Cadastro de mídia

TERMO DE USO E PARCERIA

TERMO DE USO E PARCERIA

Regras de Uso

1º - A utilização gratuita e livre dos materiais produzidos pelo Brasil 61 só será permitida depois que este termo de parceria for aceito pelo usuário, prevendo as seguintes regras:

a) A utilização do material - na íntegra, ou em partes - só será permitida desde que as informações não sejam distorcidas, manipuladas ou alteradas.

b) Não é necessário a identificação do Brasil 61 na hora da replicação do conteúdo. Mas toda e qualquer veiculação de áudios produzidos pelo Brasil 61 prevê o cadastro no site, com a disponibilização de dados que serão utilizados para a organização do mailing desta empresa,

2º - OBRIGAÇÕES DO BRASIL 61

a) O Brasil 61 se compromete, a partir deste termo de uso, a produzir conteúdo particularizado diariamente, trazendo informações de dia-a-dia e bastidores do Planalto Central, além de outras temáticas de relevância do noticiário nacional. 

b) O acesso ao conteúdo jornalístico (na versão de leitura) é livre e gratuito, podendo ser replicado por qualquer usuário que acesse o site. O download do áudio para que seja utilizado na programação das rádios requer que o radialista realize o login no site da Agência do Rádio - informando e-mail e senha cadastrados. 

3º - OBRIGAÇÕES DOS COMUNICADORES PARCEIROS

Não alterar o sentido dos materiais, ou distorcer fala de entrevistados ou mudar a conotação das mensagens dos materiais. 

ADENDOS IMPORTANTES SOBRE A PARCERIA

a) O Brasil 61 poderá distribuir conteúdo patrocinado com ou sem assinatura dos clientes patrocinadores do boletim e sem aviso prévio ao comunicador. 

b) As rádios parceiras não vão ter participação financeira sobre o faturamento do Brasil 61.

c) Os comunicadores podem patrocinar os conteúdos do Brasil 61, desde que não alterem o sentido e a conotação dos conteúdos oferecidos. Nesses casos, o Brasil 61 Mais não terá participação nos lucros conquistados pelos veículos parceiros. 

Ao clicar em ACEITO, a emissora aqui cadastrada afirma concordar e estar ciente de todas as condições apresentadas neste Termo de Utilização de Conteúdo.

Equipe Galilegos

Robô criado por estudantes de Porto Alegre é capaz de alinhar satélites no espaço

Equipe Galilegos, do Colégio Santa Inês, vai disputar etapa nacional do Torneio SESI de Robótica, em março


O estado do Rio Grande do Sul será representado por 89 estudantes, do ensino fundamental e médio, na etapa nacional do Torneio SESI de Robótica FIRST® LEGO® League, que será realizado em março, no Rio de Janeiro.

A competição é uma parceria entre o SESI e a fabricante de brinquedos LEGO, e vale vagas para a etapa mundial do First Lego League, um programa internacional que incentiva estudantes, de nove a 16 anos, de vários países, a criarem soluções criativas por meio da robótica.

Entre as equipes gaúchas classificadas para o torneio, está a Galilegos, do Colégio Santa Inês, de Porto Alegre (RS). Os alunos criaram um robô, com peças de Lego, capaz de realizar tarefas que podem facilitar a vida de astronautas em missões no espaço. É que, o desafio do torneio, este ano, é o desenvolvimento de alternativas para o bem-estar dos cosmonautas e em pesquisas especiais.

O robô dos estudantes do Colégio Santa Inês pode, entre outras habilidades, trabalhar para alinhar um satélite no espaço, de forma autônoma.

“O robô tem várias missões. Uma delas é em relação aos exercícios aeróbicos dos astronautas.   Outra missão diz respeito a velocidade de escape de órbita e também tem uma missão que o robô precisa alinhar um satélite. Os estudantes apenas ligam o robô e ele tem de executar todas essas missões”, explica o professor de Robótica e Tecnologia do colégio Santa Inêz, e um dos orientadores da equipe Galilegos, Felipe Ghesla.

A equipe Galilegos é formada por 11 estudantes, da sétima série do ensino fundamental ao primeiro ano do ensino médio. O desenvolvimento do robô começou em agosto de 2018 e, em outubro, a equipe conseguiu classificação para a etapa nacional. Eles levaram o primeiro lugar no torneio regional, realizado em Pelotas.

A Galilegos faturou o prêmio Champion's Award porque teve as melhores notas da competição, em todas as categorias, como desafio do robô e projeto de pesquisa.

Arquivo Pessoal

A primeira colocação alcançada no torneio regional, entre as escolas públicas e particulares do Rio Grande do Sul, incentivou a equipe Galilegos a buscar espaço entre as melhores do país na etapa nacional do Torneio SESI de Robótica.

João Enrique Cairuga, de 15 anos, é estudante do Colégio Santa Inês, do primeiro ano do ensino médio e integrante da Galilegos. Ele conta que o desafio de construir um robô, com peças de Lego, estimula a equipe a se empenhar nas áreas do conhecimento, como matemática e física.

Para ele, a atividade pode contribuir na preparação da turma para os desafios futuros da vida de cada um, como vestibular, estudos acadêmicos e colocação no mercado de trabalho.    

