Foto: Valter Campanato/Agência Brasil
Foto: Valter Campanato/Agência Brasil

Espírito Santo: produção agrícola cresce 5,39% em 2022, com alta puxada pelo café

A produção de café arábica cresceu 45,62%, seguida pela cana-de-açúcar, pimenta-do-reino e tomate


A produção de café arábica puxou a  alta do setor agrícola no Espírito Santo ano passado, com crescimento de 45,62%. Outras das variações produtivas que se destacaram: cana-de-açúcar (+7,67%), pimenta-do-reino (+6,17%) e tomate (+2,78%). No conjunto de 36 produtos de base agrícola, a produção agrícola capixaba registrou um aumento de 5,39% em 2022, na comparação com o ano anterior. As informações foram divulgadas pela Secretaria da Agricultura, Abastecimento, Aquicultura e Pesca.

Victor Nogueira, consultor de agronegócio da BMJ Consultores Associados, aponta que o principal produto da agricultura capixaba é o café. “No ano passado, foram colhidas mais de 723 milhões de toneladas de café conilon — o que significa que o Espírito Santo foi responsável por mais de 67% da produção nacional dessa variedade”, explica.

Nogueira ainda informa que, devido à importância do café para o Espírito Santo, o estado criou um programa de desenvolvimento sustentável da cafeicultura, que visa aprimorar a sustentabilidade e dar continuidade ao crescimento da produção e da produtividade.

De acordo com o consultor, os fatores que levaram ao resultado positivo do setor agrícola capixaba foram o clima, o empenho dos produtores; além da maior disponibilidade de crédito rural. Além disso, neste ano, foi anunciado um novo plano de crédito rural, para a safra 2023/24 no Espírito Santo. Foram disponibilizados mais de R$ 7 bilhões em recursos, o maior valor de financiamento da história.

“Dentro desse plano, teve um destaque especial para agricultura familiar. É importante destacar que 75% de toda agricultura realizada no Espírito Santo é dessa modalidade. Então, o plano dando uma ênfase maior nesse tipo de produtor,  disponibilizando recursos que vão ser voltados para o custeio da atividade para o financiamento, produtividade e sustentabilidade, acaba gerando esse resultado”, completa Nogueira.

As produções que apresentaram queda ano passado foram coco (-14,07%), banana (-3,08%), mamão (-2,94%) e mandioca (-1,08%). Além disso, a área colhida total aumentou em 3,94%, saindo de 578.947 hectares em 2021 para 601.778 hectares em 2022. 

Expectativas para 2023

Victor Nogueira afirma que o agronegócio é um setor importante, já que representa 30% do Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil — e emprega um terço da população economicamente ativa. “Espera-se uma safra de café em 2023, menor que no ano anterior, considerando os investimentos feitos em produtividade em expansão da produção em diversificação das culturas”, explica.

Ele ainda aponta que são esperados resultados positivos para as exportações do agronegócio. Projeta-se que o Espírito Santo vai realizar mais de 2 bilhões de dólares em exportações agrícolas, enquanto em 2022, o valor foi de US$ 1,7 bilhão.

Leia mais:

Comissão do Senado aprova incentivo para indústria de fertilizantes nacional

Inadimplência entre produtores rurais é de 28%, segundo levantamento da Serasa Experian

Agronegócio: exportações batem recorde em agosto

Receba nossos conteúdos em primeira mão.

LOC.: No Espírito Santo, a produção de café arábica liderou o aumento do setor agrícola no ano passado, registrando um crescimento de 45,62%. Além disso, outras culturas que se destacaram em termos de crescimento produtivo incluem cana-de-açúcar, com aumento de 7,67%, pimenta-do-reino, 6,17%, e tomate, 2,78%. No conjunto de 36 produtos agrícolas, a produção capixaba aumentou 5,39% em 2022, em comparação com o ano anterior. Esses dados foram divulgados pela Secretaria da Agricultura, Abastecimento, Aquicultura e Pesca, do governo do estado. O consultor de agronegócio Victor Nogueira ressalta que o café é o principal produto da agricultura, no Espírito Santo .

TEC./SONORA: Victor Nogueira, consultor de agronegócio da BMJ Consultores Associados

“No ano passado, foram colhidas mais de 723 milhões de toneladas de café conilon. O que significa que o Espírito Santo foi responsável por mais de 67% da produção nacional dessa variedade.”


LOC.: Nogueira ainda informa que, devido à importância do café para o Espírito Santo, o estado criou um programa de desenvolvimento sustentável da cafeicultura, que visa aprimorar a sustentabilidade e dar continuidade ao crescimento da produção e da produtividade.

De acordo com o consultor, os fatores que levaram ao resultado positivo do setor agrícola capixaba foram o clima, o empenho dos produtores; além da maior disponibilidade de crédito rural. Além disso, neste ano, foi anunciado um novo plano de crédito rural, para a safra 2023/24 no Espírito Santo. Foram disponibilizados mais de R$ 7 bilhões em recursos, o maior valor de financiamento da história.
 

TEC./SONORA: Victor Nogueira, consultor de agronegócio da BMJ Consultores Associados

“Dentro desse plano, teve um destaque especial para agricultura familiar. É importante destacar que 75% de toda agricultura realizada no Espírito Santo é dessa modalidade. Então, o plano dando uma ênfase maior nesse tipo de produtor, disponibilizando recursos que vão ser voltados para o custeio da atividade para o financiamento, produtividade e sustentabilidade, acaba gerando esse resultado.”
 


LOC.: No ano passado, houve queda na produção de coco, banana, mamão e mandioca. Além disso, a área total colhida aumentou em 3,94% de 2021 para 2022. 

Para 2023, Victor Nogueira prevê uma safra de café menor em comparação ao ano anterior, devido aos investimentos em produtividade e diversificação das culturas. Ele também antecipa resultados positivos nas exportações do agronegócio, com o Espírito Santo projetando mais de 2 bilhões de dólares em exportações agrícolas, em comparação aos 1,7 bilhão de dólares registrados em 2022.

Reportagem, Nathália Guimarães