Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil
Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Concessão de rodovia entre RJ e MG é protocolada no TCU

Estão previstos cerca de R$ 9 bilhões em investimentos e mais de R$ 8 bilhões em custos operacionais


A Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) protocolou no Tribunal de Contas da União (TCU), nesta segunda-feira (21), os estudos de viabilidade da concessão de rodovia que interliga três trechos entre o Rio de Janeiro e Minas Gerais. A concessão tem cerca de 724 km de extensão e inclui a divisa entre os dois estados.

O sistema rodoviário tem grande importância para os estados do Rio de Janeiro e Minas Gerais, pois permite a integração da região metropolitana do Rio de Janeiro, a conexão ao Porto de Itaguaí (RJ), o contorno da Baía de Guanabara, a ligação à região dos Lagos e ao norte do Rio de Janeiro, além de ser rota para a região Nordeste do Brasil.

MG: Iepha divulga pontuação provisória do ICMS Patrimônio Cultural

RJ: variante Alpha de Covid-19 é confirmada no estado

Estão previstos cerca de R$ 9 bilhões em investimentos e mais de R$ 8 bilhões em custos operacionais. O contrato de concessão prevê a exploração por 30 anos de serviços de infraestrutura e de recuperação, conservação, manutenção e melhorias na capacidade das rodovias.

Continue Lendo



Receba nossos conteúdos em primeira mão.

LOC.: A Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) protocolou no Tribunal de Contas da União (TCU), nesta segunda-feira (21), os estudos de viabilidade da concessão de rodovia que interliga três trechos entre o Rio de Janeiro e Minas Gerais. A concessão tem cerca de 724 km de extensão e inclui a divisa entre os dois estados.

O sistema rodoviário tem grande importância para os estados do Rio de Janeiro e Minas Gerais, pois permite a integração da região metropolitana do Rio de Janeiro, a conexão ao Porto de Itaguaí (RJ), o contorno da Baía de Guanabara, a ligação à região dos Lagos e ao norte do Rio de Janeiro, além de ser rota para a região Nordeste do Brasil.

Estão previstos cerca de R$ 9 bilhões em investimentos e mais de R$ 8 bilhões em custos operacionais. O contrato de concessão prevê a exploração por 30 anos de serviços de infraestrutura e de recuperação, conservação, manutenção e melhorias na capacidade das rodovias.

Reportagem, Poliana Fontenele