Foto: Arquivo/Rovena Rosa/Agência Brasil
Foto: Arquivo/Rovena Rosa/Agência Brasil

Ibovespa abre a quarta-feira (27) em forte queda

O recuo ainda reflete a preocupação do mercado com o comunicado do Banco Central do Brasil acerca da queda da taxa Selic e especulação de risco fiscal no país


O Ibovespa abriu esta quarta-feira (27) em forte baixa de 1,50%. O índice retornou aos 114 mil pontos e começa o dia cotado a 114.193 pontos. 

A queda ainda é reflexo da divulgação da ata do Banco Central do Brasil sobre o corte de juros no país. A ata causa certa preocupação em um setor do mercado acerca do risco fiscal do Brasil e a iminência de que este seja o patamar terminal dos juros no país. 

O setor internacional também influencia significativamente o desempenho ruim da bolsa de valores nesta quarta. Há sinalização de alta das taxas de juros futura dos Estados Unidos, o que torna mais atrativo investir naquele país. Há saída de investimentos do mercado brasileiro, contribuindo para a queda do Ibovespa. 

Grandes empresas registraram queda em suas ações, como as Lojas Renner (LREN3), Petrobras (PETR4), Vale (VALE3) e Itaú (ITUB4), que caíram entre 1,50% e 4,65%. Petz (PETZ3), Pão de Açúcar (PCAR3) e Locaweb (LWSA3) também registraram fortes baixas.

As altas do dia ocorrem com a BRF (BRFS3), Eletrobras (ELET6, ELET3) e Marfrig (MRFG3), que subiram 2,80%, 1,90% e 0,30%, respectivamente. 

O total do volume negociado na B3 é de R$23 bilhões.

Os dados referentes à bolsa de valores brasileira podem ser consultados através da B3. 
 

Receba nossos conteúdos em primeira mão.

LOC.: O Ibovespa abriu esta quarta-feira (27) em forte baixa de 1,50%. O índice retornou aos 114 mil pontos e começa o dia cotado a 114.193 pontos. 

A queda ainda é reflexo da divulgação da ata do Banco Central do Brasil sobre o corte de juros no país. A ata causa certa preocupação em um setor do mercado acerca do risco fiscal do Brasil e a iminência de que este seja o patamar terminal dos juros no país. 

O setor internacional também influencia significativamente o desempenho ruim da bolsa de valores nesta quarta. Há sinalização de alta das taxas de juros futura dos Estados Unidos, o que torna mais atrativo investir naquele país. Há saída de investimentos do mercado brasileiro, contribuindo para a queda do Ibovespa. 

Grandes empresas registraram queda em suas ações, como as Lojas Renner, Petrobras, Vale e Itaú, que caíram entre 1,50% e 4,65%. 

As altas do dia ocorrem com a BRF, Eletrobras e Marfrig, que subiram 2,80%, 1,90% e 0,30%, respectivamente. 

O total do volume negociado na B3 é de R$23 bilhões.

Os dados referentes à bolsa de valores brasileira podem ser consultados através da B3. 

Reportagem, Luigi Mauri, narração, Lívia Azevedo