Cadastro de mídia

TERMO DE USO E PARCERIA

TERMO DE USO E PARCERIA

Regras de Uso

1º - A utilização gratuita e livre dos materiais produzidos pelo Brasil 61 só será permitida depois que este termo de parceria for aceito pelo usuário, prevendo as seguintes regras:

a) A utilização do material - na íntegra, ou em partes - só será permitida desde que as informações não sejam distorcidas, manipuladas ou alteradas.

b) Não é necessário a identificação do Brasil 61 na hora da replicação do conteúdo. Mas toda e qualquer veiculação de áudios produzidos pelo Brasil 61 prevê o cadastro no site, com a disponibilização de dados que serão utilizados para a organização do mailing desta empresa,

2º - OBRIGAÇÕES DO BRASIL 61

a) O Brasil 61 se compromete, a partir deste termo de uso, a produzir conteúdo particularizado diariamente, trazendo informações de dia-a-dia e bastidores do Planalto Central, além de outras temáticas de relevância do noticiário nacional. 

b) O acesso ao conteúdo jornalístico (na versão de leitura) é livre e gratuito, podendo ser replicado por qualquer usuário que acesse o site. O download do áudio para que seja utilizado na programação das rádios requer que o radialista realize o login no site da Agência do Rádio - informando e-mail e senha cadastrados. 

3º - OBRIGAÇÕES DOS COMUNICADORES PARCEIROS

Não alterar o sentido dos materiais, ou distorcer fala de entrevistados ou mudar a conotação das mensagens dos materiais. 

ADENDOS IMPORTANTES SOBRE A PARCERIA

a) O Brasil 61 poderá distribuir conteúdo patrocinado com ou sem assinatura dos clientes patrocinadores do boletim e sem aviso prévio ao comunicador. 

b) As rádios parceiras não vão ter participação financeira sobre o faturamento do Brasil 61.

c) Os comunicadores podem patrocinar os conteúdos do Brasil 61, desde que não alterem o sentido e a conotação dos conteúdos oferecidos. Nesses casos, o Brasil 61 Mais não terá participação nos lucros conquistados pelos veículos parceiros. 

Ao clicar em ACEITO, a emissora aqui cadastrada afirma concordar e estar ciente de todas as condições apresentadas neste Termo de Utilização de Conteúdo.

Foto: reprodução/Ministério da Saúde

Amapá é o estado com mais doadoras de leite humano no Norte em 2019

Com quase 1,6 mil doadoras de leite humano na região Norte do país, o Amapá é o estado líder no quesito de janeiro a abril deste ano.

Salvar imagemTexto para rádio

Com quase 1,6 mil doadoras de leite humano na região Norte do país, o Amapá é o estado líder em mulheres que fazem esta doação de janeiro a abril deste ano. Os dados são da Rede Brasileira de Bancos de Leite Humano, ligada a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz). Em seguida, vem o Pará com mais de 1,2 mil doadoras, e o Amazonas em terceiro com quase 500 doadoras. 

SERVIÇO: Amapá possui três postos de coleta de leite materno

Na opinião de Darcineyde Alves, coordenadora do Banco de Leite Humano do Hospital da Mulher Mãe Luzia, em Macapá, é importante que as mães tenham consciência de que doar leite ajuda tanto o bebê que recebe a doação, quanto o próprio filho.

“O leite materno, durante os seis primeiros meses, é o único alimento que o bebê precisa receber. Mas, os bebês que estão na UTI neonatal, para eles é ainda mais fundamental, pois faz parte do tratamento. E essas mães, por não estarem amamentando, a produção delas vai diminuindo. Então, uma mãe que doa um pouco do seu leite, está compartilhando vida com outros bebês. E a nossa demanda aumenta diariamente. A gente fornece todo o material. A produção vai aumentar e não vai faltar para o seu bebê”, afirma.

Ainda segundo dados da Rede Brasileira de Bancos de Leite Humano, de janeiro a abril deste ano, mais de 732 litros de leite foram coletados no Amapá. Um dos exemplos na doação de leite no estado é a enfermeira de 42 anos, Dorilene Lima. Em 2017, a mãe de Pedro Guilherme, atualmente com dois anos e três meses, doou 120 litros de leite por quase dois anos.

Uma parte ia para o filho, que nasceu prematuro após 34 semanas de gestação, e a outra, doada para bebês recém-nascidos. A grande quantidade coletada rendeu a ela o título de recordista em doação no estado. Dorilene ainda lembra o motivo para começar a doar.

“Como o meu filho era prematuro, eu tinha muito leite e ficava pensando que os outros bebês não tinha leite. E aí isso me motivou mais ainda. Foi o principal objetivo de eu querer doar, entendeu? E me doar mesmo para salvar os bebês prematuros que só conseguem se desenvolver com leite materno e aí não tem outro leite. Quando eu estava internada e o meu bebê na UTI, o que sobrava, eu falava, ‘pode pasteurizar e dar para os meninos [bebês]’”, relata.

