Foto: Brittany Colette/Unsplash
Foto: Brittany Colette/Unsplash

Casos de pessoas que pegaram Covid pós-vacina e tiveram apenas sintomas leves

Conheça melhor o SUS, um dos maiores sistemas de saúde pública do mundo, nessa série de podcasts ancoradas por Fabi Costa, uma conversa descontraída misturando números e histórias reais

Salvar imagem

Oi gente, tudo bem? Eu sou Fabi Costa e, no episódio de hoje, a gente vai ouvir histórias reais de pessoas que tiveram Covid-19 antes e depois da vacina.
Será que a vacina faz mesmo diferença?

Vamos começar com dados! Uma pesquisa feita pelo Instituto Federal da Paraíba, em parceria com a Universidade Federal Rural de Pernambuco, comprovou que a vacinação contra a Covid reduziu 96,44% o número de mortes causadas pela doença. É quase 100% de redução nas mortes, gente.

Esse estudo foi aceito na Fractals, uma das revistas científicas internacionais mais renomadas que existe, editada pela Universidade de Yale, nos Estados Unidos.

Tá, mas qual seria a explicação médica, científica, pra essa redução nas mortes? Quem explica pra gente é o Infectologista Doutor Jorge Kalil.

"Quando você vacina alguém você simula a doença, sem que a pessoa fique infectada. (...) Desta forma, você já tem a defesa armada, e quando o vírus entrar em contato com você, você o elimina rapidamente, sem ter nenhum tipo de problema ou doença."

Ou seja, a vacina ajuda a criar uma memória de como o corpo se defende contra a covid-19. E aí, se a gente é infectado pela doença após a vacina, nosso corpo já vai estar craque em combater aquele vírus.

Foi isso que aconteceu com o João Vitor, lá do Tocantins. O João pegou Covid-19 antes e depois da vacina. E aí, João, a vacina fez diferença?

"Eu tive Covid-19 no início da pandemia, em meados de abril de 2020. Tive muita falta de ar, dor de cabeça, coriza, tosse seca, mas principalmente, o que me incomodou mais, foi a falta de ar. Numa segunda vez, depois de vacinado, com a primeira dose, eu contraí covid-19 uma segunda vez em 2021 e (...) tive sintomas mais leves. Parecido muito com uma gripe simples."

Pois é, João. É por isso que a gente vai continuar dizendo: a vacina salva vidas!

Pra ter uma ideia do perigo que corre quem não se vacina, a Universidade Estadual de Londrina fez uma pesquisa e descobriu que os não-vacinados representam 75% das mortes por Covid-19. Ou seja, de cada 100 pessoas que morrem por covid-19, 75 não se vacinaram.

E aí, vamos se vacinar? 

E você já sabe: onde tem SUS, tem vacina.

Continue Lendo



Receba nossos conteúdos em primeira mão.