Foto: Governo de São Paulo
Foto: Governo de São Paulo

Preço de vacina para Covid-19 para uso emergencial não será regulado

Por enquanto, ainda não há pedidos na Anvisa para uso emergencial dos imunizantes no Brasil


As vacinas que tiverem autorização da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para uso emergencial no Brasil não terão o preço avaliado pela Câmara de Regulação do Mercado de Medicamentos (CMED). A resolução publicada no Diário Oficial da União justifica a medida “dado o caráter experimental” da vacina. 

Especial: equipe de transição é importante para governo manter benefícios à população

Festas de fim de ano exigem cuidado redobrado na pandemia, orienta Fiocruz

Até o momento, nenhuma das quatro farmacêuticas com imunizantes na fase de testes final no Brasil pediu autorização da agência reguladora para uso emergencial – Universidade Oxford em parceria com a AstraZeneca, a do Instituto Butantan, a da Pfizer com a BioNTech e a da Johnson & Johnson. 

Continue Lendo



Receba nossos conteúdos em primeira mão.

LOC.: As vacinas que tiverem autorização da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para uso emergencial no Brasil não terão o preço avaliado pela Câmara de Regulação do Mercado de Medicamentos (CMED). A resolução publicada no Diário Oficial da União justifica a medida “dado o caráter experimental” da vacina. 

Até o momento, nenhuma das quatro farmacêuticas com imunizantes na fase de testes final no Brasil pediu autorização da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para uso emergencial – Universidade Oxford em parceria com a AstraZeneca, a do Instituto Butantan, a da Pfizer com a BioNTech e a da Johnson & Johnson.