais de 9 milhões de doses de imunizantes bivalentes contra a Covid-19 foram aplicadas no Brasil. As vacinas são utilizadas como reforço em grupos com maior risco de desenvolver formas graves da doença, como idosos a partir de 60 anos, pessoas imunocomprometidas a partir de 12 anos, gestantes e puérperas.

Para ter acesso a dose de reforço bivalente é necessário estar com o ciclo vacinal completo, como explica a infectologista Larissa Tiberto. “Estar com o cronograma vacinal completo é fundamental manter a memória imunológica, a fim de diminuir a contaminação e evitar casos graves da doença, o que diminui a mortalidade no mundo inteiro”, ponderou.

A especialista destaca a segurança do imunizante e a importância da responsabilidade de cada indivíduo para acabar com os casos de covid-19: “A vacina bivalente é uma vacina segura, que protege contra variante ômicron e suas subvariantes. Só fazendo uma proteção preventiva que teremos chances de acabar de vez com a pandemia”, explicou.

Segundo dados do Ministério da Saúde, dentre o total de doses aplicadas, 1,5 milhão foram em pessoas de 60 a 64 anos; 1,6 milhão em pessoas de 65 a 69 anos; 1,6 milhão em pessoas de 70 a 74 anos; 1,1 milhão para os de 75 a 79 anos e 1,2 milhão no público de 80 anos ou mais.

Completar o ciclo vacinal é a forma mais eficaz para se proteger contra o vírus  da Covid-19. Se você está com alguma dose em atraso, procure a unidade de saúde mais próxima para se vacinar, mesmo que não esteja no grupo prioritário. 

Receba nossos conteúdos em primeira mão.

LOC.: Até o momento, mais de 9 milhões de doses de imunizantes bivalentes contra a Covid-19 foram aplicadas no Brasil. As vacinas são utilizadas como reforço em grupos com maior risco de desenvolver formas graves da doença, como idosos, pessoas imunocomprometidas a partir de 12 anos, gestantes e puérperas. Para ter acesso a dose de reforço bivalente é necessário estar com o ciclo vacinal completo, como explica a infectologista Larissa Tiberto.

TEC./SONORA: Larissa Tiberto - infectologista

“Estar com o cronograma vacinal completo é fundamental para manter a memória imunológica a fim de diminuir a contaminação e evitar os casos graves da doença, o que diminui também a mortalidade no mundo inteiro.”
 


LOC.: A especialista destaca a segurança do imunizante e a importância da responsabilidade de cada indivíduo para acabar com os casos de covid-19.

TEC./SONORA: infectologista Larissa Tiberto
“A vacina bivalente é uma vacina segura, que protege contra variante ômicron e suas sub variantes. Só fazendo uma proteção preventiva que teremos chances de acabar de vez com a pandemia.”
 


LOC.: Segundo dados do Ministério da Saúde, dentre o total de doses aplicadas 1,5 milhão foram em pessoas de 60 a 64 anos; 1,6 milhão em pessoas de 65 a 69 anos; 1,6 milhão em pessoas de 70 a 74 anos; 1,1 milhão para os de 75 a 79 anos e 1,2 milhão no público de 80 anos ou mais.

Completar o ciclo vacinal é a forma mais eficaz para se proteger contra o vírus  da Covid-19. Se você está com alguma dose em atraso, procure a unidade de saúde mais próxima para se vacinar, mesmo que não esteja no grupo prioritário. 

Reportagem, Janine Gaspar