Cadastro de mídia

TERMO DE USO E PARCERIA

TERMO DE USO E PARCERIA

Regras de Uso

1º - A utilização gratuita e livre dos materiais produzidos pelo Brasil 61 só será permitida depois que este termo de parceria for aceito pelo usuário, prevendo as seguintes regras:

a) A utilização do material - na íntegra, ou em partes - só será permitida desde que as informações não sejam distorcidas, manipuladas ou alteradas.

b) Não é necessário a identificação do Brasil 61 na hora da replicação do conteúdo. Mas toda e qualquer veiculação de áudios produzidos pelo Brasil 61 prevê o cadastro no site, com a disponibilização de dados que serão utilizados para a organização do mailing desta empresa,

2º - OBRIGAÇÕES DO BRASIL 61

a) O Brasil 61 se compromete, a partir deste termo de uso, a produzir conteúdo particularizado diariamente, trazendo informações de dia-a-dia e bastidores do Planalto Central, além de outras temáticas de relevância do noticiário nacional. 

b) O acesso ao conteúdo jornalístico (na versão de leitura) é livre e gratuito, podendo ser replicado por qualquer usuário que acesse o site. O download do áudio para que seja utilizado na programação das rádios requer que o radialista realize o login no site da Agência do Rádio - informando e-mail e senha cadastrados. 

3º - OBRIGAÇÕES DOS COMUNICADORES PARCEIROS

Não alterar o sentido dos materiais, ou distorcer fala de entrevistados ou mudar a conotação das mensagens dos materiais. 

ADENDOS IMPORTANTES SOBRE A PARCERIA

a) O Brasil 61 poderá distribuir conteúdo patrocinado com ou sem assinatura dos clientes patrocinadores do boletim e sem aviso prévio ao comunicador. 

b) As rádios parceiras não vão ter participação financeira sobre o faturamento do Brasil 61.

c) Os comunicadores podem patrocinar os conteúdos do Brasil 61, desde que não alterem o sentido e a conotação dos conteúdos oferecidos. Nesses casos, o Brasil 61 Mais não terá participação nos lucros conquistados pelos veículos parceiros. 

Ao clicar em ACEITO, a emissora aqui cadastrada afirma concordar e estar ciente de todas as condições apresentadas neste Termo de Utilização de Conteúdo.

Créditos: Ministério da Saúde

SERGIPE: Bebês internados na Maternidade Nossa Senhora de Lourdes, em Aracaju, precisam de doação de leite humano

No Brasil, em 2018, 160 mil recém-nascidos foram beneficiados com o leite de 159 mil doadoras.

Salvar imagemTexto para rádio

Foram algumas contrações no sétimo mês de gravidez que estimularam a estudante Clícia da Silva, de 17 anos, a ir à feira comprar o enxoval do filho. As dores foram ficando mais fortes, e a moradora de Indiaroba, que fica a 100 quilômetros de Aracaju, precisou ir o mais rápido possível para a capital, onde recebeu a notícia de que estava com oito centímetros de dilatação.

Não podia ser diferente: o pequeno Cleiton Ravi – atualmente, com quase dois meses – chegou ao mundo antes do esperado, pesando um quilo e novecentos gramas. Por ele ter nascido prematuro, Clícia teve dificuldades para alimentar seu bebê com seu próprio leite no início, e eles precisaram da ajuda de doadoras. 

“Achei muito bom porque eu não conseguia ordenhar meu leite, então outras mães doaram para quem precisava", conta a mamãe. 

A doação do leite materno foi feita por intermédio do Banco de Leite Humano Marly Sarney, localizado na Maternidade Nossa Senhora de Lourdes, que é referência em aleitamento materno em Sergipe. Esse ato foi necessário porque o leite humano é o melhor alimento para crianças de até dois anos, devendo ser o único alimento ofertado nos primeiros seis meses de vida,  principalmente para os recém-nascidos prematuros ou de baixo peso internados nas unidades neonatais.  A Maternidade Nossa Senhora de Lourdes  atende uma média de 50 bebês, atualmente. 

Segundo a gerente do Banco de Leite, Magda Dória, o leite materno tem todos os componentes necessários para nutrir, proteger e ajudar o desenvolvimento dos bebês. Além de também ajudar a mãe doadora a passar pelo período do puerpério com mais tranquilidade.  

