Ao todo, a elaboração de projetos básico e executivo e a construção dos Corredores Ouro Verde, Campo Grande e de Interligação Perimetral contaram com investimentos de R$ 458 milhões. Foto: Adalberto Marques/MDR
Ao todo, a elaboração de projetos básico e executivo e a construção dos Corredores Ouro Verde, Campo Grande e de Interligação Perimetral contaram com investimentos de R$ 458 milhões. Foto: Adalberto Marques/MDR

Campinas (SP): entrega parcial de três corredores do BRT na cidade paulista facilitará mobilidade urbana

Investimentos na obra chegam a R$ 458 milhões


A mobilidade urbana da cidade de Campinas, no interior do estado de São Paulo, vai melhorar com a ajuda do Governo Federal. Nesta quinta-feira (30), foram inaugurados trechos de três corredores de Bus Rapid Transit (BRT), que vão beneficiar cerca de 425 mil pessoas, o equivalente a 40% da população da cidade. 

Ao todo, a elaboração dos projetos básico e executivo e a construção dos Corredores Ouro Verde, Campo Grande e de Interligação Perimetral contaram com investimentos de R$ 458 milhões. Desse total, R$ 98,8 milhões são provenientes do Orçamento Geral da União (OGU), por meio do Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR), R$ 197 milhões correspondem a financiamentos com recursos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) e R$ 162,3 milhões são a contrapartida da Prefeitura de Campinas, que é responsável pelas obras.

“Esta é uma obra que muda a vida de uma cidade e de toda a sua população. O sistema de BRT de Campinas vai ser um vetor de desenvolvimento do município e das cidades vizinhas, além de melhorar a qualidade de vida dos usuários, que vão gastar menos tempo para se locomover pelo espaço urbano. O investimento do Governo Federal é prova do compromisso que temos em finalizar obras em andamento”, destacou o ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho.

Projeto pretende evitar prejuízos ao direito da concorrência no Brasil

Vacinas da gripe e covid podem ser aplicadas no mesmo dia, diz Ministério da Saúde

Os corredores de BRT em Campinas somam 36,6 quilômetros de extensão. O trecho mais longo deles é o Corredor Campo Grande, com 17,9 quilômetros, 17 estações de parada e três terminais rodoviários, além de 13 viadutos e pontes.

Já o Corredor Ouro Verde conta com 16 estações de parada e outros três terminais, com mais cinco viadutos e pontes, distribuídos por 14,6 quilômetros. E o Corredor de Interligação Perimetral tem quatro estações e um terminal rodoviário em 4,1 quilômetros de via.

As obras foram iniciadas em 2017 e a projeção é que todo o sistema de BRT seja entregue à população até o início de 2022.

Investimentos em mobilidade urbana

Os investimentos do MDR no setor reforçam a preocupação do Governo Federal em oferecer mais qualidade de vida aos brasileiros. Desde 2019, foram investidos cerca de R$ 5,9 bilhões do Orçamento Geral da União (OGU) em ações de mobilidade e desenvolvimento regional.
 

Continue Lendo



Receba nossos conteúdos em primeira mão.

LOC.: Com apoio do Governo Federal, a mobilidade urbana em Campinas vai melhorar. Nesta quinta-feira, 30 de setembro, foi feita a inauguração parcial do sistema de BRT da cidade, que vai beneficiar diretamente 425 mil pessoas.
Presente à solenidade, o ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho, destacou o esforço da União em apoiar a conclusão de obras estruturantes que possam beneficiar a população brasileira.
 

TEC./SONORA: Rogério Marinho, ministro do Desenvolvimento Regional
“Este governo tem feito mudanças extraordinárias e uma delas é esta obra. Ela começa em 2012. Quase dez anos. A participação do Governo Federal nesta obra, em apenas dois anos de gestão, foi de quase R$ 100 milhões. Porque este governo prioriza os investimentos em infraestrutura.”
       

LOC.: Foram inaugurados trechos dos Corredores Ouro Verde, Campo Grande e de Interligação Perimetral, com investimento total de quatrocentos e cinquenta e oito milhões de reais.
Desse total, quase cem milhões foram repassados pelo Ministério do Desenvolvimento Regional. Outros 197 milhões correspondem a financiamentos com recursos do FGTS. Além disso, pouco mais de 162 milhões são de contrapartidas da Prefeitura de Campinas.
A previsão é que as obras sejam concluídas até o início de 2022.
Para saber mais sobre essa e outras ações de mobilidade urbana do Governo Federal, acesse mdr.gov.br.