Foto: Bruno Cecim/Ag.Pará
Foto: Bruno Cecim/Ag.Pará

94,4% dos municípios paraenses dizem que 1% do FPM vai ajudar no pagamento do 13º salário

Os dados foram levantados pela CNM e correspondem à pesquisa anual sobre o pagamento do 13º salário em 2023. Ao todo 89 municípios paraenses participaram do estudo


No Pará, dos municípios que participaram da pesquisa anual da Confederação Nacional de Municípios (CNM) sobre a situação fiscal, 84 afirmam que o adicional de 1% do Fundo de Participação dos Municípios (FPM) será útil para o pagamento do 13º salário dos servidores. Por outro lado, 5 municípios acreditam que o valor adicional não contribui para esse pagamento.

Em toda região Norte, dos 299 municípios que participaram do estudo, 278 afirmaram que o adicional será útil para o pagamento do 13º, 17 acreditam que a quantia não contribui para o pagamento —  e 4 não responderam.

Ricardo Valadão, especialista em Gestão de Cidades e Gestão Pública, recomenda que os municípios planejem suas finanças para 2024, a fim de evitar problemas no final do ano. Ele explica que a chave para uma gestão fiscal saudável envolve gastar menos e aumentar a arrecadação. Valadão também destaca a necessidade de o  governo dos municípios compreender que algumas áreas terão que reduzir seus gastos em comparação aos anos anteriores.

“E o planejamento, a nova Lei de Licitações, ela chega para ajudar também os municípios a reduzirem os seus gastos, como as compras coletivas feitas por consórcios vai ser habitual, conforme você tem, conglomerado de municípios comprando mesmo os itens em conjunto, você tem poder de barganha maior”, avalia.

O especialista destaca que, com a nova legislação, os municípios têm a oportunidade de melhorar suas negociações, adquirindo itens antes comprados a preços elevados por valores mais baixos em pregões, ajudando a reduzir despesas. Além disso, ele sugere fiscalizar rigorosamente a arrecadação de impostos municipais, promover campanhas para pagamentos pontuais e renegociar dívidas ativas, visando assim incrementar o caixa municipal.

De forma geral, a pesquisa da CNM abrangeu 4.456 municípios, sendo que 4.138 deles indicaram que o repasse extra de 1% do FPM é útil para o pagamento do 13º salário. Por outro lado, apenas 259 municípios consideram que esse valor não contribui para o pagamento do benefício e 59 não responderam.
 

Veja Mais:

Quase 30% dos municípios brasileiros devem terminar 2023 com dívidas
 

Receba nossos conteúdos em primeira mão.

LOC.: No Pará, dos municípios que participaram da pesquisa anual da CNM sobre a situação fiscal, 84 afirmam que o adicional de 1% do FPM será útil para o pagamento do 13º salário dos servidores. Por outro lado, 5 municípios acreditam que o valor adicional não contribui para esse pagamento.

O especialista em Gestão de Cidades e Gestão Pública Ricardo Valadão recomenda que os municípios planejem suas finanças para 2024, a fim de evitar problemas no final do ano. Ele explica que a chave para uma gestão fiscal saudável envolve gastar menos e aumentar a arrecadação. Valadão também destaca a necessidade de o governo dos municípios compreender que algumas áreas terão que reduzir seus gastos em comparação aos anos anteriores.
 

TEC./SONORA: Ricardo Valadão - especialista em Gestão de Cidades e Gestão Pública

“E o planejamento, a nova Lei de Licitações, ela chega para ajudar também os municípios a reduzirem os seus gastos, como as compras coletivas feitas por consórcios vai ser habitual, conforme você tem, conglomerado de municípios comprando mesmo os itens em conjunto, você tem poder de barganha maior.”
 


LOC.: O especialista destaca que, com a nova legislação, os municípios têm a oportunidade de melhorar suas negociações, adquirindo itens antes comprados a preços elevados por valores mais baixos em pregões, ajudando a reduzir despesas. Além disso, ele sugere fiscalizar rigorosamente a arrecadação de impostos municipais, promover campanhas para pagamentos pontuais e renegociar dívidas ativas, visando assim incrementar o caixa municipal.

De forma geral, a pesquisa da CNM abrangeu 4.456 municípios, sendo que 4.138 deles indicaram que o repasse extra de 1% do FPM é útil para o pagamento do 13º salário. Por outro lado, apenas 259 municípios consideram que esse valor não contribui para o pagamento do benefício.

Reportagem, Sophia Stein