Foto: Min. Infraestrutura/Divulgação
Foto: Min. Infraestrutura/Divulgação

Leilão do 5G vai diminuir desigualdades regionais na cobertura de internet em rodovias

Quase 36 mil quilômetros de rodovias federais vão receber cobertura de internet graças ao certame. A Região Nordeste será a principal beneficiada, com mais de 11 mil km de cobertura


A desigualdade de cobertura de internet vai diminuir após o Leilão do 5G, principalmente nas rodovias federais, que devem receber o 4G em sua totalidade, de norte a sul, até 2029. Foi o que explicou Marcos Ferrari, presidente da Conexis Brasil Digital, sindicato nacional das empresas de telefonia. O gestor foi um dos convidados do 1º Fórum ITL de Inovação do Transporte, promovido pela Confederação Nacional do Transporte, nessa quarta-feira (9). Com o tema “Novas tecnologias e conectividade nas rodovias brasileiras”, o evento destacou o papel da conectividade nas vias no que diz respeito à evolução da segurança e o melhor desenvolvimento de diversos setores, como transporte, indústria e agronegócio.

Marcos Ferrari ressaltou que o leilão do 5G corrigiu um erro do passado, quando os editais do 3G e do 4G sequer previam a instalação da conexão nas rodovias do país. Ele explica que isso deixou cerca de 60% das estradas brasileiras completamente desconectadas, principalmente nas regiões Norte e Nordeste, causando uma grande desigualdade.

“Nós temos 40% de cobertura nas rodovias federais com 4G, mas de maneira muito díspar. A gente vê que alguns estados têm menor cobertura ou muito pouca, e outros têm maior cobertura”, apontou o gestor.

Segundo Ferrari, enquanto mais de 90% das rodovias próximas ao Distrito Federal possuem cobertura 4G, e mais de 80% das vias no Rio de Janeiro e São Paulo estão conectadas, estados como Rondônia, Mato Grosso, Acre, Pará, Roraima e Amapá possuem menos de 30% de cobertura. A pior situação é registrada no Amazonas, com apenas 4,6% das rodovias recebendo sinal de internet.

A cobertura de 4G em todas as rodovias federais só será possível graças ao Leilão do 5G não arrecadatório, cujo dinheiro será direcionado à instalação da nova tecnologia em todo o país e para a resolução de antigos problemas de conectividade, como é o caso das rodovias. A Winity II, compradora da faixa de 700 MHz, terá obrigação de construir uma rede de telefonia móvel com tecnologia 4G que esteja disponível em 35,7 mil quilômetros de rodovias federais. A região Nordeste será a principal beneficiada, com mais de 11 mil quilômetros de cobertura.

O secretário de Telecomunicações do Ministério das Comunicações, Artur Coimbra, lembrou que o edital prevê a cobertura com tecnologia no mínimo 4G nas rodovias, ou seja, alguns trechos podem contar já com a quinta geração de internet. Deste modo, tanto uma quanto a outra serão importantes para o desenvolvimento de diversos modais em todas as estradas federais. “Isso é importante por várias razões. Por razões logísticas, você tem questões de monitoramento de carga, veículos autônomos, que é algo que é algo incipiente, mas tende a crescer nos próximos anos. Mas também do ponto de vista de segurança viária, você ter um meio de se comunicar em caso de uma emergência”, ressalta o secretário.

O ministro de Ciência, Tecnologia e Inovação, Marcos Pontes, foi outro participante do Fórum a exaltar os benefícios das rodovias conectadas, principalmente para o setor produtivo. “A gente fala em melhorar a eficiência, melhorar o tempo entre os pontos, melhorar a capacidade de carga, com a redução de peso, melhorar o controle de fluxo dos veículos de forma geral, melhorar a segurança da operação, pois a tecnologia ajuda a aumentar o nível de segurança contra roubos, além da redução de acidentes, já que os motoristas podem perceber e reagir a essas condições de risco”, enumerou o ministro.

Cobertura total em oito anos

O investimento para levar cobertura de internet a todas as rodovias pavimentadas do País será feito pela Winity II, empresa que arrematou a faixa de radiofrequência de 700 MHz e que passa a ser a quinta operadora de alcance nacional do Brasil. No edital do lote, que excedeu em R$ 1,2 bilhão (805%) o preço mínimo estipulado, ficou prevista a total cobertura para os próximos oito anos.

Entre as metas estabelecidas, estão a implementação da tecnologia em 10% das estradas federais até dezembro de 2023 e a evolução ano a ano, com a totalização da conectividade nos 37 mil quilômetros até dezembro de 2029.

Ao todo, 2.349 trechos pavimentados que atualmente não recebem a internet estarão conectados. A cobertura abrange todos os estados, mas principalmente as rodovias de regiões que ainda não contam com infraestrutura de conectividade. O objetivo é levar a conectividade a rodovias importantes como a BR-116 (maior do país), a BR-101 (que passa pelo litoral brasileiro), a BR-163 (fundamental para o escoamento de grãos do agronegócio) e a BR-230 (Transamazônica). 

Quilômetros com cobertura 4G por região

  • Região Nordeste - 11,2 mil quilômetros
  • Centro-Oeste - 7,5 mil quilômetros
  • Norte - 7,2 mil quilômetros
  • Sudeste - 5,2 mil quilômetros
  • Sul  - 4,4 mil quilômetros
     

Continue Lendo



Receba nossos conteúdos em primeira mão.

LOC.: A falta de internet em mais da metade das rodovias federais está com os dias contados. O Leilão do 5G e a obrigatoriedade de levar a conectividade às principais vias do país vai diminuir a desigualdade regional, já que menos de 30% dos trechos que passam pelo Norte e pelo Nordeste estão conectados à internet.

Foi o que ressaltou Marcos Ferrari, presidente da Conexis Brasil Digital, sindicato nacional das empresas de telefonia, no 1º Fórum ITL de Inovação do Transporte, promovido pela Confederação Nacional do Transporte, na última quarta-feira (9).
 

TEC. SONORA: Marcos Ferrari, presidente da Conexis Brasil Digital

“Nós temos 40% de cobertura nas rodovias federais com 4G, mas de maneira muito díspar. A gente vê que alguns estados tem menor cobertura ou muito pouca, e outros têm maior cobertura”
 


LOC.: A empresa que venceu o certame referente à faixa de 700 megahertz, terá obrigação de construir uma rede de telefonia móvel com tecnologia 4G em todas as rodovias federais do país, cobrindo cerca de 36 mil quilômetros. Estados como Rondônia, Mato Grosso, Acre, Pará, Roraima e Amapá possuem menos de 30% de cobertura. E a pior situação é registrada no Amazonas, com apenas 4,6% das rodovias recebendo sinal de internet.

O secretário de Telecomunicações do Ministério das Comunicações, Artur Coimbra, destacou que são vários os benefícios de ter as rodovias federais conectadas.
 

TEC. SONORA: Artur Coimbra, secretário de Telecomunicações do Ministério das Comunicações

“Isso é importante por várias razões. Por razões logísticas, você tem questões de monitoramento de carga, veículos autônomos, que é algo que é algo incipiente, mas tende a crescer nos próximos anos. Mas também do ponto de vista de segurança viária, você ter um meio de se comunicar em caso de uma emergência”
 


LOC.: Segundo o edital, a prestadora do serviço que venceu o leilão tem até dezembro de 2023 para levar internet a pelo menos 10% das rodovias federais. O restante deve receber o 4G até dezembro de 2029.

Reportagem, Luciano Marques