Cadastro de mídia

TERMO DE USO E PARCERIA

TERMO DE USO E PARCERIA

Regras de Uso

1º - A utilização gratuita e livre dos materiais produzidos pelo Brasil 61 só será permitida depois que este termo de parceria for aceito pelo usuário, prevendo as seguintes regras:

a) A utilização do material - na íntegra, ou em partes - só será permitida desde que as informações não sejam distorcidas, manipuladas ou alteradas.

b) Não é necessário a identificação do Brasil 61 na hora da replicação do conteúdo. Mas toda e qualquer veiculação de áudios produzidos pelo Brasil 61 prevê o cadastro no site, com a disponibilização de dados que serão utilizados para a organização do mailing desta empresa,

2º - OBRIGAÇÕES DO BRASIL 61

a) O Brasil 61 se compromete, a partir deste termo de uso, a produzir conteúdo particularizado diariamente, trazendo informações de dia-a-dia e bastidores do Planalto Central, além de outras temáticas de relevância do noticiário nacional. 

b) O acesso ao conteúdo jornalístico (na versão de leitura) é livre e gratuito, podendo ser replicado por qualquer usuário que acesse o site. O download do áudio para que seja utilizado na programação das rádios requer que o radialista realize o login no site da Agência do Rádio - informando e-mail e senha cadastrados. 

3º - OBRIGAÇÕES DOS COMUNICADORES PARCEIROS

Não alterar o sentido dos materiais, ou distorcer fala de entrevistados ou mudar a conotação das mensagens dos materiais. 

ADENDOS IMPORTANTES SOBRE A PARCERIA

a) O Brasil 61 poderá distribuir conteúdo patrocinado com ou sem assinatura dos clientes patrocinadores do boletim e sem aviso prévio ao comunicador. 

b) As rádios parceiras não vão ter participação financeira sobre o faturamento do Brasil 61.

c) Os comunicadores podem patrocinar os conteúdos do Brasil 61, desde que não alterem o sentido e a conotação dos conteúdos oferecidos. Nesses casos, o Brasil 61 Mais não terá participação nos lucros conquistados pelos veículos parceiros. 

Ao clicar em ACEITO, a emissora aqui cadastrada afirma concordar e estar ciente de todas as condições apresentadas neste Termo de Utilização de Conteúdo.

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Confaz divulga preço médio de combustíveis no país a partir de 1º de agosto

Em Pernambuco e Tocantins, valor do litro da gasolina deve ser de R$ 4,60, aponta órgão


O Conselho Nacional de Política Fazendária (Confaz) divulgou nesta segunda-feira (27) o preço médio dos combustíveis nos 26 estados e no Distrito Federal a partir de 1º de agosto. O valor é calculado a partir das informações que as unidades da federação passam para o órgão e não necessariamente será o cobrado nas bombas. 

Projeto que facilita construção de gasodutos, Nova Lei do Gás pode ser aprovada na Câmara ainda em 2020

Deputados cobram urgência na votação da Nova Lei do Gás contra monopólio e por menor preço do gás natural

ANP diminuiu de 12 para 10% percentual de biodiesel misturado no diesel

De acordo com a tabela do Preço Médio Ponderado ao Consumidor Final (PMPF) divulgada pelo Confaz, os estados com a gasolina mais cara serão Pernambuco e Tocantins, em que o litro do combustível está previsto em R$ 4,60. A diferença de preço é considerável em relação ao preço médio no Amapá, que será de R$ 3,37.

Já no caso do diesel, o litro mais caro deverá ser cobrado no Acre, ao preço de R$ 4,19. No Paraná, estado com o preço médio mais baixo para o combustível, o litro deve custar R$ 3,02. 

Continue Lendo





Receba nossos conteúdos em primeira mão.

LOC.: O Conselho Nacional de Política Fazendária (Confaz) divulgou nesta segunda-feira (27) o preço médio dos combustíveis nos 26 estados e no Distrito Federal a partir de 1º de agosto. O valor é calculado a partir das informações que as unidades da federação passam para o órgão e não necessariamente será o cobrado nas bombas. 

De acordo com a tabela do Preço Médio Ponderado ao Consumidor Final (PMPF) divulgada pelo Confaz, os estados com a gasolina mais cara serão Pernambuco e Tocantins, em que o litro do combustível está previsto em R$ 4,60. A diferença de preço é considerável em relação ao preço médio no Amapá, que será de R$ 3,37. 

Já no caso do diesel, o litro mais caro deverá ser cobrado no Acre, ao preço de R$ 4,19. No Paraná, estado com o preço médio mais baixo para o combustível, o litro deve custar R$ 3,02. 

Reportagem, Felipe Moura.