Foto: Antonio Diaz / Adobe Stock
Foto: Antonio Diaz / Adobe Stock

Apenas 40% dos MEIs e pequenos empresários da Região Centro-Oeste renegociaram suas dívidas fiscais

O Programa de Reescalonamento do Pagamento de Débitos no Âmbito do Simples Nacional (Relp), conhecido como “Refis do Simples” vai até terça-feira (31). É possível obter até 90% de desconto sobre multas e juros


Na Região Centro-Oeste existem pouco mais de 1,5 milhão de empreendedores, donos de micro e pequenas empresas, ou microempreendedores individuais (MEI). Desses, 35 mil estavam com dívidas tributárias em janeiro deste ano. Até o dia 31 de maio, eles podem renegociar os débitos com o Fisco por meio do Programa de Reescalonamento do Pagamento de Débitos no Âmbito do Simples Nacional (Relp), conhecido como “Refis do Simples”. Mas 60% dos inadimplentes ainda não aderiram ao parcelamento. 

“O Relp possibilita aos empreendedores fazer a negociação de dívidas tributárias com condições muito boas. Como por exemplo parcelamentos em até 15 anos de débitos fiscais e possibilidade de 90% de descontos em multas e juros de 100% em encargos e honorários advocatícios”, explicita Lillian Toledo, analista de políticas públicas do Sebrae Nacional. 

Na capital do país, a empreendedora Paula Soares, 40 anos, tem uma loja na Asa Sul há 22 anos. Ela disse que precisou recorrer ao Relp. “Na pandemia eu precisei fechar meu seguimento, loja de presentes, e acabou que fiquei sem pagar os impostos e quando reabriu precisei recorrer ao Refis. Pude negociar aqueles tributos que haviam ficado sem pagar no primeiro ano da pandemia e agora estou pagando de forma diluída, de forma mais leve.” 

Relp 2022: regularize sua empresa, prazo termina nesta terça-feira (31)

Empresas podem renegociar dívidas com descontos de até 90%

Baixa adesão 

Apesar da oportunidade, a adesão na Região Centro-Oeste ainda é baixa. Até o último dia 27 de maio, pouco mais de 39% dos empresários elegíveis haviam feito a renegociação. 

Estado

Empresas elegíveis 

Quantas aderiram 

GO 13.213 5.944
MT 9.092 2.402
DF 7.727 4.014
MS 5.002 1.554
TOTAL  35.034 13.914


Refis do Simples: como saber se seu CNPJ pode se beneficiar? 

O Relp é destinado a empresas com dívidas no Simples, inclusive aquelas que foram desenquadradas do sistema, ou que pediram retorno ao regime até janeiro deste ano. Também podem participar empresas que já tinham feito renegociações de débitos anteriores. 

A situação fiscal pode ser consultada por meio do Portal do Simples Nacional, do Portal e-CAC ou pelo site Regularize, da Procuradoria Geral da Fazenda Nacional para quem está na dívida ativa. Todo o processo pode ser feito pela internet. 

Não há limite para a renegociação, ou seja, toda a dívida pode ser renegociada. O empresário tem até 15 anos para pagar as dívidas.  Mas a parcela mínima para ME e EPP é de R$ 300,00; para MEI de R$ 50,00. O desconto sobre os juros e multas vão de 65% a 90% e variam de acordo com a perda de arrecadação,  no comparativo dos anos de 2020  e 2019. O próprio empresário deve marcar a opção que melhor se enquadra a sua realidade. Confira a progressão dos descontos na tabela:

Receba nossos conteúdos em primeira mão.

LOC.: Na Região Centro-Oeste existem pouco mais de 1,5 milhão empreendedores, donos de micro e pequenas empresas, ou microempreendedores individuais (MEI). Desses, 35 mil estavam com dívidas tributárias em janeiro deste ano. Até o dia 31 de maio, eles podem renegociar os débitos com o Fisco por meio do Programa de Reescalonamento do Pagamento de Débitos no  mbito do Simples Nacional (Relp), conhecido como “Refis do Simples”. Mas 60% dos inadimplentes ainda não aderiram ao parcelamento. 
Lillian Toledo, analista de políticas públicas do Sebrae Nacional, explica as vantagens.
 

TEC./SONORA: Lilian Toledo, analista de políticas públicas do Sebrae Nacional

“O Relp possibilita aos empreendedores fazer a negociação de dívidas tributárias com condições muito boas. Como por exemplo parcelamentos em até 15 anos de débitos fiscais e possibilidade de 90% de descontos em multas e juros e 100% em encargos e honorários advocatícios. As condições são boas para quem está devendo pro Fisco.”
 


LOC.: Na capital do país, a empreendedora Paula Soares, 40 anos, tem uma loja na Asa Sul há 22 anos. Ela disse que precisou recorrer ao Relp. 
 

TEC./SONORA: Paula Soares, empreendedora

“Na pandemia eu precisei fechar meu seguimento, loja de presentes, e acabou que fiquei sem pagar os impostos e quando reabriu precisei recorrer ao Refis. Pude negociar aqueles tributos que haviam ficado sem pagar no primeiro ano da pandemia e agora estou pagando de forma diluída, de forma mais leve.” 
 


LOC.: Apesar das vantagens, 60% dos inadimplentes ainda não aderiram ao parcelamento. O Relp é destinado a empresas optantes pelo Simples, inclusive aquelas que foram desenquadradas do sistema, ou que pediram retorno ao regime até janeiro deste ano. Também podem participar quem já tinha feito renegociações de débitos anteriores. Não há limite para a renegociação, ou seja, toda a dívida existente pode ser renegociada em até 15 anos. 

A parcela mínima para micro e pequenas empresas é de R$ 300,00. Já para quem é MEI, o mínimo é uma parcela de R$ 50,00. O desconto sobre os juros e multas vão de 65% a 90%. Todo o processo é feito pela internet, por meio dos sites do e-CAC ou do portal Regularize. 

Reportagem, Angélica Cordova