Café. Foto: Arquivo/EBC
Café. Foto: Arquivo/EBC

INDICADORES: café registra redução no preço nesta segunda-feira (7)

No mercado financeiro, o preço da saca de 60 quilos do milho teve salto de 0,44% e é negociada a R$ 98,15


A saca de 60 quilos do café arábica começou a segunda-feira (7) com queda de 0,35% no preço e é vendida a R$ 1.325,98 na cidade de São Paulo. O café robusta também teve redução no valor. A baixa foi de 0,67% a saca é comercializada a R$ 767,95 para retirada no Espírito Santo. 

O açúcar cristal teve aumento de 1,74% no preço e o produto é vendido a R$ 135,30 em São Paulo. Em Santos, no litoral paulista, o valor da saca de 50 quilos, sem impostos, subiu 1,57% e a mercadoria é comercializada a R$ 134,23.

Fertilizantes: Suspensas exportações para o mercado brasileiro

OBESIDADE: 26% dos brasileiros poderão estar acima do peso em 2030

No mercado financeiro, o preço da saca de 60 quilos do milho teve salto de 0,44% e é negociada a R$ 98,15. Em Cascavel, no Paraná, o preço é R$ 96. Em Rondonópolis, no Mato Grosso, o milho é vendido a R$ 83. Em Uberaba, Minas Gerais, o preço à vista é R$ 91. Os valores são do Canal Rural e Cepea. 

 

Continue Lendo



Receba nossos conteúdos em primeira mão.

LOC.: A saca de 60 quilos do café arábica começou a segunda-feira (7) com queda de 0,35% no preço e é vendida a R$ 1.325,98 na cidade de São Paulo. O café robusta também teve redução no valor. A baixa foi de 0,67% a saca é comercializada a R$ 767,95 para retirada no Espírito Santo. 

O açúcar cristal teve aumento de 1,74% no preço e o produto é vendido a R$ 135,30 em São Paulo. Em Santos, no litoral paulista, o valor da saca de 50 quilos, sem impostos, subiu 1,57% e a mercadoria é comercializada a R$ 134,23.

No mercado financeiro, o preço da saca de 60 quilos do milho teve salto de 0,44% e é negociada a R$ 98,15. Em Cascavel, no Paraná, o preço é R$ 96. Em Rondonópolis, no Mato Grosso, o milho é vendido a R$ 83. Em Uberaba, Minas Gerais, o preço à vista é R$ 91. Os valores são do Canal Rural e Cepea. 

Reportagem, Marquezan Araújo