Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil
Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil

Agropecuária liderou o saldo comercial acumulado até agosto de 2023

O saldo comercial acumulado do ano já supera o total de 2022


O saldo comercial acumulado do ano de 2023 já supera o total de 2022. Os dados positivos para o presente ano são motivados pela agropecuária. 

Até agosto de 2023, o superávit comercial acumulado é de US$ 62,4 bilhões, enquanto o total observado para 2022 foi de US$ 61,8 bilhões. 

Observa-se que a partir de maio, os superávits comerciais mensais de 2023 foram sempre superiores aos de 2022. 

Mesmo em projeções pessimistas para o saldo comercial em 2023, ainda haveria superávits superiores ao observado no ano anterior. 

Como já observado nos relatórios anteriores, a melhoria no valor do superávit no corrente ano tem sido explicada pelo aumento do volume exportado  e recuo no volume importado. 

Os resultados por setor de atividade mostram que a principal contribuição para o superávit da balança é da agropecuária (US$ 53,4 bilhões), seguida da extrativa (US$ 33,4 bilhões). A indústria de transformação tem déficit no valor de US$ 24,1 bilhões. 

Para o caso da agropecuária, cinco commodities explicam mais de 60% do total das exportações: soja em grão, petróleo bruto, minério de ferro e milho. 

No caso das importações, predominam as não commodities, com participação ao redor de 90% das compras brasileiras do exterior.

A China lidera as transações comerciais com o Brasil, seguida por Estados Unidos e Argentina. 

As importações recuaram para todos os mercados. 

As informações são do Instituto Brasileiro de Economia, FGV-IBRE
 

Receba nossos conteúdos em primeira mão.

LOC.: O saldo comercial acumulado do ano de 2023 já supera o total de 2022. Os dados positivos para o presente ano são motivados pela agropecuária. 

Até agosto de 2023, o superávit comercial acumulado é de US$ 62,4 bilhões, enquanto o total observado para 2022 foi menor. 

Observa-se que a partir de maio, os superávits comerciais mensais de 2023 foram sempre superiores aos de 2022. 

Mesmo em projeções pessimistas para o saldo comercial em 2023, ainda haveria superávits superiores ao observado no ano anterior. 

Como já observado nos relatórios anteriores, a melhoria no valor do superávit no corrente ano tem sido explicada pelo aumento do volume exportado  e recuo no volume importado. 

As informações são do Instituto Brasileiro de Economia, FGV-IBRE. 

Reportagem, Luigi Mauri, narração, Sophia Stein.