Foto: Gpointstudio/Freepik
Foto: Gpointstudio/Freepik

Mutirão de Cirurgias eletivas na Bahia já ultrapassa marca de 150 mil procedimentos realizados

A expectativa inicial de realizar 79 mil cirurgias já foi superada


O Mutirão de Cirurgia Eletiva, promovido pela Secretaria da Saúde do Estado da Bahia, já ultrapassou a marca de 150 mil procedimentos realizados em pouco mais de um ano. A ação começou em abril de 2022 e faz parte do Programa Estadual de ampliação do acesso às cirurgias eletivas, que busca aumentar a oferta de procedimentos de média e alta complexidade, priorizando a demanda reprimida durante o pico da pandemia da Covid-19 no Estado. 

A secretária de saúde Roberta Santana afirma que, nesta ação, estão sendo disponibilizados mais de 30 tipos de cirurgias eletivas. 

“Ao todo estão sendo disponibilizados mais de 36 procedimentos que vão desde catarata, remoção de mioma, histerectomia, vasectomia, entre outros procedimentos. Essa oferta das cirurgias vem ocorrendo de forma descentralizada e regional, junto aos municípios, priorizando as filas de espera existentes”, afirmou Roberta Santana. 

O investimento para a iniciativa já chega a R$ 206,9 milhões e a expectativa inicial de realizar 79 mil cirurgias já foi superado. Os serviços estão sendo executados por 85 unidades da rede de saúde pública, filantrópica e privada, no âmbito do Estado, de acordo com o respectivo perfil e complexidade.
 

Continue Lendo



Receba nossos conteúdos em primeira mão.

LOC.: O Mutirão de Cirurgia Eletiva, promovido pela Secretária da Saúde do Estado da Bahia já ultrapassou a marca de 150 mil procedimentos realizados em pouco mais de um ano. A expectativa inicial de realizar 79 mil cirurgias já foi superada.

A secretária de saúde, Roberta Santana, explica quais são os tipos de cirurgias que estão sendo realizadas. 

TEC/SONORA: Roberta Santana - Secretária de Saúde

“Ao todo estão sendo disponibilizados mais de trinta e seis procedimentos que vão desde catarata, remoção de mioma, histerectomia, vasectomia, entre outros procedimentos. Essa oferta das cirurgias vem ocorrendo de forma descentralizada e regionalizada, junto aos municípios, priorizando as filas de espera existentes.”


LOC.: Os serviços estão sendo executados por 85 unidades da rede de saúde pública, filantrópica e privada, no âmbito do Estado, de acordo com o respectivo perfil e complexidade.

Reportagem, Daniela Gomes