Foto: Freepik. Arte: Brasil 61
Foto: Freepik. Arte: Brasil 61

FPM: 35 cidades entram na lista do Siafi e ficam sem dinheiro federal

Veja se sua prefeitura foi bloqueada. Maioria é do Rio Grande do Sul, mas também constam Minas Gerais, Rio de Janeiro, Sergipe, Bahia, Tocantins, Mato Grosso, Paraná e Goiás


Ao todo, 35 prefeituras estão impedidas de receber recursos do governo federal, inclusive do Fundo de Participação dos Municípios (FPM), por constarem na lista do Siafi (Sistema Integrado de Administração Financeira do Governo Federal). A plataforma é gerida pelo governo e apresenta, diariamente, a situação de prefeituras, estados e órgãos administrativos em relação a execuções orçamentárias, patrimoniais e financeiras da União Federal. As informações são públicas.

Constam na lista diversas prefeituras da Bahia, Sergipe, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Goiás, Rio Grande do Sul, Mato Grosso e Tocantins. Os estados com o maior número de municípios bloqueados são o Rio Grande do Sul, com 14 cidades, e o Rio de Janeiro  —  com 5 cidades nesta situação (Veja a lista no final desta reportagem).

Nem sempre a restrição ao nome do município se deve a inadimplências e falta de pagamento de tributos. O bloqueio também pode acontecer por questões burocráticas, como o não - fornecimento de algum tipo de documento que a prefeitura, por exemplo, tenha se comprometido a encaminhar aos órgãos federais. Ou por não ter respeitado os prazos.

Segundo o consultor de Orçamento César Lima, os representantes das prefeituras que estão nesta situação devem procurar a Receita Federal ou a Procuradoria Geral da Fazenda Nacional (PGFN) de sua região para resolver o problema e continuar recebendo os repasses. “O que eu indico é que esses municípios procurem a Receita Federal ou a PGFN para negociar essas dívidas. Após a negociação, pagando a primeira parcelao desbloqueio já é automático”, aconselhou o consultor, nos casos em que houver débitos.

Governo liberou mais de R$ 5,6 bilhões do FPM nesta quinta-feira (10):

Importância do FPM para os municípios

O FPM é uma das principais fontes de receita dos municípios, principalmente os menores e mais pobres. Conforme dados da Confederação Nacional de Municípios (CNM), o fundo é a maior fonte de recursos para cerca de 60% das prefeituras brasileiras. Os depósitos são feitos de dez em dez dias, três vezes por mês, para que as prefeituras paguem despesas fundamentais para a população, como folha de servidores e serviços básicos de Saúde. 

Municípios com restrições

FPM: veja se a prefeitura de sua cidade está bloqueada:

  1.  Água Comprida-MG
  2.  Águas Formosas-MG
  3.  Bandeirantes-PR
  4.  Boa Vista do Incra-RS
  5.  Cachoeira de Pajeú-MG
  6.  Caibaté-RS
  7.  Caldazinha-GO
  8.  Carazinho-RS
  9.  Carlos Barbosa-RS
  10.  Centenário do Sul-PR
  11.  Charqueadas-RS
  12.  Conde-BA
  13.  Cristalândia-TO
  14.  Crixas do Tocantins-TO
  15.  Diamantino-MT
  16.  Fazenda Nova-GO
  17.  Imbé-RS
  18.  Lagoa da Prata-MG
  19.  Lagoa Vermelha-RS
  20.  Lajeado do Bugre-RS
  21.  Lavras do Sul-RS
  22.  Poço Verde-SE
  23.  Porto da Folha-SE
  24.  Rolador-RS
  25.  São Francisco de Itabapoana-RJ
  26.  São Gonçalo-RJ
  27.  São João da Barra-RJ
  28.  São José de Ubá-RJ
  29.  São Miguel do Aleixo-SE
  30.  São Miguel do Araguaia-GO
  31.  Sede Nova-RS
  32.  Terra de Areia-RS
  33.  Três de Maio-RS
  34.  Três Rios-RJ
  35.  Vicente Dutra-RS

Conteúdos relacionados:

Prefeituras recebem mais de R$ 5,6 bilhões do FPM nesta quinta-feira (10) 

Até agosto deste ano, repasse do FPM aos municípios cresceu mais de R$ 6 bi 

Presidente Lula sanciona lei que cria transição para municípios se adequarem ao novo Censo

Receba nossos conteúdos em primeira mão.

LOC: Ao todo, 35 prefeituras estão impedidas de receber recursos do governo federal, inclusive do Fundo de Participação dos Municípios (FPM), por constarem na lista do Siafi (Sistema Integrado de Administração Financeira do Governo Federal). O FPM é uma das principais fontes de receita dos municípios brasileiros —  e a maioria das prefeituras usa o dinheiro para pagar a folha de servidores e despesas com a saúde da população. 

O Siafi é uma plataforma que apresenta, diariamente, a situação de prefeituras, estados e órgãos públicos em relação a execuções orçamentárias, patrimoniais e financeiras da União Federal. Quando o nome de uma cidade entra na lista do Siafi, todos os recursos financeiros do governo deixam de ser encaminhados para aquele município.

Constam na lista diversas prefeituras da Bahia, Sergipe, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Goiás, Rio Grande do Sul, Mato Grosso e Tocantins. Os estados com o maior número de municípios bloqueados são o Rio Grande do Sul, com 14 cidades, e o Rio de Janeiro – que tem 5 cidades nesta situação.

Mas nem sempre a restrição ao nome do município se deve a inadimplências ou atrasos no pagamento de tributos. O bloqueio também acontece por questões burocráticas, como o não fornecimento de algum tipo de documento, por exemplo.

Segundo o consultor de Orçamento César Lima, os representantes das prefeituras que estão nesta situação devem procurar a Receita Federal ou a Procuradoria Geral da Fazenda Nacional (PGFN) de sua cidade ou região para resolver o problema. 

SONORA: César Lima, consultor de Orçamento
“Então o que eu indico é que esses municípios procurem aí a Receita Federal ou a PGFM para negociar essas dívidas. Após a negociação, pagando a primeira parcela, o desbloqueio já é automático”, aconselhou o consultor.


LOC: O FPM é uma das principais fontes de receita dos municípios, principalmente para os menores e mais pobres. Para saber se a prefeitura de sua cidade está bloqueada pelo Siafi, basta acessar pela internet o portal de notícias Brasil 61: www.brasil61.com

Reportagem: José Roberto Azambuja