Cadastro de mídia

TERMO DE USO E PARCERIA

TERMO DE USO E PARCERIA

Regras de Uso

1º - A utilização gratuita e livre dos materiais produzidos pelo Brasil 61 só será permitida depois que este termo de parceria for aceito pelo usuário, prevendo as seguintes regras:

a) A utilização do material - na íntegra, ou em partes - só será permitida desde que as informações não sejam distorcidas, manipuladas ou alteradas.

b) Não é necessário a identificação do Brasil 61 na hora da replicação do conteúdo. Mas toda e qualquer veiculação de áudios produzidos pelo Brasil 61 prevê o cadastro no site, com a disponibilização de dados que serão utilizados para a organização do mailing desta empresa,

2º - OBRIGAÇÕES DO BRASIL 61

a) O Brasil 61 se compromete, a partir deste termo de uso, a produzir conteúdo particularizado diariamente, trazendo informações de dia-a-dia e bastidores do Planalto Central, além de outras temáticas de relevância do noticiário nacional. 

b) O acesso ao conteúdo jornalístico (na versão de leitura) é livre e gratuito, podendo ser replicado por qualquer usuário que acesse o site. O download do áudio para que seja utilizado na programação das rádios requer que o radialista realize o login no site da Agência do Rádio - informando e-mail e senha cadastrados. 

3º - OBRIGAÇÕES DOS COMUNICADORES PARCEIROS

Não alterar o sentido dos materiais, ou distorcer fala de entrevistados ou mudar a conotação das mensagens dos materiais. 

ADENDOS IMPORTANTES SOBRE A PARCERIA

a) O Brasil 61 poderá distribuir conteúdo patrocinado com ou sem assinatura dos clientes patrocinadores do boletim e sem aviso prévio ao comunicador. 

b) As rádios parceiras não vão ter participação financeira sobre o faturamento do Brasil 61.

c) Os comunicadores podem patrocinar os conteúdos do Brasil 61, desde que não alterem o sentido e a conotação dos conteúdos oferecidos. Nesses casos, o Brasil 61 Mais não terá participação nos lucros conquistados pelos veículos parceiros. 

Ao clicar em ACEITO, a emissora aqui cadastrada afirma concordar e estar ciente de todas as condições apresentadas neste Termo de Utilização de Conteúdo.

Crédito: Agência Brasil

CARNAVAL: Secretaria de Saúde vai distribuir dois milhões de preservativos na capital paulista

Dois milhões de preservativos serão distribuídos durante o carnaval na capital paulista. A iniciativa faz parte da campanha “Camisinha na Folia”, que tem como objetivo a conscientização da população sobre a prevenção ao HIV e outras infecções sexualmente transmissíveis, as IST.


Dois milhões de preservativos serão distribuídos durante o carnaval na capital paulista. A iniciativa faz parte da campanha “Camisinha na Folia”, que tem como objetivo a conscientização da população sobre a prevenção ao HIV e outras infecções sexualmente transmissíveis, as IST. A campanha começou no início de fevereiro, durante os ensaios para os desfiles das escolas de samba. 

As camisinhas também serão disponibilizadas, gratuitamente, nos blocos de carnaval, nas estações de metrô e terminais rodoviários, além de todas as Unidades Básicas de Saúde da capital. O infectologista Werciley Júnior explica que a camisinha continua sendo o principal meio de proteção contra as infecções sexualmente transmissíveis.

“O uso da camisinha é a forma mais fácil e eficaz de se prevenir, pois é a forma que evita o contato da mucosa das pessoas. Então, a camisinha ainda é o meio mais eficaz para evitar a transmissão do vírus (HIV).”

De acordo com o Ministério da Saúde, 73% dos novos casos de HIV no Brasil são registrados entre os homens. Desses, um quinto são jovens com idade entre 15 e 24 anos. Na capital paulista, de acordo com a Secretaria de Saúde estadual, foram registrados 5.377 novos casos de infecção pelo HIV em 2017, 80% deles, em homens. A coordenadora do Programa Municipal de DST/Aids da Secretaria Municipal da Saúde de São Paulo, Cristina Abbate, reforça que, apesar de os números de casos terem caído, nunca é demais alertar aos foliões sobre os riscos de exposição ao vírus HIV.

