Foto: Divulgação/PRF
Foto: Divulgação/PRF

Inmet afirma que chuva dará trégua nos próximos dias nos estados de Pernambuco e Alagoas

Mesmo com a diminuição das chuvas, estados emitiram decreto de situação de emergência


Após o decreto de situação de emergência no estado de Pernambuco, as fortes chuvas devem diminuir nos próximos dias. É o que aponta o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet). 

Na última semana, a população de Pernambuco tem vivido pesadelos por conta das chuvas intensas na região que afetaram cerca de 2.862 pessoas de 756 famílias. O estado de calamidade ocorreu principalmente nos municípios da Zona da Mata Sul: São Benedito do Sul, Belém de Maria, Água Preta, Catende, Quipapá, Xexéu, Barreiros, Joaquim Nabuco, Cortês, Jaqueira, Rio Formoso e Maraial. 

Além disso, treze pontos de deslizamentos foram registrados nessas cidades, sendo quatro em Catende, sete em Joaquim Nabuco, um em Cortês e um em Rio Formoso.

No estado de Alagoas as  chuvas também já deixaram quase 24 mil pessoas desalojadas e desabrigadas nas cidades. Murici é o município com o maior número de pessoas desabrigadas. Já a Matriz de Camaragibe concentra a maior quantidade de desalojados. Uma pessoa morreu em Joaquim Gomes, em virtude das chuvas.

Com toda essa situação de calamidade, o meteorologista do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), Mamede Luiz afirma que nos próximos dias não há previsão de temporais e a população pode se tranquilizar. 

“No estado de Pernambuco as chuvas vão dar uma boa diminuída. Então, todo aquele cenário que aconteceu ali de sexta para sábado essa semana não está sendo previsto. Então vai ser uma semana para eles de calmaria.  Nada mais de chuva, tem que entender que ainda está dentro da estação chuvosa deles, da quadra chuvosa deles que vai pelo menos até agosto, mas daqui para frente a tendência é ir diminuindo”, afirmou o meteorologista. 

Apesar da trégua, os municípios de Atalaia, Barra de São Miguel, Branquinha, Colônia Leopoldina, Coqueiro Seco, Flexeiras, Ibateguara, Jacuípe, Joaquim Gomes, Maragogi, Matriz de Camaragibe, Murici, Paulo Jacinto, Paripueira, Pilar, Quebrangulo, Rio Largo, São José da Laje, Santana do Mundaú, São Luís do Quitunde, São Miguel dos Milagres, União dos Palmares, Penedo, Marechal Deodoro, Cajueiro, Capela, Viçosa, São Miguel dos Campos e Satuba decretaram emergência pelo período de 180 dias. 

Receba nossos conteúdos em primeira mão.

LOC.: Na última semana, a população de Pernambuco viveu pesadelos por conta das chuvas intensas na região que afetaram cerca de 2.862 pessoas. Além do Pernambuco,  o estado de Alagoas também já deixou quase 24 mil pessoas desalojadas e desabrigadas nas cidades. 

Apesar da situação de calamidade, o meteorologista do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), Mamede Luiz afirma que nos próximos dias não há previsão de temporais e a população pode se tranquilizar. 

TEC/SONORA: Mamede Luiz - Metereologista 

“No estado de Pernambuco as chuvas vão dar uma boa diminuída. Então, todo aquele cenário que aconteceu ali de sexta para sábado essa semana não está sendo previsto. Então vai ser uma semana pra eles de calmaria.  Nada mais de chuva, tem que entender que ainda está dentro da estação chuvosa deles, da quadra chuvosa deles que vai pelo menos até agosto, mas daqui pra frente a tendência é ir diminuindo”.


LOC.: Apesar da diminuição das chuvas, alguns municípios como Atalaia, Barra de São Miguel, Branquinha, Colônia Leopoldina, Coqueiro Seco, Flexeiras em Alagos e os municípios da Zona da Mata Sul: São Benedito do Sul, Belém de Maria, Água Preta, Catende, Quipapá, Xexéu, Barreiros, Joaquim Nabuco, Cortês, Jaqueira, Rio Formoso e Maraial decretaram situação de emergência pelos próximos 180 dias. 

Reportagem, Daniela Gomes