“A mãe doadora é aquela que é saudável, que está dando a mama para o seu bebê, mas ela percebe que o peito ainda tem uma grande produção, ou seja, está sobrando leite nessa mama. Esse leite que sobra, se ela não retirar do peito, ele pode complicar essa mama”, afirma Magda. 

No Brasil, em 2018, 160 mil recém-nascidos foram beneficiados com o leite de 159 mil doadoras. Ao todo, foram coletados 186 mil litros de leite humano. Os dados são do Ministério da Saúde. 

Se você acabou de ter um bebê e produz mais leite que o seu bebê precisa, você pode ajudar a salvar a vida de bebês. Sergipe possui três Bancos de Leite Humano e um Posto de Coleta, basta ligar para o número (79) 3218-9403 e descobrir o mais próximo da sua casa. Os profissionais de saúde vão fazer um cadastro e levar os materiais necessários para a coleta do leite materno. O leite deverá ser congelado por até 10 dias. Depois, é só entrar em contato com o Banco de Leite Humano que eles vão buscar. Viu como é fácil?

Doe leite materno, alimente a vida. Para mais informações, acesse saude.gov.br/doacaodeleite.

Fonte: Brasil 61

Continue Lendo





Receba nossos conteúdos em primeira mão.

LOC.: Foram algumas contrações no sétimo mês de gravidez que estimularam a estudante Clícia da Silva, de 17 anos, a ir à feira comprar o enxoval do filho. As dores foram ficando mais fortes, e a moradora de Indiaroba, que fica a 100 quilômetros de Aracaju, precisou ir o mais rápido possível para a capital, onde recebeu a notícia de que estava com oito centímetros de dilatação.

Não podia ser diferente: o pequeno Cleiton Ravi – atualmente, com quase dois meses – chegou ao mundo antes do esperado, pesando um quilo e novecentos gramas. Por ele ter nascido prematuro, Clícia teve dificuldades para alimentar seu bebê com seu próprio leite no início, e eles precisaram da ajuda de doadoras. 

TEC./SONORA: Clícia da Silva, 17 anos, estudante. 

“Achei muito bom porque eu não conseguia ordenhar meu leite, então outras mães doaram para quem precisava.”

LOC.: A doação do leite materno foi feita por intermédio do Banco de Leite Humano Marly Sarney, localizado na Maternidade Nossa Senhora de Lourdes, que é referência em aleitamento materno em Sergipe. Esse ato foi necessário porque o leite humano é o melhor alimento para crianças de até dois anos, devendo ser o único alimento ofertado nos primeiros seis meses de vida,  principalmente para os recém-nascidos prematuros ou de baixo peso internados nas unidades neonatais.  A Maternidade Nossa Senhora de Lourdes  atende uma média de 50 bebês, atualmente. 

Segundo a gerente do Banco de Leite, Magda Dória, o leite materno tem todos os componentes necessários para nutrir, proteger e ajudar o desenvolvimento dos bebês. Além de também ajudar a mãe doadora a passar pelo período do puerpério com mais tranquilidade.  

TEC./SONORA: Magda Dória, gerente do Banco de Leite referência em Sergipe. 

“A mãe doadora é aquela que é saudável, que está dando a mama para o seu bebê, mas ela percebe que o peito ainda tem uma grande produção, ou seja, está sobrando leite nessa mama. Esse leite que sobra, se ela não retirar do peito, ele pode complicar essa mama”.

LOC.: No Brasil, em 2018, 160 mil recém-nascidos foram beneficiados com o leite de 159 mil doadoras. Ao todo, foram coletados 186 mil litros de leite humano. Os dados são do Ministério da Saúde. 

Se você acabou de ter um bebê e produz mais leite que o seu bebê precisa, você pode ajudar a salvar a vida de bebês. Sergipe possui três Bancos de Leite Humano e um Posto de Coleta, basta ligar para o número (79) 3218-9403 e descobrir o mais próximo da sua casa. Os profissionais de saúde vão fazer um cadastro e levar os materiais necessários para a coleta do leite materno. O leite deverá ser congelado por até 10 dias. Depois, é só entrar em contato com o Banco de Leite Humano que eles vão buscar. Viu como é fácil? Doe leite materno, alimente a vida. 

Doe leite materno, alimente a vida. Para mais informações, acesse saude.gov.br/.