Cadastro de mídia

TERMO DE USO E PARCERIA

TERMO DE USO E PARCERIA

Regras de Uso

1º - A utilização gratuita e livre dos materiais produzidos pelo Brasil 61 só será permitida depois que este termo de parceria for aceito pelo usuário, prevendo as seguintes regras:

a) A utilização do material - na íntegra, ou em partes - só será permitida desde que as informações não sejam distorcidas, manipuladas ou alteradas.

b) Não é necessário a identificação do Brasil 61 na hora da replicação do conteúdo. Mas toda e qualquer veiculação de áudios produzidos pelo Brasil 61 prevê o cadastro no site, com a disponibilização de dados que serão utilizados para a organização do mailing desta empresa,

2º - OBRIGAÇÕES DO BRASIL 61

a) O Brasil 61 se compromete, a partir deste termo de uso, a produzir conteúdo particularizado diariamente, trazendo informações de dia-a-dia e bastidores do Planalto Central, além de outras temáticas de relevância do noticiário nacional. 

b) O acesso ao conteúdo jornalístico (na versão de leitura) é livre e gratuito, podendo ser replicado por qualquer usuário que acesse o site. O download do áudio para que seja utilizado na programação das rádios requer que o radialista realize o login no site da Agência do Rádio - informando e-mail e senha cadastrados. 

3º - OBRIGAÇÕES DOS COMUNICADORES PARCEIROS

Não alterar o sentido dos materiais, ou distorcer fala de entrevistados ou mudar a conotação das mensagens dos materiais. 

ADENDOS IMPORTANTES SOBRE A PARCERIA

a) O Brasil 61 poderá distribuir conteúdo patrocinado com ou sem assinatura dos clientes patrocinadores do boletim e sem aviso prévio ao comunicador. 

b) As rádios parceiras não vão ter participação financeira sobre o faturamento do Brasil 61.

c) Os comunicadores podem patrocinar os conteúdos do Brasil 61, desde que não alterem o sentido e a conotação dos conteúdos oferecidos. Nesses casos, o Brasil 61 Mais não terá participação nos lucros conquistados pelos veículos parceiros. 

Ao clicar em ACEITO, a emissora aqui cadastrada afirma concordar e estar ciente de todas as condições apresentadas neste Termo de Utilização de Conteúdo.

Foto: SESI

PB: SESI e Sindicato da Construção Civil se unem para garantir segurança dos trabalhadores na retomada das atividades

SESI doou 15 mil máscaras de proteção e desenvolveu cartilha com orientações de segurança contra o novo coronavírus

Salvar imagemTexto para rádio

Para garantir uma retomada segura após o período de isolamento social, o Sindicato da Indústria da Construção Civil (Sinduscon-PB) e o Serviço Social da Indústria (SESI) se uniram em uma campanha de conscientização dos trabalhadores do estado. A partir de um pedido do sindicato, 15 mil máscaras foram doadas pelo SESI. O material será distribuído para funcionários das empresas filiadas à instituição.
 
Além do equipamento de proteção, o Sinduscon e o SESI Paraíba distribuem cartilhas com orientações sobre os cuidados que precisam ser adotados na retomada do trabalho. O presidente do Sinduscon de João Pessoa, José Wiliam Montenegro Leal, explica que a cartilha faz parte de uma série de ações voltadas à segurança dos colaboradores.
 
“São várias dicas de prevenção e como se portar no canteiro de obras. Por exemplo: o afastamento das pessoas nos refeitórios, multiplicamos essas distâncias. Aumentamos também as distâncias nos alojamentos, entre os beliches. Fizemos também um aumento substancial na quantidade de lavatórios”, elenca.
 
O conteúdo da cartilha foi elaborado pelo corpo técnico da área de Saúde e Segurança da Indústria (SSI) do SESI. O grupo usou como base o Guia SESI de Prevenção da Covid-19 nas Empresas e o adaptou para a realidade da construção civil.
 
Leal conta que o Sinduscon mantém o diálogo com o SESI para elaboração de ainda outras medidas de segurança nos ambientes laborais.
 
“É fundamental essa parceria com o SESI e tenho certeza que será aumentada para outros itens, além das máscaras, para que a gente possa dar o melhor suporte aos nossos colaboradores nos canteiros de obra”, garante.
 
O estado vive atualmente uma forte política de isolamento social. Os transportes intermunicipais estão interrompidos e barreiras sanitárias foram instaladas no acesso às cidades litorâneas.

Fonte: Brasil 61

Continue Lendo





Receba nossos conteúdos em primeira mão.

LOC.: Para garantir uma retomada segura após o período de isolamento social, o Sindicato da Indústria da Construção Civil (Sinduscon-PB) e o Serviço Social da Indústria (SESI) se uniram em uma campanha de conscientização dos trabalhadores do estado. A partir de um pedido do sindicato, 15 mil máscaras foram doadas pelo SESI. O material será distribuído para funcionários das empresas filiadas à instituição.
 
Além do equipamento de proteção, o Sinduscon e o SESI Paraíba distribuem cartilhas com orientações sobre os cuidados que precisam ser adotados na retomada do trabalho. O presidente do Sinduscon de João Pessoa, José Wiliam Montenegro Leal, explica que a cartilha faz parte de uma série de ações voltadas à segurança dos colaboradores.

TEC/SONORA: José Wiliam Montenegro Leal, presidente do Sinduscon de João Pessoa
 
“São várias dicas de prevenção e como se portar no canteiro de obras. Por exemplo: o afastamento das pessoas nos refeitórios, multiplicamos essas distâncias. Aumentamos também as distâncias nos alojamentos, entre os beliches. Fizemos também um aumento substancial na quantidade de lavatórios.”

LOC.: O conteúdo da cartilha foi elaborado pelo corpo técnico da área de Saúde e Segurança da Indústria (SSI) do SESI. O grupo usou como base o Guia SESI de Prevenção da Covid-19 nas Empresas e o adaptou para a realidade da construção civil.
 
José Wiliam conta que o Sinduscon mantém o diálogo com o SESI para elaboração de ainda outras medidas de segurança nos ambientes laborais.

TEC/SONORA: José Wiliam Montenegro Leal, presidente do Sinduscon de João Pessoa
 
“É fundamental essa parceria com o SESI e tenho certeza que será aumentada para outros itens, além das máscaras, para que a gente possa dar o melhor suporte aos nossos colaboradores nos canteiros de obra.”

 

LOC.: O estado da Paraíba vive atualmente uma forte política de isolamento social. Os transportes intermunicipais estão interrompidos e barreiras sanitárias foram instaladas no acesso às cidades litorâneas.

Reportagem, Daniel Marques