Viu como doar leite materno não vai faltar para o seu bebê, mãe? Com o conselho da coordenadora Darcineyde e a bela história da enfermeira Dorilene, fica mais fácil se conscientizar sobre a doação de leite humano. A doação é importante, pois um litro de leite materno doado pode alimentar até 10 recém-nascidos por dia. 

Você que é mãe e quiser ajudar recém-nascidos, pode entrar em contato com o Banco de Leite Humano do Hospital da Mulher Mãe Luzia, no centro de Macapá, pelo número (96) 3225-8732. Das três unidades do estado, outra à disposição é o Posto de Coleta do Hospital São Camilo São Luis, que fica na Rua Marcelo Candia, da capital. O número do telefone é (96) 3312-2400.

O Posto de Coleta de Leite Humano do Hospital de Santana é a terceira unidade do estado. Localizado na Rua Salvador Diniz, está disponível pelo número (96) 3281-6200. Então faça a sua parte. Para mais informações, acesse saude.gov.br/doacaodeleite.

Fonte: Brasil 61

Continue Lendo





Receba nossos conteúdos em primeira mão.

LOC.: Com quase 1,6 mil doadoras de leite humano na região Norte do país, o Amapá é o estado líder em mulheres que fazem esta doação de janeiro a abril deste ano. Os dados são da Rede Brasileira de Bancos de Leite Humano, ligada a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz). Em seguida, vem o Pará com mais de 1,2 mil doadoras, e o Amazonas em terceiro com quase 500 doadoras.

Na opinião de Darcineyde Alves, coordenadora do Banco de Leite Humano do Hospital da Mulher Mãe Luzia, em Macapá, é importante que as mães tenham consciência de que doar leite ajuda tanto o bebê que recebe a doação, quanto o próprio filho.
 

TEC/SONORA: Darcineyde Alves, coordenadora do Banco de Leite Humano do Hospital da Mulher Mãe Luzia

“O leite materno, durante os seis primeiros meses, é o único alimento que o bebê precisa receber. Mas, os bebês que estão na UTI neonatal, para eles é ainda mais fundamental, pois faz parte do tratamento. E essas mães, por não estarem amamentando, a produção delas vai diminuindo. Então, uma mãe que doa um pouco do seu leite, está compartilhando vida com outros bebês. E a nossa demanda aumenta diariamente. A gente fornece todo o material. A produção vai aumentar e não vai faltar para o seu bebê.”
 

LOC.: Ainda segundo dados da Rede Brasileira de Bancos de Leite Humano, de janeiro a abril deste ano, mais de 732 litros de leite foram coletados no Amapá. Um dos exemplos na doação de leite no estado é a enfermeira de 42 anos, Dorilene Lima. Em 2017, a mãe de Pedro Guilherme, atualmente com dois anos e três meses, doou 120 litros de leite por quase dois anos.

Uma parte ia para o filho, que nasceu prematuro após 34 semanas de gestação, e a outra, doada para bebês recém-nascidos. A grande quantidade coletada rendeu a ela o título de recordista em doação no estado. Dorilene ainda lembra o motivo para começar a doar.
 

TEC/SONORA: Dorilene Lima, enfermeira do Posto de Coleta de Leite Humano do Hospital de Santana

“Como o meu filho era prematuro, eu tinha muito leite e ficava pensando que os outros bebês não tinha leite. E aí isso me motivou mais ainda. Foi o principal objetivo de eu querer doar, entendeu? E me doar mesmo para salvar os bebês prematuros que só conseguem se desenvolver com leite materno e aí não tem outro leite. Quando eu estava internada e o meu bebê na UTI, o que sobrava, eu falava, ‘pode pasteurizar e dar para os meninos [bebês]’.”
 

LOC.: Viu como doar leite materno não vai faltar para o seu bebê, mãe? Com o conselho da coordenadora Darcineyde e a bela história da enfermeira Dorilene, fica mais fácil se conscientizar sobre a doação de leite humano. A doação é importante, pois um litro de leite materno doado pode alimentar até 10 recém-nascidos por dia. 

Você que é mãe e quiser ajudar recém-nascidos, pode entrar em contato com o Banco de Leite Humano do Hospital da Mulher Mãe Luzia, no centro de Macapá, pelo número (96) 3225-8732. Das três unidades do estado, outra à disposição é o Posto de Coleta do Hospital São Camilo São Luis, que fica na Rua Marcelo Candia, da capital. O número do telefone é (96) 3312-2400.

O Posto de Coleta de Leite Humano do Hospital de Santana é a terceira unidade do estado. Localizado na Rua Salvador Diniz, está disponível pelo número (96) 3281-6200. Então faça a sua parte. Para mais informações, acesse saude.gov.br/doacaodeleite.