Indígena sendo vacinado contra a Covid-19 - Foto: Ministério da Saúde
Indígena sendo vacinado contra a Covid-19 - Foto: Ministério da Saúde

Covid-19: 81% dos indígenas já receberam as duas doses da vacina

Ministério da Saúde enviou 180 mil doses de reforço para esses povos tradicionais


Até o momento, 81% dos indígenas brasileiros foram vacinados com as duas doses da vacina contra a Covid-19. Isso representa 329.967 pessoas, de acordo com informações do Ministério da Saúde. Além disso, 88% já receberam a primeira dose, ou seja, 359.349 mil indígenas estão com ciclo de imunização iniciado.

Para aumentar a cobertura vacinal dos povos indígenas, o Ministério da Saúde enviou cerca de 180 mil doses de reforço para complementar a vacinação. Do total, 118.023 doses do imunizante da Pfizer foram destinadas para primeira e segunda doses dos adolescentes indígenas de 12 a 17 anos, informou a pasta.

Pernambuco é o estado com maior percentual de doses aplicadas em indígenas, com 99% vacinados com a primeira dose e 98% com a segunda.

Além da vacinação, o secretário especial de Saúde Indígena, Robson da Silva, relembra outras ações da pasta para frear a Covid- 19 em comunidades. “O ministério contribui com recursos, abertura de crédito para obras, compra de medicamentos e insumos e contratação de profissionais de saúde. Nunca se investiu tanto na saúde dos indígenas como nesse momento”, diz.
 
A última atualização do boletim Covid-19 do Departamento de Atenção à Saúde Indígena (DASI) aponta que 54.293 foram infectados e 825 morreram pela doença. Robson lamentou esse número. “Eu lamento cada morte. É uma tristeza cada morte. Quantas lideranças perdemos. Além disso, também é importante dizer quantas vidas salvas graças ao trabalho da SESAI, juntamente com caciques e lideranças, evitando circulação nas aldeias”.
 
A população indígena faz parte dos grupos prioritários do Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação Contra a Covid-19. 

Dados da Covid-19

O Brasil registrou mais 5.797 casos e 460  óbitos por Covid-19, segunda-feira (25), de acordo com o balanço mais recente do Ministério da Saúde. Desde o início da pandemia, mais de 21.735.560 milhões de brasileiros foram infectados pelo novo coronavírus. 

O Rio de Janeiro ainda é o estado com a maior taxa de letalidade entre as 27 unidades da federação: 5,17%. O índice médio de letalidade do País estava em 2,9%. 

Taxa de letalidade nos estados

  • RJ    5,17%
  • SP    3,44%
  • AM    3,22%
  • PE    3,17%
  • MA    2,93%
  • PA    2,80%
  • GO    2,69%
  • AL    2,62%
  • PR    2,61%
  • CE    2,59%
  • MS    2,56%
  • MG    2,54%
  • MT    2,52%
  • RO    2,44%
  • RS    2,42%
  • PI    2,18%
  • BA    2,17%
  • SE    2,16%
  • ES    2,13%
  • PB    2,11%
  • DF    2,10%
  • AC    2,09%
  • RN    1,99%
  • TO    1,70%
  • SC    1,62%
  • AP    1,61%
  • RR    1,60%

Os números têm como base o repasse de dados das Secretarias Estaduais de Saúde ao órgão. Acesse as informações sobre a Covid-19 no seu estado e município no portal brasil61.com/painelcovid.  

Continue Lendo



Receba nossos conteúdos em primeira mão.

LOC.:  Até o momento, 81% dos indígenas foram vacinados com as duas doses da vacina contra a Covid-19 e 88% já receberam a primeira dose.  Para aumentar a cobertura vacinal, o Ministério da Saúde enviou cerca de 180 mil doses de reforço  para atender a essa população. O secretário especial de Saúde Indígena, Robson da Silva, comenta outras ações do governo para diminuir o avanço da Covid-19 entre esse público.
 
 

TEC./SONORA: Robson da Silva- secretário especial de saúde indígena
 
 “ O ministério contribui com recursos, abertura de crédito para obras, compra de medicamentos e insumos e contratação de profissionais de saúde. Nunca se investiram tanto na saúde dos indígenas como nesse momento”.
 

LOC.:  Agora, os números da Covid-19 no Brasil, segundo o Ministério da Saúde. Nas últimas 24 horas, o país registrou pouco mais de quase 6 mil  casos e o número de mortes ficou em 160. Já a taxa de letalidade do país está em 2,9%. O estado do Rio de Janeiro lidera com o indicador de 5,17%. 

Reportagem, Flávio Macêdo