Foto: Arquivo/EBC
Foto: Arquivo/EBC

Produção industrial cresce no Ceará e quadro está relacionado a retorno gradual das atividades

De acordo com pesquisa do IBGE, a produção nacional teve variação nula na passagem entre maio e junho. Quando comparada com junho de 2020, a produção industrial subiu 12%


A produção industrial no Brasil apresentou queda em dez dos 15 locais pesquisados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Os dados se referem a junho de 2021 – quando o balanço passou pela última atualização – e são comparados ao mês imediatamente anterior.

No entanto, quando a relação é feita com o sexto mês de 2020, o indicador registra saldo positivo. Um dos destaques é o estado do Ceará. Neste recorte, a Unidade da Federação teve aumento de 31,1%. Os números também repercutiram no Congresso Nacional. Segundo o deputado federal Heitor Freire (PSL-CE), o quadro se deve ao avanço da vacinação contra a Covid-19 e do retorno gradual das atividades econômicas.

“Da mesma forma, com a reabertura gradual das fronteiras para retomarmos a exportação, era natural que a indústria voltasse a crescer. Essa é uma tendência que já temos observado nos últimos meses. Também se deve a medidas para o controle da pandemia, que vêm sendo tomadas, assim como a incentivos dos governos para o setor industrial”, considera.

Cenário nacional

De acordo com pesquisa do IBGE, a produção nacional teve variação nula na passagem entre maio e junho. Quando comparada com junho de 2020, a produção industrial subiu 12%.

Municípios de São Paulo podem perder R$ 1,05 bilhão em repasses do FPM com reforma do IR

MDR apresenta Programa Pró-Cidades a estados e municípios do Norte e Centro-Oeste

Para o resultado deste último recorte, o conselheiro do Conselho Federal de Economia, Carlos Eduardo de Oliveira Júnior, entende que houve uma participação do avanço da vacinação contra Covid-19. Já para justificar a estagnação na comparação anterior, ele elenca variados fatores.

“Isso pode ser detectado por alguns problemas conjunturais. Um deles é a elevação dos custos, com a elevação dos produtos importados, e também com a elevação do dólar. Isso faz com que a produção se reduza. Agora, temos uma grande incógnita, porque a elevação no preço da energia elétrica também vai fazer com que a produção não cresça, porque a energia elétrica está muito cara”, afirma.  

O balanço do IBGE revela, ainda, que, no indicador acumulado para o período entre janeiro e junho deste ano, frente a igual período de 2020, a expansão verificada na produção nacional alcançou doze dos quinze locais pesquisados, com destaque para Ceará (26,8%), Amazonas (26,6%) e Santa Catarina (26,1%).

Continue Lendo



Receba nossos conteúdos em primeira mão.

LOC.: Dados do IBGE revelam que a produção industrial no Ceará apresentou saldo positivo em junho de 2021, comparando com o mesmo mês em 2020. O mesmo levantamento mostra, porém, que a indústria brasileira como um todo apresentou queda em dez dos 15 locais pesquisados, na comparação com maio de 2021. 

Um dos destaques desse saldo positivo é observado no estado do Ceará, que em comparação ao mesmo período do ano passado teve aumento de 31,1%. Os números repercutiram no Congresso Nacional e, segundo o deputado federal Heitor Freire (PSL-CE), o quadro se deve ao retorno gradual das atividades econômicas.
 

TEC./SONORA: Heitor Freire, deputado federal

“Da mesma forma, com a reabertura gradual das fronteiras para retomarmos a exportação, era natural que a indústria voltasse a crescer. Essa é uma tendência que já temos observado nos últimos meses. Também se deve a medidas para o controle da pandemia, que vêm sendo tomadas, assim como a incentivos dos governos para o setor industrial.”
 

LOC.: De acordo com pesquisa do IBGE, a produção nacional teve variação nula na passagem entre maio e junho. Quando comparada com junho de 2020, a produção industrial subiu 12%.

Para o resultado deste último recorte, o conselheiro do Conselho Federal de Economia, Carlos Eduardo de Oliveira Júnior, entende que houve uma participação do avanço da vacinação contra Covid-19. Já para justificar a estagnação na comparação com os meses anteriores deste mesmo ano, ele elenca variados fatores.
 

TEC./SONORA: Carlos Eduardo de Oliveira Júnior, economista

“Isso pode ser detectado por alguns problemas conjunturais. Um deles é a elevação dos custos, com a elevação dos produtos importados, e também com a elevação do dólar. Isso faz com que a produção se reduza. Agora, temos uma grande incógnita, porque a elevação no preço da energia elétrica também vai fazer com que a produção não cresça, porque a energia elétrica está muito cara.”  
 

LOC.: O balanço do IBGE revela, ainda, que, no indicador acumulado para o período entre janeiro e junho deste ano, frente a igual período de 2020, a expansão verificada na produção nacional alcançou doze dos quinze locais pesquisados, com destaque para Ceará (26,8%), Amazonas (26,6%) e Santa Catarina (26,1%).

Reportagem, Marquezan Araújo