Crédito: TRE / TO
Crédito: TRE / TO

Mais de 1,1 milhão de jovens tiraram o título de eleitor em 2022, maior número das duas últimas eleições

Enquete da Unicef mostrou que 9 a cada 10 jovens acreditam que o voto tem o poder de transformar a realidade


Entre janeiro e março deste ano, a Justiça Eleitoral registrou 1.144.481 novos eleitores de 15 a 18 anos. O número é maior que o registrado nas eleições de 2018 e 2014, quando os novos eleitores não ultrapassaram 900 mil. Apenas no mês de março, a procura cresceu 45%, segundo dados do TSE divulgados na última quarta-feira (20). 

Parte desse crescimento expressivo se dá por iniciativas como a da ONG Nossas com a campanha “Cada Voto Conta”. Por meio dessa ação, após tirar o título, o jovem eleitor pode se cadastrar na plataforma para participar do mutirão. O objetivo é estimular outros jovens a fazerem o alistamento eleitoral e, em troca, os multiplicadores podem ganhar prêmios. O último ranking parcial do projeto contabilizava que 2.523 adolescentes convenceram outros amigos a tirar o título. 

Ana Beatriz Diniz, de 16 anos, faz parte da iniciativa. A estudante do segundo ano do Ensino Médio é de São Luís, no Maranhão. Além de tirar o título, ela também estimulou outros adolescentes a fazê-lo. Montaram postos nas escolas para ajudar os colegas com o passo a passo para tirar o título. 

“Tem o site do TSE, mas, muitas vezes, não chega à mão de estudantes que têm falta de conectividade, não têm acesso à internet. O meu senso de votar é algo que se multiplica. Então eu sempre pensei em fazer ações para que esse meu direito de votar e tirar o título também chegasse a outros adolescentes”, pontua Bia Diniz. 

“Eu enxergo a política como uma ferramenta que a gente pode construir junto. Falar sobre política, de uma forma aberta. Votar para mostrar para os adolescentes que a gente pode começar esse processo de democracia e pode começar a desmistificar que política é só no Congresso. Política tem que estar na boca do povo: está na nossa comunidade, nosso dia a dia”, expõe a estudante que mora na periferia da capital maranhense. 

Uma enquete realizada pela Unicef ouviu 3 mil adolescentes de 15 a 17 anos.  A pesquisa  revelou que 9 em cada 10 acreditam que o voto tem poder de transformar a realidade. Entre os participantes, 64% pretendem votar neste ano. “Esse resultado revela um engajamento de adolescentes e jovens com a questão da participação eleitoral que é muito importante. Por que eles vivem o dia a dia das políticas públicas, sabem como é a qualidade da educação, como é a qualidade dos serviços públicos de saúde, como funcionam as políticas de assistência social”, considera o coordenador do programa Cidadania dos Adolescentes do Unicef no Brasil, Mário Volpi. 

Prazo para tirar título de eleitor

O prazo para tirar novo título ou fazer atualizações nas informações junto à Justiça Eleitoral se encerra em 4 de maio. Todo o procedimento pode ser feito pela internet por meio do site do Tribunal Superior Eleitoral. São necessários os seguintes documentos digitalizados (ou a foto deles): 

  • Documento oficial de identidade com foto (frente e verso).
  • Comprovante de residência recente (no caso de transferência, prazo mínimo de três meses de residência no novo endereço).
  • Comprovante de pagamento de débito com a Justiça Eleitoral (quando houver débito)
  • Comprovante de quitação do serviço militar, para o alistamento, sendo o requerente do sexo masculino (para homens com 19 anos que ainda não tenham título eleitoral);
  • Tirar uma selfie segurando, ao lado de sua face, o documento oficial de identificação.
     

Continue Lendo



Receba nossos conteúdos em primeira mão.

LOC: Entre janeiro e março deste ano, a Justiça Eleitoral registrou mais de um milhão e cem mil novos eleitores entre 15 e 18 anos. O número é maior do que o registrado nas eleições de 2018 e 2014. Apenas no mês de março, a procura cresceu 45%, segundo dados do TSE divulgados na última quarta-feira (20). 

A estudante de São Luís, no Maranhão, Ana Beatriz Diniz, de 16 anos, participa da campanha “Cada Voto Conta”, da ONG Nossas. A ideia é  estimular outros jovens a fazerem o alistamento eleitoral e, em troca, os multiplicadores podem ganhar prêmios. 
 

TEC//SONORA: Ana Beatriz Diniz, estudante e ativista 

“Falar sobre política de uma forma aberta também é uma uma iniciativa minha de votar. Votar pra mostrar pros adolescentes a gente pode começar esse processo de democracia e pode começar a desmistificar que política é só no Congresso Nacional. Não. Política tem que estar na boca do povo.” 
 

LOC: Uma enquete realizada pela Unicef ouviu 3 mil adolescentes. Segundo a pesquisa 9 em cada 10 jovens acreditam que o voto tem poder de transformar a realidade. Para o coordenador do programa Cidadania dos Adolescentes do Unicef no Brasil, Mário Volpi, esse resultado revela um engajamento de adolescentes com potencial de transformação, uma vez que eles vivem as políticas públicas em seu dia a dia. 

TEC//SONORA:  Mário Volpi, coordenador do programa Cidadania dos Adolescentes do Unicef no Brasil.

“Eles tem um bom conhecimento para ajudar o país a identificar os problemas e também as soluções para esses problemas que afligem especialmente a população mais vulnerável. Então essa presença, essa participação dos adolescentes no processo eleitoral, é fundamental para garantir um processo democrático profundo que vai escolher os governantes de uma forma consciente, sabendo que são eles que vão tomar as decisões, que vão ajudar o país a se desenvolver.”
 

LOC: O prazo para tirar novo título ou fazer atualizações nas informações junto à Justiça Eleitoral se encerra em 4 de maio. Todo o procedimento pode ser feito pela internet, no site do Tribunal Superior Eleitoral.

Reportagem, Angélica Cordova