“Nós tivemos uma redução em 2017, em relação à 2016, tanto do HIV quanto da aids. Do HIV, nós tivemos redução de quase 3%, e da aids em torno de 9,2%, o que evidentemente é um dado bastante positivo, mas que não nos tranquiliza, porque nós temos tido novas infecções em alguns grupos sociais, principalmente jovens. Então, apesar do declínio, nós sabemos que é importante que a gente intensifique junto à população o acesso aos insumos de prevenção. O uso da camisinha é fundamental. Hoje, este é um insumo que está disponível em vários lugares aqui na capital de São Paulo. Na hora da folia, isso deve ser ainda mais lembrado.”

Em caso de dúvidas, procure a Unidade Básica de Saúde mais próxima. E neste carnaval, não se esqueça: escolha se proteger e curta a folia com segurança. O importante é não se descuidar. Pare, pense e use camisinha. Conheça todas as formas de prevenção em aids.gov.br. Ministério da Saúde. Governo Federal. Pátria Amada Brasil.
 

Continue Lendo





Receba nossos conteúdos em primeira mão.

LOC.: Dois milhões de preservativos serão distribuídos durante o carnaval na capital paulista. A iniciativa faz parte da campanha “Camisinha na Folia”, que tem como objetivo a conscientização da população sobre a prevenção ao HIV e outras infecções sexualmente transmissíveis, as IST. A campanha começou no início de fevereiro, durante os ensaios para os desfiles das escolas de samba. 

As camisinhas também serão disponibilizadas, gratuitamente, nos blocos de carnaval, nas estações de metrô e terminais rodoviários, além de todas as Unidades Básicas de Saúde da capital. O infectologista Werciley Júnior explica que a camisinha continua sendo o principal meio de proteção contra as infecções sexualmente transmissíveis.
 

TEC./SONORA: Werciley Júnior, infectologista

“O uso da camisinha é a forma mais fácil e eficaz de se prevenir, pois é a forma que evita o contato da mucosa das pessoas. Então, a camisinha ainda é o meio mais eficaz para evitar a transmissão do vírus (HIV).”
 

LOC.: De acordo com o Ministério da Saúde, 73% dos novos casos de HIV no Brasil são registrados entre os homens. Desses, um quinto são jovens com idade entre 15 e 24 anos. Na capital paulista, de acordo com a Secretaria de Saúde estadual, foram registrados 5.377 novos casos de infecção pelo HIV em 2017, 80% deles, em homens. A coordenadora do Programa Municipal de DST/Aids da Secretaria Municipal da Saúde de São Paulo, Cristina Abbate, reforça que, apesar de os números de casos terem caído, nunca é demais alertar aos foliões sobre os riscos de exposição ao vírus HIV.

TEC./SONORA: Cristina Abbate, coordenadora do Programa Municipal de DST/Aids da Secretaria Municipal da Saúde (SMS) de São Paulo.

“Nós tivemos uma redução em 2017, em relação à 2016, tanto do HIV quanto da aids. Do HIV, nós tivemos redução de quase 3%, e da aids em torno de 9,2%, o que evidentemente é um dado bastante positivo, mas que não nos tranquiliza, porque nós temos tido novas infecções em alguns grupos sociais, principalmente jovens. Então, apesar do declínio, nós sabemos que é importante que a gente intensifique junto à população o acesso aos insumos de prevenção. O uso da camisinha é fundamental. Hoje, este é um insumo que está disponível em vários lugares aqui na capital de São Paulo. Na hora da folia, isso deve ser ainda mais lembrado.”
 

LOC.: Em caso de dúvidas, procure a Unidade Básica de Saúde mais próxima. E neste carnaval, não se esqueça: escolha se proteger e curta a folia com segurança. O importante é não se descuidar. Pare, pense e use camisinha. Conheça todas as formas de prevenção em aids.gov.br. Ministério da Saúde. Governo Federal. Pátria Amada Brasil.