José Cruz Agencia Brasil
José Cruz Agencia Brasil

Projeto “Eleições do Futuro” será testado em três cidades

O projeto tem como objetivo iniciar estudos e avaliações para eventual implementação de inovações no sistema eleitoral


No próximo domingo (15), data do primeiro turno das Eleições Municipais de 2020, as cidades de Curitiba (PR), Valparaíso de Goiás (GO) e São Paulo (SP) serão palco de demonstrações de propostas de inovações para o sistema eletrônico de votação adotado no Brasil desde 1996. 

As apresentações fazem parte do projeto “Eleições do Futuro” criado pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), onde foi feito um chamamento público e a seleção de 26 empresas que deverão trazer as propostas.

As demonstrações, que acontecerão das 10h às 15h, contarão com a participação de eleitores, que votarão em candidatos fictícios.

Lançado em setembro, o projeto tem como objetivo iniciar estudos e avaliações para eventual implementação de inovações no sistema eleitoral. 

As propostas deverão preencher três requisitos: segurança da votação, proteção ao sigilo do voto e eficiência. Depois da eleição, o TSE decidirá se adotará ou não alguma inovação no sistema de votação.

Continue Lendo



Receba nossos conteúdos em primeira mão.

No próximo domingo (15), data do primeiro turno das Eleições Municipais de 2020, as cidades de Curitiba (PR), Valparaíso de Goiás (GO) e São Paulo (SP) serão palco de demonstrações de propostas de inovações para o sistema eletrônico de votação adotado no Brasil desde 1996. 

As apresentações fazem parte do projeto “Eleições do Futuro” criado pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), onde foi feito um chamamento público e a seleção de 26 empresas que deverão trazer as propostas.

As demonstrações, que acontecerão das 10h às 15h, contarão com a participação de eleitores, que votarão em candidatos fictícios.

Lançado em setembro, o projeto tem como objetivo iniciar estudos e avaliações para eventual implementação de inovações no sistema eleitoral. 

As propostas deverão preencher três requisitos: segurança da votação, proteção ao sigilo do voto e eficiência. Depois da eleição, o TSE decidirá se adotará ou não alguma inovação no sistema de votação.

Reportagem, Agatha Gonzaga.