Foto: Valter Campanato/Agência Brasil
Foto: Valter Campanato/Agência Brasil

Dólar hoje: moeda abre a quarta-feira (27) cotada a R$ 4,97

O euro seguiu a tendência de alta e começou o dia cotado a R$ 5,25


O dólar americano começou esta quarta-feira (27) em forte alta, cotado a R$ 4,97 para compra e venda. O euro seguiu a mesma tendência e começou o dia cotado a R$ 5,25. 

A desvalorização do real frente às moedas internacionais ocorre com a repercussão da ata do Banco Central do Brasil acerca do corte da taxa básica de juros, a Selic. 

A ata reforça os ganhos positivos da economia em 2023, mas aponta o cenário de desinflação e preocupação com a necessidade do cumprimento de metas fiscais no país. 

No cenário internacional, após a manutenção da taxa básica de juros da economia norte-americana, o Banco Central dos Estados Unidos apontou para a possibilidade de aumento dessa taxa até o final do ano e de uma política monetária mais restritiva para 2024.

Diante da segurança de se investir em títulos da dívida americana, somado com maior rendimento da sua taxa de juros futura, os títulos brasileiros perdem atratividade. Em consequência, há saída de divisas em âmbito nacional e aumento do câmbio. 

As informações referentes à cotação das moedas podem ser consultadas no site do Banco Central do Brasil.
 

Receba nossos conteúdos em primeira mão.

LOC.: O dólar americano começou esta quarta-feira (27) em forte alta, cotado a R$ 4,97 para compra e venda. O euro seguiu a mesma tendência e começou o dia cotado a R$ 5,25. 

A desvalorização do real frente às moedas internacionais ocorre com a repercussão da ata do Banco Central do Brasil acerca do corte da taxa básica de juros, a Selic. 

A ata reforça os ganhos positivos da economia em 2023, mas aponta o cenário de desinflação e preocupação com a necessidade do cumprimento de metas fiscais no país. 

No cenário internacional, após a manutenção da taxa básica de juros da economia norte-americana, o Banco Central dos Estados Unidos apontou para a possibilidade de aumento dessa taxa até o final do ano e de uma política monetária mais restritiva para 2024.

Diante da segurança de se investir em títulos da dívida americana, somado com maior rendimento da sua taxa de juros futura, os títulos brasileiros perdem atratividade. Em consequência, há saída de divisas em âmbito nacional e aumento do câmbio. 

As informações referentes à cotação das moedas podem ser consultadas no site do Banco Central do Brasil.

Reportagem, Luigi Mauri, narração, Lívia Azevedo