Foto: stimeca.org.br
Foto: stimeca.org.br

Dieese regista queda no valor da cesta básica em 17 capitais

Em Belo Horizonte (MG), os itens que compõem a cesta básica tiveram retração nos valores de quase 6,5% e em Goiânia, os produtos ficaram 2,23% mais baixos


Pesquisa realizada pelo Dieese revela que o preço da cesta básica caiu em nove capitais brasileiras, de 17 analisadas pelo instituto. Em Belo Horizonte (MG) os itens que compõem a cesta básica tiveram retração nos valores de quase 6,5% e em Goiânia, os produtos ficaram 2,23% mais baixos. O preço da cesta básica também teve queda em Salvador (BA), Campo Grande (MS), São Paulo (SP), Rio de Janeiro (RJ) e Brasília (DF).

Testes para Covid-19 não servem para medir nível de anticorpos, alerta Anvisa

A maior alta da cesta básica foi registrada em Curitiba (PR) onde os produtos tiveram valorização de quase 14,5%. Em Natal (RN) teve aumento de preço de 9%. A pesquisa também registrou alta de preços nos produtos da cesta básica em Florianópolis (SC), Porto Alegre (RS), Vitória (ES), Fortaleza (CE), Belém (PA), João Pessoa (PB), Recife (PE) e em Aracaju (SE).

Brasil vive alta no desemprego com alerta para Pernambuco e Bahia

De acordo com o Dieese, e diante dos valores da cesta básica praticados nos estados, o salário mínimo capaz de suprir as necessidades mínimas das famílias deveria ser de R$ 5.421,84. A estimativa é quase cinco vezes maior do valor real do salário mínimo atual, de R$ 1.100,00.

Continue Lendo



Receba nossos conteúdos em primeira mão.

LOC: Pesquisa realizada pelo Dieese revela que o preço da cesta básica caiu em nove capitais brasileiras, de 17 analisadas pelo instituto. Em Belo Horizonte (MG) os itens que compõem a cesta básica tiveram retração nos valores de quase 6,5% e em Goiânia, os produtos ficaram 2,23% mais baixos. O preço da cesta básica também teve queda em Salvador (BA), Campo Grande (MS), São Paulo (SP), Rio de Janeiro (RJ) e Brasília (DF).

A maior alta da cesta básica foi registrada em Curitiba (PR), onde os produtos tiveram valorização de quase 14,5%. Em Natal (RN) o aumento de preço foi de 9%. A pesquisa também registrou alta de preços nos produtos da cesta básica em Florianópolis (SC), Porto Alegre (RS), Vitória (ES), Fortaleza (CE), Belém (PA), João Pessoa (PB), Recife (PE) e em Aracaju (SE). 

De acordo com o Dieese, e diante dos valores da cesta básica praticados nos estados, o salário mínimo capaz de suprir as necessidades mínimas das famílias deveria ser de R$ 5.421,84. A estimativa é quase cinco vezes maior do valor real do salário mínimo atual, de R$ 1.100,00. 

Reportagem, Cristiano Ghorgomillos