Imagem: Tânia Rêgo/Agência Brasil
Imagem: Tânia Rêgo/Agência Brasil

Índice de Confiança do Consumidor sobe 4,3 pontos em abril

Com o aumento, foi recuperado 44% da queda sofrida no mês anterior. Dados foram divulgados pela Fundação Getúlio Vargas (FGV)


O Índice de Confiança do Consumidor (ICC) do Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getúlio Vargas (FGV) subiu 4,3 pontos em abril. Agora com 72,5 pontos no total, o índice recuperou 44% da queda sofrida no mês anterior.

Segundo Viviane Seda Bittencourt, coordenadora das Sondagens da FGV, a confiança dos consumidores ainda precisa ser avaliada com cautela e pode ser justificada por fatores econômicos e psicológicos, como a incerteza em relação à saúde por conta do momento atual. Apesar disso, o indicador mostra expectativas com a economia para os próximos meses, subindo 8,6 pontos.

Índice de Confiança do Empresário do Comércio atinge menor nível desde setembro

Intenção de consumo dos brasileiros volta a cair em abril

Já o indicador que mede o ímpeto para compras subiu 6,5 pontos, para o total de 53,1 pontos. Apesar do resultado positivo, o patamar ainda é baixo quando comparado aos níveis pré-pandemia. Entre janeiro de 2018 e fevereiro de 2020, esse mesmo valor médio para compras foi de 82,7 pontos.

Continue Lendo



Receba nossos conteúdos em primeira mão.

LOC.: O Índice de Confiança do Consumidor (ICC) do Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getúlio Vargas (FGV) subiu 4,3 pontos em abril. Agora com 72,5 pontos no total, o índice recuperou 44% da queda sofrida no mês anterior.

Segundo Viviane Seda Bittencourt, coordenadora das Sondagens da FGV, a confiança dos consumidores ainda precisa ser avaliada com cautela e pode ser justificada por fatores econômicos e psicológicos, como a incerteza em relação à saúde por conta do momento atual. Apesar disso, o indicador mostra expectativas com a economia para os próximos meses, subindo 8,6 pontos.

Já o indicador que mede o ímpeto para compras subiu 6,5 pontos, para o total de 53,1 pontos. Apesar do resultado positivo, o patamar ainda é baixo quando comparado aos níveis pré-pandemia. Entre janeiro de 2018 e fevereiro de 2020, esse mesmo valor médio para compras foi de 82,7 pontos.

Reportagem, Poliana Fontenele