Foto: Fábio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil
Foto: Fábio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

Covid-19: mais de 21,5 milhões de brasileiros ainda não tomaram a segunda dose da vacina

População entre 18 e 29 anos representa 25% das pessoas aptas a tomar o imunizante para completar o esquema vacinal e poderem fazer os reforços recomendados. Esquema para quem tomou Janssen é diferente


Cerca de um ano e meio após o início da vacinação contra a Covid-19 no Brasil,158 milhões de brasileiros já procuraram unidades de saúde para tomar a primeira e a segunda dose do imunizante. Segundo o Ministério da Saúde, entretanto, mais de 21,5 milhões de pessoas no Brasil ainda não tomaram a segunda dose. Desse total, 5,4 milhões, cerca de 25%, são pessoas entre 18 e 29 anos. 

A advogada Camila Alves, de 28 anos, tomou a primeira dose da vacina, mas ainda não procurou uma unidade de saúde para dar sequência à imunização. “Não consegui tomar a segunda dose. Sei que é super importante, mas toda vez que vou ao posto de saúde sempre está muito cheio. Mas sou a favor e tenho interesse em completar a imunização.”

Crianças de 5 a 11 anos completam a imunização com primeira e segunda dose. Já para o público com idade entre 12 a 39 anos, o recomendado pelas autoridades de saúde é, além das duas primeiras, tomar a dose de reforço quatro meses após a segunda. Pessoas acima de 40 anos estão aptas à segunda dose de reforço quatro meses depois da primeira. 

A infectologista Joana D’arc Gonçalves, médica do Centro Especializado em Doenças Infecciosas do Distrito Federal (Cedin), explica que as doses de reforço são importantes para o combate às variantes da Covid-19. “O inicialmente sugerido eram duas doses e reforço a cada quatro meses. Atualmente já sabemos que a maioria das vacinas dá uma proteção temporária, por um período transitório, depois as pessoas voltam a ser vulneráveis à reinfecção, mas, claro, com diminuição da letalidade e hospitalização de casos graves. O ideal é que se faça esquema e reforços porque por meio do reforço há melhor resposta com relação às variantes. Temos visto isso na prática.”

Reforço para quem tomou Janssen

De acordo com o Ministério da Saúde, o reforço vacinal de quem recebeu a primeira dose do imunizante da Janssen deve seguir o seguinte esquema: dose única inicial + primeira dose de reforço + segunda dose de reforço + terceira dose de reforço. Pessoas que começaram o esquema vacinal (primeira e segunda dose) com outros imunizantes e se vacinaram com a Janssen com o reforço não se encaixam nessas recomendações.  

No caso da Janssen, o primeiro reforço deve ser aplicado entre 2 e 6 meses após a dose única, com o mesmo imunizante. Já a segunda aplicação complementar deve ocorrer 4 meses depois da primeira dose de reforço e pode ser da Pfizer, Astrazeneca ou da própria Janssen. “Quem faz a vacinação com esquemas diferentes de imunizantes, a gente vê estimulação por diferentes vias do sistema imunológico e é melhor para proteção”, explica a infectologista Joana D’arc. 

De acordo com dados do LocalizaSUS, estados e Distrito Federal já receberam mais de 581 milhões de imunizantes. 

Continue Lendo



Receba nossos conteúdos em primeira mão.

LOC.: Cerca de um ano e meio após o início da vacinação contra a Covid-19 no Brasil, 158 milhões de brasileiros já procuraram unidades de saúde para tomar as duas primeiras doses do imunizante. Mas, segundo o Ministério da Saúde, mais de 21 milhões e meio de pessoas no Brasil ainda não tomaram a segunda dose. Desse total, 5,4 milhões, cerca de 25%, são pessoas entre 18 e 29 anos. 

A advogada Camila Alves, de 28 anos, tomou a primeira dose da vacina, mas ainda não procurou uma unidade de saúde para dar sequência à imunização. 
 

TEC.SONORA: Camila Alves, advogada.

“Não consegui tomar a segunda dose. Sei que é super importante, mas toda vez que vou ao posto de saúde sempre está muito cheio. Mas sou a favor e tenho interesse.”
 

LOC.: Crianças de 5 a 11 anos completam a imunização com primeira e segunda dose. Já para o público com idade entre 12 a 39 anos, o recomendado pelas autoridades de saúde é, além das duas primeiras, tomar a dose de reforço quatro meses após a segunda. Pessoas acima de 40 anos estão aptas à segunda dose de reforço quatro meses depois da primeira. 

A infectologista Joana D’arc Gonçalves, médica do Centro Especializado em Doenças Infecciosas do Distrito Federal, explica que as doses de reforço são importantes para o combate à Covid-19. 
 

TEC.SONORA: Joana D’arc, infectologista.

“O inicialmente sugerido eram duas doses e reforço a cada quatro meses. Atualmente já sabemos que a maioria das vacinas dá uma proteção temporária, por um período transitório, depois as pessoas voltam a ser vulneráveis à reinfecção, mas, claro, com diminuição da letalidade e hospitalização de casos graves. O ideal é que se faça esquema e reforços porque há melhor resposta com relação às variantes.”
 

LOC.: De acordo com o Ministério da Saúde, o reforço vacinal de quem recebeu a primeira dose do imunizante da Janssen deve ser a dose única inicial seguida de três doses de reforço. Pessoas que começaram o esquema vacinal com outros imunizantes e se vacinaram com a Janssen como dose de reforço não se encaixam nessas recomendações. 

No caso da Janssen, o primeiro reforço deve ser aplicado entre 2 e 6 meses após a dose única, com o mesmo imunizante. Já a segunda aplicação de reforço deve ocorrer 4 meses depois da primeira dose de reforço e pode ser da Pfizer, Astrazeneca ou da própria Janssen.