“Principalmente as questões relacionadas a mecânica e física, e também o princípio de programação é algo que a gente aprende através desses robôs. Eu gosto bastante dessa área da matemática, da engenharia. E, esse ano, a gente está bem animado. A gente fez um robô muito bom, a gente fez uma pesquisa bem trabalhada. Então a gente está bem animado”, conta o estudante do colégio Santa Inez e integrante da equipe Galilegos, João Enrique Cairuga.

Torneio de Robótica

O Torneio SESI de Robótica FIRST® LEGO® League é um programa internacional de exploração científica, que promove o ensino de ciência, tecnologia, engenharia, artes e matemática no ambiente escolar e contribui para o desenvolvimento de competências e habilidades comportamentais para a vida. A cada ano o torneio estimula o trabalho colaborativo, a criatividade e traz desafios do mundo real para os alunos, em todo mundo.

No início de 2018, a empresa LEGO, em parceria com o SESI, desafiou estudantes das escolas brasileiras com o tema “Into Orbit”, para o desenvolvimento de ideias voltadas para as pesquisas espaciais.

Entre outubro e dezembro do ano passado, foram realizadas etapas regionais para selecionar as melhores propostas e trabalhos. Os alunos escolhidos vão participar da etapa nacional entre 15 e 17 de março. Os melhores colocados podem garantir uma vaga no torneio mundial em Houston, nos Estados Unidos. 

No Rio Grande do Sul, quatro equipes de escolas particulares, uma da rede pública de educação e seis da Rede SESI de Educação, foram classificadas para etapa nacional do torneio.

“Nós temos conseguido uma grande participação, com escolas públicas, com escolas particulares, além de equipes de garagem, o que faz com que a gente tenha trazido para esse movimento o entendimento que a tecnologia é a nossa maior ferramenta, para que a gente possa enfrentar os desafios do século XXI”, ressalta a Gerente de Educação do SESI-RS, Sônia Bier.

ARB Mais

Desde 2013, o SESI é o operador oficial da Torneio SESI de Robótica First Lego League, no Brasil. Nesse período, foram quase 17 mil competidores de mais de 1,7 mil escolas públicas e particulares.

Atualmente, todas as escolas do SESI de ensino fundamental e médio, de todo o Brasil, contam com o programa no currículo, independentemente da participação no torneio.

Quer saber mais sobre robótica?
Acesse: http://www.portaldaindustria.com.br/sesi/canais/torneio-de-robotica/

ARB Mais


 

Continue Lendo





Receba nossos conteúdos em primeira mão.

LOC.: A equipe Galilegos, composta por alunos da sétima série do ensino fundamental e do primeiro ano do ensino médio, do Colégio Santa Inês, de Porto Alegre (RS), vai representar o Rio Grande do Sul na etapa nacional do Torneio SESI de Robótica, em março. Em disputa está uma vaga para a etapa do mundial de robótica da Primeira Liga Lego (First Lego League), nos Estados Unidos.  

Os alunos criaram um robô, com peças de Lego, capaz de realizar tarefas que podem facilitar a vida de astronautas em missões no espaço. É que, o desafio do torneio, este ano, é o desenvolvimento de alternativas para o bem-estar dos cosmonautas e em pesquisas espaciais.

O robô dos estudantes do Colégio Santa Inês pode, entre outras habilidades, trabalhar para alinhar um satélite no espaço, de forma autônoma.

A equipe é composta por 11 alunos e, entre eles, está João Enrique Cairuga, de 15 anos, do primeiro ano do ensino médio. Ele conta que a atividade, de construir um robô com peças de Lego, pode contribuir na preparação da turma para os desafios futuros da vida de cada um, como vestibular, estudos acadêmicos e colocação no mercado de trabalho.      

TEC./SONORA: João Enrique Cairuga, da equipe Galilegos

“Principalmente as questões relacionadas a mecânica e física, e também o princípio de programação é algo que a gente aprende através desses robôs. Eu gosto bastante dessa área da matemática, da engenharia. E, esse ano, a gente está bem animado. A gente fez um robô muito bom, a gente fez uma pesquisa bem trabalhada. Então a gente está bem animado”.

LOC.: A equipe Galilegos venceu a etapa regional do Torneio SESI de Robótica, entre as escolas públicas e particulares do estado, realizada em outubro do ano passado, em Pelotas.

Os estudantes do Colégio Santa Inês, além da vaga na etapa nacional, garantiram o melhor desempenho no torneio, com as melhores notas da competição, em todas as categorias, como desafio do robô e projeto de pesquisa.

A Gerente de Educação do SESI, no Rio Grande do Sul, Sônia Bier, ressalta que o torneio está, cada vez mais, estimulando as escolas e estudantes do Rio Grande do Sul para o aprendizado das tecnologias.   

TEC./SONORA: Sônia Bier, Gerente de Educação do SESI-RS

“Nós temos conseguido uma grande participação, com escolas públicas, com escolas particulares, além de equipes de garagem, o que faz com que a gente tenha trazido para esse movimento o entendimento que a tecnologia é a nossa maior ferramenta, para que a gente possa enfrentar os desafios do século XXI.”

LOC.: No Rio Grande do Sul, quatro equipes de escolas particulares, uma da rede pública e seis da Rede SESI de Educação, foram classificadas para etapa nacional do torneio

Desde 2013, o SESI é o operador oficial da Torneio SESI de Robótica First Lego League, no Brasil. Nesse período, quase 17 mil competidores de mais de 1,7 mil escolas públicas e particulares participaram do torneio.

Reportagem, Cristiano Carlos