Médico durante cirurgia. Foto: Jafar Ahmed/Unsplash
Médico durante cirurgia. Foto: Jafar Ahmed/Unsplash

Dia do médico: profissionais que marcaram a vida de pacientes

Pacientes e familiares contam experiências que tiveram com os médicos. Data é comemorada neste 18 de outubro


O dia do médico é comemorado em 18 de outubro. Apesar disso, pacientes que tiveram suas vidas marcadas por estes profissionais também celebram a profissão em outros dias do ano. Esse é o tema da campanha “Um dia para celebrar todos os outros”, do Conselho Federal de Medicina (CFM), criada para homenagear todos os médicos que, diariamente, dedicam seu tempo a ajudar aqueles que necessitam de atendimento.

Donizetti Dimer, 1º vice-presidente da CFM, destaca a importância de se ter um dia para celebrar os profissionais da medicina: “Essa data representa muito, porque as pessoas sempre tiveram um dia marcante em sua vida onde um médico participou e foi importante nesse ato.”

Para o vice-presidente é preciso de vocação para atuar na profissão: “A medicina vem para trazer saúde, não só para curar doenças. É mais do que uma profissão, o ser médico é um modo de vida, um modo de se dispor ao próximo”, diz Donizetti.

Para Brenda, de 24 anos, o dia do médico vai ser sempre 21 de junho. Na ocasião, a mãe Antônia estava  lutando contra o câncer de mama por 10 anos. Nesse dia, a jovem conta que o médico a aconselhou a aproveitar ao máximo os momentos que ainda tinha com a mãe.

“A forma em que ele cuidou da minha família e de mim foi muito importante pra gente ter força naquele momento. Ele sempre foi muito sincero e é uma pessoa que até hoje eu tenho muita gratidão”, diz Brenda. Um mês após aquele 21 de junho, Antônia faleceu.

Covid-19

Hugo Pádua é músico e, hoje, aos 37 anos, comemora o fato de ter vencido a Covid-19. Para ele, o dia do médico é 5 de julho, data em que recebeu alta do hospital após ter sido entubado.

“Quando foi na madrugada do segundo dia internado, o médico olhou para mim e falou ‘infelizmente vamos ter que entubar você’. Ele não falou mais nada depois disso, mas eu consegui enxergar no olhar dele o desespero pela minha situação”, conta Hugo.

O músico ficou 38 dias no hospital, 20 deles, entubado. A preocupação maior, segundo ele, eram os filhos, mas após todos os cuidados médicos, conseguiu sobreviver. “O dia que eu tive alta foi o dia do meu renascimento”, diz.

“Exercer a medicina na pandemia de Covid-19 é algo angustiante”, é o que relata o médico Glayson Soares. Segundo ele, o pior da situação foi que o coronavírus trouxe o desconhecido para a medicina. “Sempre queremos proporcionar os melhores meios para diagnosticar e tratar os pacientes, mas nem sempre conseguimos isso na pandemia.”

Apesar de tudo, Glayson diz que o comprometimento com a medicina precisa continuar: “Seguimos com o nosso compromisso de sempre proporcionar esperança e alívio do sofrimento humano. Seguimos com as medidas preventivas e a vacina. Assim, superamos logo esse vírus!”

Testes para a Covid-19: como são e quando devem ser feitos

Sífilis: mais de 115 mil brasileiros foram infectados em 2020

Brasil

Segundo dados do Conselho Federal de Medicina (CFM), o total de médicos com registro ativo no território brasileiro chega a pouco mais de 572 mil.

Já o maior número de atuantes da profissão estão nos estados de São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais, com 159 mil, 68 mil e 61 mil, respectivamente.

Por que dia 18?

A escolha do dia 18 de outubro para homenagear os médicos no Brasil tem origem cristã. Nessa data, a Igreja Católica comemora o Dia de São Lucas, um santo que, em vida, foi médico. Outros países de base cristã como Itália, Portugal, França, Espanha, Bélgica e Polônia também comemoram os profissionais nesta data.

Em alguns países da América Latina, como Argentina, Uruguai e Cuba, o dia do médico é em 3 de dezembro, em homenagem ao médico cubano Dr. Carlos Finlay, responsável por comprovar a teoria de que a febre amarela se propaga através do mosquito Aedes aegypti.

Continue Lendo



Receba nossos conteúdos em primeira mão.

LOC.: Dezoito de outubro é o dia do médico. Para celebrar a data neste ano, o Conselho Federal de Medicina lançou a campanha “Um dia para celebrar todos os outros”. Donizetti Dimer, 1º vice-presidente da CFM, destaca a importância de se ter um dia para celebrar os profissionais da medicina.

TEC./SONORA: Donizetti Dimer, 1º vice-presidente da CFM

“Essa data representa muito, porque as pessoas sempre tiveram um dia marcante em sua vida onde um médico participou e foi importante nesse ato. A medicina vem para trazer saúde, não só para curar doenças. É mais do que uma profissão, o ser médico é um modo de vida, um modo de se dispor ao próximo.”

LOC.: Apesar de dezoito de outubro ser o dia oficial no Brasil, para muitos pacientes e familiares essa data é celebrada por diferentes ocasiões e motivos.

Hugo Pádua é músico e, hoje, aos 37 anos, comemora o fato de ter vencido a Covid-19. Para ele, o dia do médico é 5 de julho, data em que recebeu alta do hospital após ter sido entubado. Hugo relembra como foram os dias iniciais de sua internação.

TEC./SONORA: Hugo Pádua, músico 

“Quando foi na madrugada do segundo dia internado, o médico olhou para mim e falou ‘infelizmente vamos ter que entubar você’. Ele não falou mais nada depois disso, mas eu consegui enxergar no olhar dele o desespero pela minha situação.”

LOC.: A data que homenageia os médicos no Brasil tem origem cristã. O dia é o mesmo de São Lucas, um santo que foi médico na vida.

Atualmente, o número total de profissionais da medicina com registro ativo no território brasileiro chega a pouco mais de 572 mil. 

Reportagem, Poliana Fontenele