Foto: Raquel Portugal/Fiocruz Imagens
Foto: Raquel Portugal/Fiocruz Imagens

Fiocruz é selecionada pela OMS para produzir vacina contra Covid-19

O Instituto de Tecnologia em Imunobiológicos (Bio-Manguinhos) foi escolhido como centro para produção de vacinas na América Latina. Objetivo da iniciativa é ampliar acesso aos imunizantes na região


A Organização Mundial da Saúde (OMS) selecionou, nesta terça-feira (21), o Instituto de Tecnologia em Imunobiológicos (Bio-Manguinhos) da Fiocruz para ser um dos centros de produção de vacinas na América Latina. A tecnologia utilizada no imunizante contra a Covid-19 será a de RNA mensageiro, cujo estudo já vem sendo desenvolvido e está na fase pré-clínica.

A Fiocruz informou que a vacina de mRNA é baseada na tecnologia de RNA auto-replicativo e expressa não somente a proteína Spike, chamada proteína “S”, mas também a proteína “N” do coronavírus, o que resulta em uma melhor resposta imunológica. “Essa tecnologia demanda menos necessidades produtivas, atingindo uma escala em termos de doses superior à de outras vacinas de mRNA. Isto permite que o seu custo seja inferior ao de outras vacinas semelhantes, possibilitando a ampliação ao seu acesso”, informou a Fundação por nota.

O diretor de Bio-Manguinhos, Mauricio Zuma, afirma que essa é mais uma importante conquista para o Instituto. “Essa é uma vacina que está sendo desenvolvida internamente e contará com apoio de especialistas, indicados pela a OMS e pela OPAS [Organização Pan-Americana de Saúde]. Assim, vamos poder continuar apoiando o acesso mais equitativo às vacinas no âmbito mundial”. Ele também enfatizou que ter o domínio sobre a plataforma de última tecnologia, como é a do RNA mensageiro, vai permitir elaborar imunizantes para outras doenças futuramente.

A OMS lançou chamada mundial em de abril de 2021 para ampliar a capacidade de produção e o acesso às vacinas contra a Covid-19 nas Américas. Além da Fiocruz, uma instituição de imunobiologia argentina também foi escolhida pelo comitê de especialistas da OPAS. Mais de 30 instituições científicas latino-americanas participaram da seleção.

Tecnologia para América Latina e Caribe

Finalizado os estudos e testes da vacina contra a Covid-19, ela passará pelo processo de análise da OMS, que determinará se está dentro dos padrões internacionais de qualidade, segurança e eficácia. Em seguida, o imunizante será oferecido aos estados-membros e territórios da América Latina e Caribe que fazem parte da OPAS. 

A Fiocruz esclareceu que o projeto da vacina contou com recursos do Ministério da Saúde e de emendas parlamentares. O Instituto de Tecnologia em Imunobiológicos - Bio-Manguinhos já dispõe de aparato e instalações suficientes para a produção do imunizante, não sendo necessária a construção de uma nova fábrica. 

Covid no Brasil

O País registrou 876 mortes nas últimas 24h e 36.473 novos casos confirmados, segundo último boletim divulgado pelo Ministério da Saúde. O número de recuperados é de 20.295.538. 

Taxa de Letalidade por Estado

  • Rio de Janeiro - 5,12%
  • São Paulo - 3,41%
  • Amazonas - 3,22%
  • Pernambuco - 3,18%
  • Maranhão - 2,86%
  • Pará - 2,82%
  • Goiás - 2,74%
  • Ceará - 2,61%
  • Alagoas - 2,60%
  • Paraná - 2,58%
  • Minas Gerais - 2,56%
  • Mato Grosso do Sul - 2,56%
  • Mato Grosso - 2,55%
  • Rondônia - 2,46%
  • Rio Grande do Sul - 2,42%
  • Piauí - 2,19%
  • Bahia - 2,18%
  • Sergipe - 2,16%
  • Espírito Santo - 2,16%
  • Distrito Federal - 2,11%
  • Paraíba - 2,11%
  • Acre - 2,09%
  • Rio Grande do Norte -1,99%
  • Tocantins - 1,68%
  • Santa Catarina - 1,62%
  • Amapá - 1,61%
  • Roraima - 1,58%
  • Brasil -  2,78%

Continue Lendo



Receba nossos conteúdos em primeira mão.

LOC:  O Instituto de Tecnologia de Bio-Manguinhos, da Fiocruz, foi escolhido pela Organização Mundial de Saúde como centro de produção de vacinas na América Latina.

A tecnologia usada no imunizante será a de RNA mensageiro, que tem o custo inferior ao de outras vacinas semelhantes. Segundo o diretor de Bio-Manguinhos, Mauricio Zuma, isso possibilita um maior acesso à vacina.
 

Tec/Sonora: Mauricio Zuma, diretor de Bio-Manguinhos.

“Essa é uma vacina que está sendo desenvolvida internamente e contará com apoio de especialistas, indicados pela a OMS e pela OPAS. Assim vamos poder continuar apoiando o acesso mais equitativo às vacinas no âmbito mundial”. 
 

LOC.: Finalizado os estudos e testes da vacina contra a Covid-19, ela passará por análise da OMS, que determina se está dentro dos padrões internacionais de qualidade, segurança e eficácia. Em seguida, a vacina será oferecida aos estados-membros da América Latina que fazem parte da Organização Pan-Americana da Saúde.

Sobre o coronavírus no Brasil, nas últimas 24 horas foram registradas 876 mortes e mais de 36 mil novos casos. O estado do Rio de Janeiro continua com a maior taxa de letalidade com 5,12%. 
 

Reportagem, Manuela Correa.